Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Secretaria proíbe entrada de pessoas com chinelo, regatas e roupas curtas

Resolução normativa dispõe que servidores e público em geral devem usar roupas adequadas em prédios ligados a Secretaria de Segurança
11/09/2020 16:29 - Glaucea Vaccari


Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social (Sesdes) de Campo Grande publicou resolução normativa que proíbe a entrada e permanência de qualquer pessoa na sede com roupas consideradas inadequadas.  

Publicação foi feita no Diário Oficial desta sexta-feira (11).

Conforme a normativa, decreto municipal que instituiu o Código de Ética dos agentes públicos municipais impõe obrigação de que eles devem se apresentar ao expediente com roupas adequadas.

Dessa forma, fica proibida a entrada e permanência de servidores e do público externo às dependências internas e aos locais de trabalho vinculados a Sesdes com trajes inadequados ou incompatíveis com a imagem da secretaria.

A resolução considera como inadequados os seguintes trajes:

  • excessivamente curtos ou com decotes acentuados;
  • que exponham a região abdominal ou partes do corpo que, por costume, não ficam à mostra;  
  • shorts acima dos joelhos;
  • trajes de banho;
  • bermudas ou calções acima dos joelhos;
  • camisetas masculinas sem mangas;  
  • excessivamente transparentes, vazados ou desgastados;
  • chinelos de dedo ou pés descalços.  

A exceção é para crianças de até 12 anos, companhadas de pais ou responsáveis, e pacientes ou pessoas enfermas submetidos a procedimentos ambulatoriais, tratamentos ortopédicos ou intervenções cirúrgicas.  

Para todas as pessoas, é obrigatório o uso de máscara de proteção facial para acesso ou permanência nas dependências da secretaria.

Normativa tem validade a partir desta sexta-feira.

 
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...