Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BATAYPORÃ

Vira-lata ganha cadeira de rodas

Vira-lata ganha cadeira de rodas
02/03/2011 00:00 - NOVANEWS


A solidariedade e o amor pelos animais é o que mobilizou um grupo de mecânicos de um posto , em Batayporã, quando há quatro meses um vira-lata que vive no local foi atropelado por um caminhão.

Devido o acidente, a cadela conhecida como “Neguinha” perdeu os movimentos das duas patas traseiras.

Sensibilizados, os mecânicos encaminharam a cadela para um médico veterinário que tratou da vira-lata. No entanto, para que ela pudesse voltar a andar, “Neguinha” teria que passar por uma operação que custaria cerca de R$ 1.500. “Se eu pudesse arcar com essa operação eu arcaria, mas não posso”, conta o mecânico José Carlos, de 48 anos.

Com a cadela fora de risco e sem condições financeiras para prosseguir com o tratamento, os trabalhadores não desistiram de ajudá-la e, para isso, inventaram uma “engenhoca”, com o objetivo de auxiliar “Neguinha” em seus passos.

Com alguns materiais disponíveis e várias ideias, José Carlos, também conhecido como Botinha, montou uma “cadeira de rodas” para cachorros e a adaptou na cadela.

“No começo achei que ela ia tirar, mas vi que a vontade do bichinho era de voltar a correr pelo pátio do posto e não deu outra. Foi soltar ela com as rodinhas que já começou a dar os primeiros passos, apenas com as duas patas da frente”, conta.

 

 

 

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.