Clique aqui e veja as últimas notícias!

MEIO AMBIENTE

Solurb projeta novo lixão da Capital em área proibida

Para arquiteto que atuou na elaboração do Plano Diretor, como se não bastasse a localização do aterro ser ao lado de áreas de proteção, novo lixão está na zona rural
02/07/2020 10:00 - Eduardo Miranda


Além de estar localizado entre as duas maiores captações de água de Campo Grande, a Fazenda Santa Paz, propriedade onde a Solurb pretende construir o novo aterro sanitário Ereguaçu, tem outro “erro” que poderá inviabilizar os planos da concessionária: fica em uma área rural e fora da zona de expansão econômica prevista no Plano Diretor.

“Essa informação de que o aterro sanitário está em uma área rural é pior ainda. A zona rural não admite atividades urbanas, ela precisa de uma regulamentação específica para ela”, comenta o arquiteto, urbanista e professor universitário Ângelo Arruda, que participou da elaboração do Plano Diretor de Campo Grande.  

E a situação só piora, ao se aplicar a legislação vigente, o Zoneamento Econômico-Ecológico e as restrições do Plano Diretor para a zona rural. Fica inviável totalmente, ainda mais se juntar tudo isso às Áreas de Proteção Ambiental (APAs).

Arruda menciona as áreas de proteção permanente e de preservação ambiental dos córregos Guariroba e Lajeado, as duas maiores captações de água de Campo Grande, distantes menos de 5 quilômetros da Fazenda Santa Paz, local para onde a Solurb, concessionária de coleta e destinação do lixo, quer levar todos os resíduos de Campo Grande. 

Conforme o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) apresentado pela Solurb, a Fazenda Santa Paz seria a melhor área para o novo aterro sanitário. A vida útil do aterro atual, o Dom Antônio Barbosa II, na saída para Sidrolândia, está perto do fim, e este novo aterro teria de ser ativado já em 2022, para atender Campo Grande e mais sete cidades da região por pelo menos duas décadas, conforme os planos da Solurb.  

Arruda considerou tardia a iniciativa da Solurb, que teve desde 2012, quando assumiu o serviço de coleta e limpeza de Campo Grande, para se planejar sobre o novo aterro.