Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Capital está preparando novos leitos de UTI visando aumento de casos graves da Covid-19

Saúde já prevê 18 novos leitos no Hospital de Cancêr Alfredo Abrão
04/07/2020 12:31 - Fábio Oruê, Gabrielle Tavares


Prefeitura de Campo Grande e governo do Estado está viabilizando novos leitos de Unidades de Terapia Intensivas em hospitais da Capital visando o aumento no número de casos graves - aqueles que necessitam de internação - da Covid-19. O anúncio foi feito pelo secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, na manhã deste sábado (4). 

“[...] estamos visualizando que vamos precisar com urgência de novos leitos de UTI’s em outras estruturas hospitalares [além do Hospital Regional]”, disse ele em transmissão ao vivo. Segundo Resende, ele e o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, se reuniram e já estão “trabalhando” com o Hospital do Câncer Alfredo Abrão, prevendo a instalação de 18 leitos no local. 

Ele também citou a Associação Beneficente Santa Casa (ABCG) e “outros hospitais, inclusive privados”, mas não detalhou o número de leitos nessas localidades. “Nossa intenção é estarmos preparados para que não faltem leitos aqui na Capital”, disse ele. Atualmente a Capital tem 73% de leitos ocupados, Corumbá 50%, Dourados 48% e Três Lagoas 45%.

Campo Grande ultrapassou Dourados (atual epicentro da pandemia no Estado) neste sábado. São 3.029 casos confirmados de coronavírus, sendo 284 de ontem para hoje. Já Dourados fechou o boletim epidemiológico com 2.948.

Além dos leitos na Capital, Resende também falou sobre novos leitos no interior, entre eles 10 em Costa Rica, 10 em fase de finalização em Naviraí e 6 em Jardim e 5 em Coxim, que aguardam a habilitação do Ministério da Saúde.

 
 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.