Clique aqui e veja as últimas notícias!

TOQUE DE RECOLHER

Prefeito afirma que restrições diminuíram internações por acidentes

Marcos Trad disse que maioria dos acidentes ocorre na madrugada e, por este motivo, há o toque de recolher
07/04/2021 14:08 - Glaucea Vaccari , Naiara Camargo


As medidas de restrição decretadas em Campo Grande, especialmente o toque de recolher, diminuíram as internações por acidentes de trânsito.

Afirmação foi feita pelo prefeito da Capital, Marcos Trad (PSD), nesta quarta-feira (7), durante inauguração do novo drive-thru de vacinação, no Albano Franco.

"Se você for no pronto socorro, você vai ver quantos entravam de acidente , que agora não. Então houve sim uma redução", garantiu.

Últimas notícias

"As pessoas tem que entender que dentro de um lugar de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] existem vários leitos e, nesses leitos, têm pessoas de causas naturais, que é um infarto, um AVC, um derrame, uma embolia pulmonar e a Covid e que esses nós não temos o controle. Tem os acidentes de trânsito e as tentativas de homicídio, que nós podemos ter o controle regrando alguns horários", disse o prefeito.

Ainda segundo Trad, o acidentes e tentativas de homicídio ocorrem com mais frequência no período da noite e madrugada, sendo este um dos motivos do toque de recolher, que atualmente tem vigência as 21h às 5h na Capital.

O prefeito acrescentou que durante o dia também há ocorrência de acidentes, mas que costumam ser de menor impacto e sem necessidade de atendimento por socorristas do Corpo de Bombeiros ou Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, em grande parte das vezes.

"Geralmente quem bate o carro no período matutino e vespertino, o Juizado de Trânsito resolve. Quem se acidenta geralmente entre 22h e 5h da manhã, vai para um leito de UTI por causa de diversos outros motivos".

Trad ressaltou que as medidas tomadas são para o bem da cidade e com objetivo de frear a transmissão do coronavírus, mas que a população precisa fazer a parte dela, principalmente mantendo o distanciamento social e obedecendo as medidas de biossegurança.

"Nós não aplicamos o lockdown aqui, o lockdown foi apenas em março de 2020. Para cá, ora regramos, ora flexibilizamos, dependendo do momento e da situação", explicou.

Santa Casa

No início deste mês, a Santa Casa de Campo Grande publicou um comunicado pedindo para que a população redobrasse os cuidados para prevenir acidentes domésticos e de trânsito.

"A Santa Casa de Campo Grande no atual momento de crise na saúde, na condição de único hospital a receber pacientes SUS Não-Covid em estado grave, faz um apelo público para que a população redobre os cuidados para prevenir acidentes domésticos e de trânsito, e principalmente, envolvimento em casos de agressões físicas", publicou.  

Isto porque o hospital vem enfrentado problemas para atender paciente graves que não sejam casos de Covid-19 e já não contar mais com leitos Centro de Terapia Intensiva (CTI) disponíveis.

"Precisamos deixar os leitos para pacientes com doenças pré-existentes ou que venham a sofrer intercorrências, como problemas cardiovasculares, neurológicos, respiratórios, entre outros", pontuou.

Toque de recolher

Conforme definido pelo governo do Estado, cidades com bandeira cinza (alto risco de contaminação pelo novo coronavírus), de acordo com o Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), devem obedecer ao toque de recolher das 20h às 5h. Na bandeira vermelha, a restrição é das 21h às 5h. E para municípios na bandeira laranja, das 22h às 5h.

Campo Grande está classificada na bandeira vermelha, portanto, toque de recolher é das 21h às 5h.

Durante o período de restrição, podem funcionar somente os serviços considerados essenciais, sendo transporte, serviços de fornecimento de alimentos e medicamentos por meio de delivery,  farmácias ou drogarias, funerárias, postos de combustíveis, indústrias, restaurantes localizados em rodovias e hotéis.

Em decreto válido para todo o Estado, o governo institui ainda outras medidas, como horário de funcionamento especial aos finais de semana. Para os serviços que não sejam classificados como de natureza essencial, fica permitido o funcionamento somente das 5h às 16h aos sábados e domingos.