Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PREVISÃO DA SEMANA

Segunda será de calor, mas nova frente fria chega na terça

Semana será marcada por baixa umidade do ar e frio de 6ºC
28/06/2020 15:57 - Glaucea Vaccari


 

A frente fria que esteve sobre Mato Grosso do Sul nos últimos dias se afasta e a semana começa com elevação nas temperaturas e tempo seco. No entanto, uma nova massa de ar frio se aproxima do Estado a partir de terça e promove nova mudança no tempo.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nesta segunda-feira (28) o sol aparece entre poucas nuvens e dia pode amanhecer um pouco mais frio, mas as temperaturas sobem rapidamente durante o dia, com mínima de 14ºC e máxima de 33ºC. A umidade relativa do ar estará baixa, especialmente no período da tarde, com índices em torno de 30%.

Outra frente fria se aproxima do sul do Estado na terça-feira (30), onde há previsão de pancadas de chuva. Nas demais regiões, céu deve ser parcialmente nublado, com abertura de sol e tempo seco.

Julho começa com o avanço da frente fria, que atravessa o Mato Grosso do Sul na quarta-feira (1º), promovendo pancadas de chuva mais generalizadas no Estado.  Temperaturas voltam a cair, com mínima de 8ºC, podendo ter sensação térmica de mais frio.

Apesar das chuvas, o índice de umidade continua baixo durante à tarde. Isto porque, segundo o Inmet, a partir do sudoeste e sul do estado, na retaguarda de um sistema frontal, se instala uma alta pressão e a massa de ar seco e frio promove movimento descendente do ar. O movimento de descida traz o ar seco das camadas superiores, portanto, o tempo ficará com baixa umidade após a passagem da frente. 

Chuvas devem ser mais isoladas na quinta-feira (2), mas o frio continua. Ao amanhecer, temperaturas estarão próximas de 6ºC nos municípios da região sul. Tempo fica nublado e temperaturas sobem ao longo do dia.

 

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.