Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TEMPO

Defesa Civil emite alerta para baixa umidade do ar em MS

Semana será de muito calor e tempo seco no Estado
09/03/2020 17:30 - Glaucea Vaccari


 

Pancadas de chuva que caíram em alguns municípios de Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (9) não foram suficientes para uma mudança no clima e o calorão e tempo seco persistem durante a semana. Defesa Civil emitiu alerta de baixa umidade, devido aos índices em torno de 20%, considerado estado de alerta.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um nível considerado aceitável deve estar acima de 30%, abaixo disso já é prejudicial a saúde. No alerta, Defesa Civil orienta que a população sul-mato-grossense beba bastante líquido, evite desgaste físico nas horas mais secas, especialmente no período da tarde, e evite exposição ao sol.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), uma grande massa de ar quente e seco ainda vai predominar sobre todo o Estado e os níveis de umidade relativa do ar podem ficar baixos nas horas mais quentes do dia, próxima dos 20%.

Hoje e amanhã, o tempo continua estável, com predomínio de sol e sem previsão de pancadas de chuva. As temperaturas estarão elevadas, podendo chegar a 40°C em Corumbá.

A partir de quarta-feira (11), algumas nuvens carregadas devem voltar a se formar sobre o Estado e pode chovar de forma isolada, especialmente nos municípios da região norte. Nas demais áreas, a umidade continua perto de 25% e não há previsão de chuva. 

Na quinta e na sexta-feira a área de instabilidade se desloca mais para sul e os ventos de nordeste intensificam, promovendo pancadas de chuva com trovoadas isoladas no norte e nordeste. Temperaturas devem sofrer ligeira queda com a chuva, mas permanecem acima dos 35°C.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.