Clique aqui e veja as últimas notícias!

FUNDO DE SEGURANÇA

Após anunciar corte, União garante manutenção de repasse para segurança na fronteira

Secretário estadual participou de reunião em Brasília, onde foi assegurada verba de R$ 39,5 milhões
14/08/2020 13:59 - Glaucea Vaccari


Após o governo federal anunciar corte de R$ 13 milhões dos recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública para Mato Grosso do sul, o governo conseguiu garantir a manutenção da verba, em reunião em Brasília.

Repasse é para a repressão de crimes nas fronteiras de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia.

Com o corte, o Estado deixaria de receber R$ 39,5 milhões, a segunda maior fatia, e passaria a receber R4 26,4 milhões.  

Depois da apresentação da proposta que modificou os percentuais de repasse, Videira encaminhou ofício à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), pedindo reconsideração, pois o corte prejudicaria as operações realizadas pelas forças policiais estaduais.

Secretário Nacional de Segurança Pública, Carlos Paim, convocou uma reunião com o secretário e garantiu que irá manter o percentual de repasse.  

“[Paim] informou que vai responder o nosso ofício ainda hoje, assegurando a manutenção dos recursos, em contrapartida nós garantimos a manutenção e continuidade de todas as ações da Operação Hórus na fronteira do Estado com a Bolívia e o Paraguai”, disse Videira.

O secretário nacional garantiu ainda o envio de peritos para auxiliarem a Coordenadoria Geral de Perícias na expedição de laudos e exames periciais em drogas e veículos apreendidos em decorrência da Operação Hórus, do Departamento de Operações de Fronteira (DOF).

Também foi oferecido apoio, com o envio de bombeiros para auxiliarem no combate ao incêndio no Pantanal.

Acordo prevê incremento nas atividades de inteligência e capacitação de pessoal para atuar na região de fronteira, incluindo pilotos e tripulação para patrulhamento aéreo.

“Além disso, a Senasp apoiará, tanto o Mato Grosso do Sul, como o vizinho Mato Grosso nas tratativas com o Ministério da Justiça e Segurança Pública com relação ao convênio em que o Estado apura, por delegação da Polícia Federal, o tráfico de drogas”, afirmou o secretário.