Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Sob risco de auditoria externa, cidades do MS fecham 30 leitos para Covid-19

Vagas estavam sendo usados para tratamento de outras doenças e foram desabilitados para fugir de procedimento de órgãos de controle
13/06/2020 16:12 - Daiany Albuquerque, Nyelder Rodrigues


 

Três cidades de Mato Grosso do Sul fecharam leitos de tratamento para covid-19, conforme publicado no boletim do novo coronavírus deste sábado (13). Ao todo, são 30 vagas a menos na rede pública, todas no interior do Estado - cada um dos três municípios perdeu dez leitos especiais para covid-19 em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, a redução ocorreu em Dourados, atual líder no número de casos e internados pela doença, Corumbá e Nova Andradina. Em Dourados, os leitos ficavam no Hospital da Vida.

"Alguns municípios estavam usando para outros agravos e resolveram desabilitar para não sofrerem auditoria de órgãos de controle", revela Resende à reportagem do Correio do Estado. Ele ainda completa que existe trabalho para que logo sejam repostas as vagas reduzidas. "Alguns deles não eram nem habilitados ainda", conclui.

Segundo os dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), atualmente Mato Grosso do Sul conta com 670 leitos clínicos adultos para covid-19, com taxa de ocupação em 7,2%, e 199 leitos UTI, com a taxa em 11,6%. Há ainda 232 leitos convenciais e outros 50 UTIs em processo de implantação no Estado.

"Mantemos uma postura de transparência sempre para tratar sobre os dados da covid-19 em Mato Grosso do Sul", diz Geraldo, que estima a criação de mais 65 novos leitos de UTI para os próximos dias. "Vamos montar leitos de UTI. Serão dez em Dourados e os outros 25 ainda estamos estudando onde serão implantados".

Outra doação recebida pelo estado foi do frigorífico JBS, que repassou 30 kits para montar UTIs completas. "Serão 15 em Dourados, cinco em Naviraí e dez no Hospital Regional, em Campo Grande. Esses equipamentos devem demorar de 20 a 30 dias para chegar no Estado", conta Geraldo Resende à reportagem.

Ocupação global de leitos

Durante a live feita pela SES na página do Governo do Estado no Facebook, foram exibidos dados sobre a ocupação global de leitos nas quatro maiores cidades de Mato Grosso do Sul. Aí, está a porcentagem de vagas ocupadas, independentemente da causa.

A cidade com o maior número de leitos com algum paciente é Corumbá, com 65% de sua capacidade em uso. Em seguida aparece Campo Grande, com 57,5%, enquanto Três Lagoas tem 42,9% dos leitos em uso. Das quatro, Dourados está em melhor situação no contexto geral de todas as doenças, com índice de ocupação em 38,2%.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!