Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRISTEZA NO PARQUE

Stella, de 3 anos, é a segunda criança a morrer em parquinhos de Corumbá

Vítima brincava com a irmã quando foi atingida por pedaço do escorregador; caso é o segundo em sete meses
14/02/2020 10:24 - Camila Andrade Zanin


 

A pequena Stella Lopes, de apenas 3 anos, morreu quando brincava junto a irmã de 6 anos em um brinquedo conjugado, escorregador e balanço juntos, em uma praça localizada no bairro Generoso, em Corumbá. Por volta das 21h30min da noite de quinta-feira (13), o escorregador, que já estava em um estado de conservação ruim e sem manutenção, quebrou e caiu sobre a cabeça da criança, que não resistiu. Stella é a segunda criança vítima dos parquinhos sem manutenção, em Corumbá.

A irmã mais velha dela sofreu lesões mais leves. A pequenina foi atingida na cabeça pelo brinquedo quebrado, não resistiu e morreu por causa de um traumatismo craniano. Stella chegou a ser socorrida, foi levada inconsciente ao pronto-socorro, e em seguida encaminhada ao Centro de Tratamento Intensivo da Santa Casa de Corumbá.

A equipe médica relatou que a criança quebrou o crânio em três partes e que seria necessária transferência urgente para Campo Grande. A criança foi internada em estado grave, a UTI aérea foi acionada para realizar o translado dela até Campo Grande, mas devido à gravidade dos ferimentos, a pequenina não resistiu e morreu às 02h15min da madrugada de sexta-feira (14).

O Correio do Estado conversou com familiares de Setella. A mãe, abalada, preferiu não ser entrevistada. Uma prima dela não escondia a tristeza e a indignação com a manutenção precária.

 
 

DESCASO

O Correio do Estado conversou com jornalistas da Folha MS, um dos jornais de Corumbá. Eles relataram que praças e espaços públicos destinados ao lazer estão em situação precária. O estado do local do ocorrido não é diferente. No parque onde Stella morreu estrutura era de madeira já estava podre e sem manutenção há tempos. A prefeitura, apesar de ser responsável pelo espaço, não se manifestou até o momento.

Há duas semanas, os jornais de Corumbá denunciaram o perigo que as crianças estavam sendo expostas ao brincarem em meio a fiação energizada na praça em pleno centro da cidade.

SEGUNDO CASO

Em sete meses, esse é o segundo caso de uma criança morta por brincar em espaços públicos. Em julho de 2019 o garoto, Nicolas Josúe Victório Táceo, de 9 anos, também morreu depois da trave de gol de uma quadra de esporte da Alameda Vulcano, do bairro Beira Rio caiu sobre sua cabeça, que morreu na hora.

Felpuda


Partido político está vivendo processo de autofagia cá por essas bandas. Nada de ideologia ou defesa dos interesses dos filiados. O problema, segundo os mais observadores, é que lideranças não se contentaram em ter cada uma o seu pedaço e decidiram tomar conta com exclusividade do espólio, que, aliás, é regado com cifras milionárias. A legenda deverá se transformarem uma máquina de lavar, no caso, cheia de roupas sujas. E dê-lhe!