Cidades

EDUCAÇÃO

Sisu tem disputa de 21 candidatos por vaga

Sisu tem disputa de 21 candidatos por vaga

AGÊNCIA BRASIL

23/06/2012 - 11h25
Continue lendo...

Mais de 642 mil estudantes se inscreveram para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece 30 mil vagas em instituições públicas de ensino superior para o segundo semestre de 2012. O prazo foi encerrado ontem (22) e a lista dos aprovados em primeira chamada será divulgada segunda-feira (25). A concorrência ficou em 21 candidatos por vaga.

O Sisu é uma ferramenta criada pelo Ministério da Educação (MEC) para unificar a oferta de vagas em universidades federais por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que substituiu o vestibular tradicional de algumas instituições. Puderam disputar as vagas desta edição os estudantes que fizeram a prova em 2011.

No total, o sistema registrou 1.245.437 inscrições, já que cada aluno pode escolher até duas opções de curso, elegendo sua prioridade. A instituição que recebeu o maior número de inscrições é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): 152.196. Na lista das mais procuradas pelos candidatos estão também a Universidade Federal do Ceará (108.574 inscrições), a Universidade Federal do Maranhão (103.829), a Universidade Federal do Paraná (80.483) e a Universidade Federal de Ouro Preto (60.136).

Os candidatos aprovados em primeira chamada terão entre os dias 29 de junho e 9 de julho para efetuar a matrículas nas instituições para onde foram selecionados. Uma segunda chamada está prevista para 13 de julho. 

TEMPO

Frente fria vai derrubar temperaturas para 7ºC, com sensação de 5ºC em MS

Tempo começa a mudar nesta quinta-feira (23); sexta-feira (24), sábado (25) e domingo (26) serão de muito frio, chuva, tempestades, ventos, raios, granizo, trovoadas e tempo fechado

23/05/2024 09h45

Tempo chuvoso e frio em Campo Grande

Tempo chuvoso e frio em Campo Grande ARQUIVO/CORREIO DO ESTADO

Continue Lendo...

O sul-mato-grossense vai ter que tirar o casaco e o guarda-chuva do armário a partir desta quinta-feira (23). Dessa vez, o frio vem com força e, pela primeira vez no ano, será de “congelar”.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, chegada de uma nova frente fria vai derrubar os termômetros para 7ºC, com sensação térmica de 5ºC, neste fim de semana, em Mato Grosso do Sul. Confira a tabela de temperaturas no fim da reportagem.

Isto porque uma nova frente fria, aliada ao avanço de cavados e atuação de área de baixa pressão atmosférica, se aproxima de Mato Grosso do Sul.

Com isso, sexta-feira (24), sábado (25) e domingo (26) serão de muito frio, chuva, tempestades, ventos, raio, granizo, trovoadas, tempo fechado e céu nublado. Vale ressaltar que o tempo começa a "virar" já a partir desta quinta-feira (23). 

O Inmet divulgou alerta amarelo (perigo potencial) de tempestade para o sul e oeste de Mato Grosso do Sul. Com isso, pode ocorrer chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, ventos intensos (40-60 km/h) e queda de granizo. Há baixo risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de galhos de árvores e de alagamentos.

Alerta amarelo de tempestade. Divulgação: Inmet

A 29 dias do início do inverno, as frentes frias ganham força e se tornam cada vez mais comuns no Estado. A tendência é que com o fim do outono e chegada do inverno, temperaturas baixam sejam registradas com maior frequência.

“A partir de sexta-feira (24 de maio), haverá declínio de temperatura no Sul do Estado e na parte Oeste. Esse declínio pode ficar em torno de 3ºC em relação a observância. No sábado (25 de maio), o declínio de temperatura já atinge quase todo o Estado, bem mais acentuado no Sul e no Sudoeste do Estado, declínio de 5ºC. No domingo (26 de maio), já fica restrito na parte do centro ao norte do Estado”, detalhou a meteorologista do Inmet, Andrea Ramos, em entrevista exclusiva ao Correio do Estado.

TEMPERATURAS

Confira temperaturas mínimas e máximas para sexta-feira (24), sábado (25) e domingo (26):

  Sexta-feira, 24 de maio  Sábado, 25 de maio  Domingo, 26 de maio
Campo Grande Temperatura mínima: 16ºC / Temperatura máxima: 24ºC Temperatura mínima: 13ºC / Temperatura máxima: 19ºC Temperatura mínima: 12ºC / Temperatura máxima: 19ºC
Amambai Temperatura mínima: 11ºC / Temperatura máxima: 26ºC Temperatura mínima: 9ºC / Temperatura máxima: 17ºC Temperatura mínima: 11ºC / Temperatura máxima: 19ºC
Ponta Porã Temperatura mínima: 11ºC / Temperatura máxima: 26ºC Temperatura mínima: 9ºC / Temperatura máxima: 17ºC Temperatura mínima: 11ºC / Temperatura máxima: 18ºC
Dourados Temperatura mínima:  14ºC/ Temperatura máxima: 27ºC Temperatura mínima: 11ºC / Temperatura máxima: 16ºC Temperatura mínima: 13ºC / Temperatura máxima: 19ºC
Aquidauana Temperatura mínima: 17ºC / Temperatura máxima: 29ºC Temperatura mínima: 15ºC / Temperatura máxima: 24ºC Temperatura mínima: 15ºC / Temperatura máxima: 26ºC
Corumbá Temperatura mínima: 16ºC / Temperatura máxima: 31ºC Temperatura mínima: 13ºC / Temperatura máxima: 24ºC Temperatura mínima: 13ºC / Temperatura máxima: 26ºC
Três Lagoas Temperatura mínima: 19ºC / Temperatura máxima: 35ºC Temperatura mínima: 17ºC / Temperatura máxima: 22ºC Temperatura mínima: 17ºC / Temperatura máxima: 26ºC
Sonora Temperatura mínima: 20ºC / Temperatura máxima: 33ºC Temperatura mínima: 18ºC / Temperatura máxima: 26ºC Temperatura mínima: 16ºC / Temperatura máxima: 29ºC

* Fonte: Inmet

CUIDADOS

De acordo com o Inmet, o ser humano deve tomar cuidados indispensáveis durante o frio. Confira:

  • Se agasalhe
  • Beba água
  • Evite tomar banhos muito quentes
  • Continue usando protetor solar
  • Evite ambientes pouco ventilados
  • Hidrate a pele
  • Cuide da alimentação
  • Não se exponha ao tempo

Ainda segundo o Inmet, o tempo chuvoso requer cuidados aos sul-mato-grossenses. Confira:

  • Em caso de chuva: usar guarda-chuvas; não enfrentar pontos de alagamento ou enxurradas; procurar rotas alternativas no trânsito; dirigir devagar e proteger os pés e as mãos com botas e luvas de borracha ou sacos plásticos duplos
  • Em caso de raio: evitar locais abertos; não ficar debaixo de árvores; não ficar próximo a cercas de metal; ficar calçado e desligar eletroeletrônicos da tomada
  • Em caso de granizo: tomar cuidado no deslocamento após chuva de granizo, pois o chão fica escorregadio

ROTA DO TRÁFICO

Cocaína saía do Paraguai e passava pela Capital para chegar até Santos

A polícia ainda investiga o endereço onde a quadrilha pega com 643 kg de cocaína se organizava em Campo Grande para o carregamento dos caminhões

23/05/2024 09h30

Durante investigação, Denar conseguiu apreender 643 quilos de cocaína no municípios de Bela Vista

Durante investigação, Denar conseguiu apreender 643 quilos de cocaína no municípios de Bela Vista Foto: Marcelo Victor / Correio do Estado

Continue Lendo...

Quadrilha pega com 643 quilos de cocaína, que renderiam em torno de R$ 225 milhões a traficantes, traziam a droga originária da Bolívia pela fronteira de Mato Grosso do Sul com Paraguai e, de lá, seguiam para Campo Grande, de onde o entorpecente eram levado para o porto de Santos, em São Paulo.

De acordo com o delegado Hoffman D’Ávila, da Delegacia de Narcóticos de Campo Grande (Denar) o grupo envolvido com o narcotráfico internacional realizou diversas viagens para Mato Grosso do Sul com objetivo de levar a cocaína da fronteira, passando por Campo Grande, chegando até o porto de Santos, com o destino final ao continente europeu.

A Polícia Civil apreendeu a cocaína em uma oficina mecânica na cidade de Bela Vista, na região de fronteira com o Paraguai, prendendo no local o dono do estabelecimento e um caminheiro que estavam colocando os entorpecentes em um teto falso de uma carreta.

Segundo as investigações da polícia, além deste local onde a quadrilha atuava no interior, há indícios que o grupo criminoso têm uma base estabelecida em Campo Grande, que interliga a rota de transporte da droga para outros estados, e também mantêm a cocaína em circulação na Capital.

O delegado não revelou detalhes sobre os prováveis “líderes” da quadrilha, mas deixou claro que o carregamento interceptado faz parte de um grande esquema de narcotráfico internacional, uma vez que o caminhoneiro e o dono da oficina presos em flagrante não são os reais proprietários das drogas, que em Campo Grande a droga têm valor bem menor que na Europa, mas mesmo assim valem uma verdadeira fortuna, da ordem de R$ 15 milhões na Capital, de acordo do Hoffman. 

A investigação ainda está em andamento, e a expectativa da polícia é avançar com mais informações para chegar em mais integrantes do bando, prendendo assim os proprietários do carregamento de 643 quilos, que é considerado pelo delegado a maior apreensão de cocaína dos últimos anos da Denar.

O caminhoneiro preso pela Denar é procedente do Paraná, e informou à polícia que havia vendido uma casa para comprar a carreta e virar “mula” da quadrilha, já que o esquema vinha dando certo e garantindo lucro fácil a outros motoristas. 

De acordo com Hoffman, os valores elevados que envolvem a venda da cocaina são os principais motivos da quadrilha investigada conseguir recrutar muitos caminhoneiros, que vinham de diferentes estados para participarem do esquema.

Os dois homens presos, que não tiveram a identidade revelada pela Polícia Civil, não tinham nenhuma passagem.

A carreta que iria ser utilizada para transportar a cocaína foi apreendida e deixada sob os cuidados da polícia de Bela Vista, cidade que faz fronteira com a cidade paraguaia com o mesmo nome. 

ESTRATÉGIA

Conforme o delegado da Denar, a quadrilha sempre adotava a mesma estratégia para esconder as drogas. Os caminhoneiros vinham de diferentes estados à região sudoeste do Estado para buscar calcário, como forma de despistar suspeitas na rodovia e retornavam para São Paulo com os tabletes de cocaína escondidos no teto da cabine das carretas.

O dono da oficina preso, cuja identidade não foi revelada, admitiu para o delegado que já havia escondido as drogas em uma série de veículos de carga e que o destino da maior parte era o porto de Santos, onde os entorpecentes são colocados nas embarcações até por mergulhadores.

A interceptação, que ocorreu na manhã de terça-feira, foi resultado de uma investigação que já se arrastava havia cerca de dois meses. 

Segundo Hoffman, a operação “foi crescendo com mais informações sendo obtidas até encontrar um dos endereços onde a carga com drogas era carregada, com o momento mais oportuno para efetuar as prisões em flagrante”, disse, indicando que a polícia já conhece algumas ramificações da quadrilha em solo sul-mato-grossense.

Um dos presos na operação, segundo o delegado, passou a ser monitorado justamente depois de ter sido visto em determinado endereço de Campo Grande utilizado como uma entreposto do bando.

SAIBA

Campo Grande vem virando um entreposto para envio de transporte de drogas para diversas organizações criminais, sendo rota de distribuição de cocaína, maconha, e até de drogas sintéticas como a metanfetamina.

ASSINE O CORREIO DO ESTADO

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).