Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SUSTENTABILIDADE

TRE-MS espera economizar R$200 mil por ano com usina de energia solar

Nona unidade pode gerar economia de até R$750 mil em Mato Grosso do Sul
10/11/2020 16:57 - Rodrigo Almeida


Com potência total de 168 KWp e previsão de economia anual de cerca de R$ 200 mil, entrou em operação nesta quinta-feira (5) a usina fotovoltaica do Depósito de Urnas do TRE-MS.

O novo prédio foi vistoriado pela concessionária de energia elétrica de Mato Grosso do Sul, que aprovou a instalação. A previsão de geração anual é de algo em torno 250.000 KWh que, considerando a atual tarifa — 81 centavos por Kwh —, atingi-se o montante de R$ 200 mil.

Essa é a nona usina fotovoltaica instalada pelo TRE-MS. Além de Campo Grande, Nioaque, Ribas do Rio Pardo, São Gabriel D’Oeste, Aparecido do Taboado, Paranaíba e Chapadão do Sul já contam com essa tecnologia.

A potência instalada em todas elas chega a 630 KWp. A previsão de geração anual é de 930.000 KWh com uma economia aproximada de R$ 750 mil ao ano.

De acordo com nota emitida pelo órgão, a adequação tecnologica “atende à Resolução TSE nº 23.474/2016, que prevê a implantação do Plano de Logística Sustentável da Justiça Eleitoral (PLS-JE), e à Resolução CNJ nº 201/2015, normativo elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que recomenda a promoção da sustentabilidade ambiental, econômica e social pelo Poder Judiciário”.

Segundo o Desembargador João Maria Lós, essa é uma medida importante. “A tecnologia promove o uso consciente de materiais, aplicando os recursos de forma eficiente e possibilitando a promoção da sustentabilidade ambiental, econômica e social no serviço público. Trata-se de uma energia limpa, que não gera degradação ambiental para a geração de eletricidade e que proporciona economia aos cofres públicos”.

 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.