Clique aqui e veja as últimas notícias!

PROTESTO

Indígenas reclamam de negligência da Dsei em vacinação contra o coronavírus

Cerca de 100 indígenas estão na Dsei e exigem reunião com secretário Especial de Saúde Indígena de MS
28/01/2021 13:52 - Gabrielle Tavares


Grupo de lideranças indígenas do Estado se reuniu na manhã desta quinta-feira (28) em um protesto pacífico no Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) para reclamar da situação da saúde nas comunidades indígenas. Uma das queixas do grupo é a suposta falta de informações sobre a vacinação contra a Covid-19.

Cerca de 100 indígenas requisitaram a presença do secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, e do Secretário Especial de Saúde Indígena de Mato Grosso do Sul, Robson Santos da Silva. A Polícia Federal esteve no local para conversar com o grupo, mas alegou que não intervirá.

Na reunião, as lideranças pretendem pedir ao secretário Silva, a demissão do coordenador da Dsei, o coronel reserva Joe Saccenti Junior. 

“É um coordenador autoritário, que não dialoga com as comunidades. Em plena pandemia, invés de reforçar o atendimento as comunidades indígenas, despediu funcionários nas aldeias no momento que mais precisávamos”, relatou o integrante da comunidade Terena e vereador de Dois Irmãos do Buriti, Eder Alcântara.

Últimas notícias

Ele explicou que além do difícil acesso às comunidades, os polos de saúde que atendem as aldeias estão em situações precárias e com falta de insumos. Segundo Alcântara, agentes de saúde foram demitidos sem justificativa.

“A vacina é uma ação a nível do governo do Estado e dos municípios. Em várias regiões invés de contribuir com a parceria, a Dsei deixou a desejar. Se não fosse os municípios que têm ligação nas aldeias, talvez ela não aconteceria. Então acreditamos que até agora essa coordenação não está conseguindo administrar, porque não conhece e não sabe lidar com o povo indígena”, disse.

O coronel da reserva foi nomeado em setembro de 2020 para ocupar o cargo estava vago desde agosto do mesmo ano, quando o então ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, havia demitido Eldo Elcído Moro.

Apesar do grupo de manifestantes terem informado que a Dsei tinha contatado os secretários para a reunião com os indígenas, Geraldo Resende alegou ao Correio do Estado que não foi informado sobre o protesto, e que dificuldades na Saúde das aldeias não foi repassada para a secretaria.

“Isso é responsabilidade de Dsei. Para nós, ele [Joe Saccenti] está falando que não está faltando nada. Nós nos colocamos a disposição da Dsei para podermos de fato trabalhar em conjunto, mas em nenhum momento foi discutido a falta de insumos”.

Resende ressaltou ainda que está a disposição para receber o grupo indígena. “Estou aqui na SES à disposição, atendendo todo mundo aqui a qualquer momento indistintamente. Se eles quiserem vir aqui, é só marcar horário”, finalizou.

Estão presentes na unidade três frentes indígenas, representantes das comunidades Terena, Guarani Kaiwa e Atyguasu.

“O coordenador fez agenda com ele [secretário Silva] em Dourados e Amambai, sendo que todas as lideranças de lá estão aqui para tentar falar com ele. Região norte e sul estão reunidos pela representação, nós temos dois de cada aldeia aqui, reivindicando nossos direitos”, alegou o terena Alcântara.

O grupo disse que enquanto o secretário não chegasse na Dsei para a reunião, eles não iriam embora. A reportagem entrou em contato com o coronel reserva Joe Saccenti, mas não obteve respostas.

Assine o Correio do Estado