Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CHAPADÃO DO SUL

Secretária chama polícia para impedir que vereadores fiscalizem hospital

Grupo constatou falhas em esterilização de equipamentos de ortopedia
03/09/2015 10:30 - KLEBER CLAJUS


 

Três vereadores foram acusados de invadir hospital, nesta quarta-feira (2), ao fiscalizar falhas na esterilização de equipamentos de ortopedia em Chapadão do Sul, a 325 quilômetros de Campo Grande. A denúncia partiu da secretária de saúde do município, Rosimari Barros, que chegou a acionar a polícia militar.

A presidente da Câmara Municipal, Sônia Maran (PR), relatou ao Portal Correio do Estado que a fiscalização ocorreu autorizada pela direção do hospital e com uso de roupas especiais, a fim de evitar contaminação. Porém, na saída, os vereadores foram abordados por policiais sob acusação de terem invadido a unidade. 

“Foi constrangedor, pois verificamos a situação da autoclave que está com defeito há três anos. As furadeiras ortopédicas aguardam procedimento de R$ 19 e, enquanto isso, pacientes estão sendo transferidos para cirurgia de braço quebrado em Campo Grande. Creio que estão querendo criar fato político contra os vereadores”, comentou Sônia, que estava acompanhada dos vereadores Teacher Wagner (PHS) e Rosimari da Cruz (PMDB).

Conforme os legisladores, a intenção era conhecer a estrutura de saúde para definir a devolução de duodécimo de R$ 1,5 milhão para aquisição ou manutenção de equipamentos de saúde. 

O delegado da Polícia Civil, Danilo Mansur, confirmou que policiais foram encaminhados ao hospital para averiguar denúncia da secretária de saúde. Contudo, não foi encontrado nenhum indício de crime por se tratar de prerrogativa dos vereadores de fiscalizar e destes seguirem as normas hospitalares. 

Procurada, a secretária de saúde disse ter acionado a polícia e que um posicionamento seria encaminhado para esclarecer as circunstâncias que a levaram a registrar boletim de ocorrência de preservação de direito. 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!