Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

EM DISCUSSÃO

UCDB analisa encerramento de convênio com o SUS para a Clínica Escola; atendimentos são voltados a todo MS

Mais de 25 mil pessoas podem ser afetadas com o fim das atividades
23/10/2020 16:42 - Brenda Machado


A Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) estuda o possível encerramento do convênio com o Sistema Único de Saúde (SUS), que mantém parte dos atendimentos da Clínica Escola.

O orçamento público sustenta os serviços de fonoaudiologia, incluindo a concessão de aparelhos auditivos, e se estende para a população de todo Mato Grosso do Sul.

Também são oferecidos serviços de terapia ocupacional e fisioterapia.

Segundo informações, com o fim do convênio, que é intermediado pela secretaria municipal de Saúde (Sesau), mais de 25 mil pessoas seriam impactados.

Caso o encerramento aconteça, os pacientes devem retornar à unidade de saúde de suas respectivas cidades para fazer a regulação de uma nova vaga em outro centro.

Além da Clínica Escola, a APAE e a Fundação para o Tratamento de Deformidades Crânio-faciais (Funcraf) são os únicos outros dois locais que prestam parte dos atendimentos.

A UCDB informou que ainda está em tratativa com a Sesau para análise da questão, e reconhece que a Clínica seja uma referência estadual em Saúde.

Ainda conforme a Universidade, os estudantes não devem se preocupar, pois, qualquer que seja a decisão, o lado educacional está assegurado.

A Clínica Escola permanecerá com os atendimentos ao público voltados para a capacitação acadêmica, ou seja, os que independem do SUS.

"Em razão da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), todas as empresas e instituições sofreram alterações em sua rotina de atividades. Tal fato atingiu de forma gravemente impactante toda a economia do país, inclusive das instituições de ensino, motivo pelo qual, todos os convênios passaram a ser revistos, dentre eles, o convênio com a Sesau, ...", disse em Nota.

 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.