Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

AGILIDADE

Unidades de saúde adotam fluxo rápido no pronto atendimento

Protocolo é uma recomendação do Ministério da Saúde para agilizar processos
30/03/2020 14:56 - Daiany Albuquerque, Súzan Benites


Para agilizar o atendimento do Pronto Atendimento em momentos de grande fluxo de pacientes, as unidades de atenção primária de Campo Grande adotaram a metodologia “Fast Track”, que visa atendimentos simultâneos. A metodologia é para impedir o contágio do Covid-19, o novo coronavírus, entre as pessoas que buscarem atendimento.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), o atendimento rápido é para evitar o contato entre pacientes. “O fluxo de atendimento em conformidade com o Protoloco de Fluxo Fast-track proposto pelo Ministério da Saúde visa dar agilidade no atendimento e proporcionar medidas de controle precoce evitando contágio na unidade”, explicou a Sesau.

Conforme explicou a secretaria, as medidas são basicamente para evitar o contato direto entre os pacientes. O protocolo de atendimento vale para todas as unidades de saúde do município que atuam na atenção primária Unidade Básica de Saúde (UBS), Centro Regional de Saúde (CRS) e Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O Ministério da Saúde orienta que o atendimento deve priorizar os pacientes em risco de infecção, principalmente idosos acima de 60 anos e evitar o contágio local com outros pacientes. “O fluxo deve ser sequencial e prioritário dentro da unidade básica de saúde, o paciente deverá preferencialmente ser manejado pela próxima esfera da cascata de atendimento sem aguardar ou circular desnecessariamente por outros ambientes do serviço. Pode-se optar idealmente para utilizar uma sala na qual paciente fica aguardando pelo profissional responsável por atender, conforme a escala definida em serviço, ou deverá ser encaminhado diretamente para a próxima sala. O serviço deverá determinar espaços estratégicos a fim de diminuir a circulação de doentes e o contato com outras pessoas”, explica a cartilha elabora pelo Ministério da Saúde.

Na prática, o paciente fará a ficha na recepção e será chamado para uma sala. Neste local o profissional da área de enfermagem deve realizar o primeiro atendimento: checagem de temperatura, pressão, febre, sintomas, doenças crônicas, etc.

Conforme as orientações do Ministério da Saúde, caso o paciente apresente sintomas respiratórios graves ou outro sinal preocupante, o profissional deve acionar imediatamente o médico (a). Caso contrário, o paciente deve ser mantido com máscara cirúrgica e direcionado para o atendimento do médico (a).

 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo....