Clique aqui e veja as últimas notícias!

COVID-19

União Europeia começa a vacinar sua população contra o novo coronavírus

Os pacientes prioritários são moradores de asilos de idosos e profissionais de saúde. Europa usa a vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech para combater
27/12/2020 11:40 - Estadão Conteúdo


Os países da União Europeia (UE) deram início a uma campanha massiva de vacinação neste domingo (27), com aposentados e médicos fazendo fila para tomar as primeiras doses de vacina contra o novo coronavírus.

"Graças a Deus", disse Araceli Hidalgo, de 96 anos, ao se tornar a primeira pessoa na Espanha a receber uma vacina. Ela disse aos funcionários de sua casa de repouso em Guadalajara, perto de Madrid, que não havia sentido nada. "Vamos ver se conseguimos fazer esse vírus ir embora."

A região de 450 milhões de pessoas fechou contratos com uma série de fornecedores para mais de dois bilhões de doses de vacinas e estabeleceu uma meta para que todos os adultos sejam inoculados durante 2021.

Embora a Europa tenha alguns dos sistemas de saúde com melhores recursos do mundo, a escala do esforço para vacinar toda a população fez alguns países pedirem ajuda a médicos aposentados, enquanto outros afrouxaram as regras sobre quem pode aplicar as injeções.

Com pesquisas apontando altos níveis de hesitação em relação à vacina em países como França e Polônia, os líderes dos 27 países da União Europeia estão promovendo-a como a melhor chance de voltar a algo como a vida normal no próximo ano.

"Estamos começando a virar a página em um ano difícil", disse Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia que coordena o programa de vacinação, em um tuíte. “A vacinação é a forma duradoura de sair da pandemia."

Depois que os governos europeus foram criticados por não trabalharem juntos para combater a disseminação do vírus no início de 2020, o objetivo desta vez é garantir que haja igualdade de acesso às vacinas em toda a região.

A distribuição da injeção Pfizer/BioNTech apresenta desafios logísticos. A vacina usa uma nova tecnologia de mRNA e deve ser armazenada em temperaturas ultra baixas de cerca de -70º Celsius.

Além de hospitais e lares de idosos, pavilhões esportivos e centros de convenções esvaziados por medidas de bloqueio se tornarão locais para vacinações em massa.

Na Espanha, doses foram entregues por via aérea aos territórios insulares e aos enclaves norte-africanos de Ceuta e Melilla. Portugal está criando unidades frigoríficas separadas para os arquipélagos atlânticos da Madeira e dos Açores.