Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ISOLAMENTO SOCIAL

Secretário se emociona ao pedir que população fique em casa no Dia das Mães

Geraldo Resende chorou ao dizer que, pela primeira vez em 30 anos, não passará a data com a mãe
08/05/2020 18:14 - Glaucea Vaccari


Comemorado neste domingo (10), Dia das Mães é uma data onde tradicionalmente famílias se reúnem para celebrar, será diferente neste ano, devido a pandemia de coronavírus. Para evitar o contágio da Covid-19, secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, fez um apelo emocionado para que as pessoas evitem se encontrar neste ano, mantendo o isolamento.

Com lágrimas nos olhos, em transmissão ao vivo no Facebook, Resende disse que irá quebrar uma tradição de 30 anos e ficará afastado da mãe devido a pandemia e pediu para que todos os sul-mato-grossenses façam o mesmo.

“Nós somos 12 irmãos e há mais de 30 anos nos reunimos e será o primeiro ano que não vamos passar juntos. É um ato de amor, ato que a gente mostra o amor as nossas mães”, disse o secretário.

Resende pediu ainda que as pessoas façam um esforço para que haja achatamento da curva e Mato Grosso do Sul não tenho pico de casos.  

“Procuremos formas criativas de manifestar nosso amor para com nossas mães. Minha mãe tem 93 anos e certamente vai estranhar a ausência nossa, mas mostre seu amor, daqui a um tempo vamos ter possibilidade de poder abraçar, beijar, e mostrar esse amor. Domingo mantenhamos o isolamento social”, pediu.

A taxa média de isolamento social registrada em Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira (7) foi de 39%. Índice recomendado por autoridades mundiais para enfraquecer o vírus é de no mínimo 60%.  

Conforme boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira, nas ultimas 24 horas houve aumento de 15 novos casos e mais um óbito no Estado, de um idoso de 95 anos, em Campo Grande. Mato Grosso do Sul soma 326 confirmados, 61 em investigação e 11 óbitos . Do total de confirmados, 156 estão curados. 

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.