Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Além de leitos, faltam equipamentos e profissionais na Saúde

Secretário afirma que aumento de casos e taxa de ocupação de leitos preocupam
17/07/2020 12:29 - Gabrielle Tavares


Com novos 475 casos, Mato Grosso do Sul chegou a 15.805 pacientes e taxa de ocupação de leitos preocupa autoridades. 

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, o Hospital Regional está com mais de 93% dos leitos ocupados. 

Secretaria está trabalhando para montagem de novas unidades, mas precisa de equipamentos e profissionais de saúde, segundo Resende.

“A taxa de ocupação está crescendo muito. Não faltou nada até o momento para os pacientes com a Covid-19, mas isso não quer dizer que não possa faltar. O crescimento está sendo muito grande, principalmente aqui em Campo Grande”, disse Resende em transmissão ao vivo realizada nesta sexta-feira (17).  

Ainda de acordo com o secretário, serão instalados mais 20 leitos de UTI na próxima semana, distribuídos na Santa Casa de Campo Grande e no Hospital Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

“Estamos aguardando liberação de mais ventiladores do Ministério da saúde, mas leitos não se mantém só com ventiladores. Também precisamos de mais profissionais”, afirmou Resende.

A prefeitura de Campo Grande ampliou hoje mais 30 vagas no Processo Seletivo da Fundação Serviços de Saúde de Mato Grosso do Sul (Funsau) para enfermeiros. Os novos profissionais serão designados para o HR-MS.

Boletim Epidemiológico

Dos 15.805 casos confirmados hoje, 5.018 estão em isolamento domiciliar, 10.239 estão sem sintomas e já estão recuperados e 345 estão internados, sendo 218 em hospitais públicos e 134 em hospitais privados. Nove pacientes internados são procedentes de fora do Estado.

A Capital soma 5.718 confirmados, Dourados 3.719, Corumbá 704 e Três Lagoas 466. São 2.132 amostras à espera de análise no Lacen, e 4.149 casos sem encerramento pelos municípios.

A taxa de ocupação global dos leitos na macrorregião de Campo Grande é de 81%, sendo 45% de pacientes sem Covid-19, 30% de internados com o vírus e 6% de suspeitos.

Óbitos

Foram registrados 12 óbitos, passando para 203 mortes pela doença em Mato Grosso do Sul. Um deles não foi registrado no boletim epidemiológico de hoje. Rubens Brandão, de 90 anos, era de Dourados, e faleceu na madrugada de hoje.  

Ele era amigo do secretário Resende, que o citou na live realizada hoje. “Quero manifestar para sua família nossos maiores sentimentos, igual a todas outras famílias que perderam entes queridos para a Covid-19”, lamentou.

Campo Grande teve três mortes: uma mulher de 70 anos, com doença cardiovascular crônica, diabetes e hipertensão; uma mulher de 96 anos, com pneumopatia crônica; e um homem de 56 anos, com diabetes.

Em Ladário foram dois homens de 81 anos, um deles tinha diabetes e hipertensão, e o outro não possuía comorbidades.

Em Anastácio a vítima foi um homem de 84 anos que possuía doença cardiovascular e pneumopatia crônica. 

Em Aquidauana, foi um homem de 40 anos, com obesidade e hipertensão. 

Em Nova Andradina, uma mulher de 72 anos, com doença cardiovascular crônica e diabetes.

Em Sidrolândia faleceu uma mulher de 70 anos, que sofria de hipertensão. 

Em Corumbá, um homem de 76 anos, que tinha doença cardiovascular crônica, diabetes e hipertensão. Em Aparecida do Tabuado, um homem de 53 anos, que possuía doença cardiovascular crônica.

 
 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!