Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRATAMENTO

Sem uso no interior equipamentos servirão para leitos de UTI na Capital

Secretário de Saúde afirmou que parte dos equipamentos chegou nesta manhã e restante chega amanhã e capital terá mais leitos de UTI
19/07/2020 13:23 - Daiany Albuquerque


Equipamentos que estavam guardados nos almoxarifados de secretarias municipais de Saúde do interior de Mato Grosso do Sul estão chegando em Campo Grande para que possam, junto com outros aparelhos que o Estado já tinha, montar novas vagas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na Capital.

Segundo o titular da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Geraldo Resende, parte desses aparelhos chegaram na manhã e hoje (19) e a previsão é de que mais cheguem até a segunda-feira.

“Fizemos ligações para prefeitos e prefeitas, secretários e secretárias municipais de Saúde, para que nós pudéssemos resgatar alguns equipamentos ou mesmo emprestar alguns equipamentos para a montagem de leitos de UTI na nossa Capital. Tivemos uma boa receptividade, ainda hoje já chegaram muitos desses monitores, junto com os ventiladores pulmonares que nós já temos no depósito da secretaria nós poderemos ativar leitos de UTI na Capital”, declarou o secretário.

Conforme Resende, esses aparelhos haviam sido entregues pelo governo do Estado em fevereiro deste ano às prefeituras, mas até hoje ainda não haviam sido utilizados. “Agora precisamos, enquanto não chega aqueles que nós adquirimos, para fazer com que esses leitos estejam prontos, para caso necessitemos de utilizá-los na Capital”.

Ainda segundo o secretário, nessa semana, a previsão é que mais 10 leitos de UTI na Santa Casa de Campo Grande e outros 10 no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian sejam abertos. 

No sábado a prefeitura de Campo Grande já havia anunciado contrato com o Hospital Adventista do Pênfigo para utilização de leitos clínicos e da UTI para atender da demanda de pacientes por conta da pandemia da Covid-19. O despacho foi publicado em edição extra do Diário Oficial da Capital (Diogrande). O contrato foi feito sem licitação, amparado no estado de calamidade pública.

A Capital tem 474 leitos contratualizados de uso exclusivo para pacientes com Covid-19, sendo 150 de UTI e 324 leitos clínicos, em seis hospitais públicos, filantrópicos e particulares da cidade. Ainda há 20 vagas de UTI no Hospital do Câncer Alfredo Abrão que servirão para tratamento de pacientes não Covid e as vagas do Pênfigo que, a princípio, também seguirão a mesma linha.

Conforme dados do boletim epidemiológico da SES, a macrorregião de Campo Grande tem taxa de ocupação de leitos de 84%, sendo a maioria, 44%, de pacientes não Covid-19.

INTERIOR

O secretário estadual de saúde também anunciou que 5 leitos de UTI começaram a funcionar neste fim de semana em Naviraí – a 364 quilômetros de Campo Grande. “Mais uma microrregião que tem leitos de UTI para a cidade e para os municípios que são regulados para Naviraí”.

Resende afirmou que com essa abertura, apenas a região sudoeste de Mato Grosso do Sul ainda não tem leitos intensivos para tratamento de pacientes graves com o novo coronavírus. 

“Falta agora, de todas as microrregiões, só a micro do sudoeste, na cidade de Jardim, e esperamos que nessa semana, se tudo correr bem, o Hospital Marechal Rondon possa ativar os seis leitos, já todos os equipamentos lá se encontram e nós estamos aguardando apenas a contrapartida da instituição hospitalar de colocar os recursos humanos”, contou o secretário.

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...