Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DOENÇAS CARDÍACAS

Setembro Vermelho relembra o quanto as doenças cardíacas podem ser letais; veja como se prevenir

Especialista relata as práticas que podem fazer diminuir os números da principal causa de mortes no mundo
27/09/2020 09:05 - Rodrigo Almeida


O mês de setembro foi escolhido por vários grupos médicos para campanhas de conscientização. Em uma delas, o setembro vermelho traz à tona uma das principais causa de morte no mundo: a doenças cardiovasculares. 

Segundo a OMS, 30% das mortes precoces no mundo são em decorrência desse tipo de enfermidade. O diretor médico da DI Imagem, Dr. Wilson Maksoud, afirma que esse número pode ter vários motivos distintos. 

“Hipertensão arterial, tabagismo, diabetes, falta de exercício físico, obesidade, colesterol elevado, dieta inadequada e consumo excessivo de bebidas alcoólicas”, refere-se ele a alguns gatilhos para as doenças. 

Durante o período de pandemia, um outro fator se agravou. Para o médico, ainda se enquadra como precursor desse tipo de doença o estresse que “obrigou as pessoas a se adequarem ao “novo normal”. 

O Dr. Wilson Maksoud estima que ”mais da metade dos casos de doenças cardiovasculares podem ser evitados com medidas de prevenção e hábitos saudáveis”. 

É aí que entra a campanha Setembro Vermelho, como um chamado à conscientização e a prevenção de gatilhos conhecidos a décadas, como os já citados. De acordo com especialistas, as pessoas com casos hereditários na família são as que mais devem se precaver. 

“A campanha é dedicada à conscientização sobre os principais fatores de risco e como mudar hábitos para levar uma vida mais saudável. Ela é um estímulo para que as pessoas façam seus exames preventivos”, ressalta Wilson Maksoud. 

Uma doença que atravessa gerações

Por morte precoce estamos falando de pessoas com menos de 65 anos. A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) criou o cardiômetro. Um relógio que contabiliza quantas pessoas faleceram por doenças cardiovasculares. 

Até o fechamento da matéria, eram quase 300 mil só em 2020. São mais de 1100 pessoas por dia de acordo com o portal da sociedade. Entre as mortes que se tornam mais comuns atualmente são de pessoas na casa dos 30 anos de idade. 

De acordo com o diretor médico da DI Imagem, Dr. Wilson Maksoud, pessoas nessa faixa etária têm hábitos alimentares e de trabalho diferentes das gerações passadas. 

“Outro fator é que em jovens a placa de gordura que fica nas artérias são mais moles, ou seja, são mais fáceis de romper e causar um coágulo. No caso dos mais velhos essa placa é mais dura e não se rompe tão facilmente”, explica. 

 
 

Como se cuidar?

Outro tema que o diretor médico se apega é que muitos das ações para evitar acidentes vasculares cerebrais (AVCs) e infartos agudos do miocárdio estão ao alcance de todos. 

Apesar de estarmos presos às rotinas estressantes e compromissos inadiáveis, consultas médicas regulares com o cardiologista e exames de rotina são fundamentais para a prevenção. 

Os bons hábitos, segundo ele, ajudam a manter as patologias cardiovasculares longe. “É recomendado a prática de exercícios físicos, uma alimentação saudável, evitar a exposição ao fumo de tabaco e limitar o consumo de álcool”, aconselha. 

O Dr. Wilson Maksoud ainda recomenda pequenas atitudes que podem fazer uma grande diferença no longo prazo: 

em vez de subir de elevador todos os dias separar dois dias na semana para ir de escada

Reduzir o consumo de alimentos ultraprocessados por refeições feitas em casa e alimentos in natura

Reduzir a ingestão de sal e gorduras não saudáveis

fazer exames de rotina

Medicina e informação 

Com o desenvolvimento tecnológico, as práticas médicas estão cada vez mais avançadas no combate a essas doenças. 

O médico afirma que mais nos países desenvolvidos, 50% a 60% da melhoria na mortalidade resultante de doenças cardiovasculares a métodos básicos como os já indicados. 

Dentre as práticas preventivas mais comuns e que contribuem também para o diagnóstico dessas doenças existem as “TC das coronárias - com reconstrução 3D (além da permeabilidade das artérias coronárias nos fornece dados importantes do Score de cálcio) e também a Cintilografia de Miocárdio, como também outros métodos existentes, o Raios - X de tórax e Ecocardiografia”, informa Dr. Wilson Maksoud. 

Ele finaliza dizendo que, “além dos bons hábitos, os exames de imagem são os melhores aliados para descobrir, prevenir e combater problemas cardíacos”.

 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!