Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

TEMPO

Semana tem previsão de chuva para todos os dias e risco de tempestades

Meteorologia aponta grandes acumulados de chuva até o fim de outubro
18/10/2020 15:01 - Glaucea Vaccari


Nesta semana, áreas de instabilidade associadas à circulação de ventos irão se formar no Mato Grosso do Sul e previsão é de chuva intensa, com possibilidade de temporais, em todo o Estado. 

De acordo com o Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec), projeções de modelos meteorológicos apontam tempo instável até o fim do mês. 

Para esta semana, são esperadas chuvas generalizadas e frequentes, com acumulados entre 50 e 70 milímetros, especialmente entre a tarde e noite. 

Há risco de tempestades, com chuva intensa acompanhada de raios, ventos fortes e granizo.

Com o aumento das precipitações, também aumenta o índice de umidade relativa do ar, que deve chegar a 100%, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Conforme a especialista em meteorologia e coordenadora do Cemtec, Franciane Rodrigues, as chuvas desta segunda quinzena possibilitam o fim da estiagem.

"A última chuva significativa e com grandes acumulados de forma frequente ocorreu entre 16 a 22 de agosto de 2020, desde então ocorreram chuvas de forma isolada e que não foram suficientes para sairmos da condição de tempo seco", disse, em comunicado. 

Calor continua, mas não deve atingir os níveis extremos registrados entre o fim de setembro e começo de outubro.

Mínima prevista é de 20°C e máxima de 37°C no Estado. Em Campo Grande, termômetros oscilam entre 20°C e 35°C, com céu predominantemente nublado e pancadas de chuva e trovoadas. 

Chuvas intensas e generalizadas também devem ajudar a diminuir e apagar os focos de incêndio ainda ativos, especialmente na região do Pantanal. 

Para a próxima semana, a partir do dia 23, expectativa é que precipitações se intensifiquem ainda mais, com acumulados maiores, que podem variar entre 50 a 100 mm.

Leia as últimas notícias do Correio do Estado 

 
 

Felpuda


Racha em entidade religiosa teve péssimas consequências eleitorais na disputa por vagas na Câmara Municipal de Campo Grande.

O quiproquó, também, digamos, com nuance familiar, provocou estragos da-que-les.

Aí, como consequências, fez com que quem está não conseguisse votos suficientes para permanecer em 2021-2024 e quem estava fora tentando retornar ficasse à beira do caminho. 

Como se vê...