Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“A Lava Jato não deu apoio a Bolsonaro. Ele não é filho da Lava Jato. A Lava Jato nunca foi amiga de Bolsonaro”

Deltan Dallagnol, chefe da Lava-Jato.
08/07/2020 05:00 - Giba Um


Walter Braga Netto, da Casa Civil, agiu como um pacificador da crise entre Paulo Guedes e Rogério Marinho. Braga foi conversar com cada um deles, com um tom conciliador até unir os dois.

Mais: o presidente também atuou na conciliação, só que Bolsonaro usou seu habitual estímulo. Chamou Guedes e Marinho para perto e sapecou: “Vocês dois, deixem essa frescura para lá”.

 

A Lava Jato não deu apoio a Bolsonaro. Ele não é filho da Lava Jato. A Lava Jato nunca foi amiga de Bolsonaro”, 

de DELTAN DALLAGNOL // chefe da Lava-Jato.

 

In – Sofás em suede

Out – Sofás em chenille

 
 

Agenda cheia

A modelo Bella Hadid, 23 anos, é uma das modelos mais requisitadas do momento. E com a flexibilidade da quarentena em muitos países grandes grifes já estão começando a retomar aos poucos ensaios para novas coleção. Bella esteve recentemente na Itália para fotografar, mas o conteúdo é mantido em segredo. Por outro lada a modelo poderá ser vista a frente de duas campanhas: para nova coleção de moda praia da Calvin Klein, onde algumas fotos foram feitas debaixo d’água, mostrando a versatilidade de Bella e para grife Helmut Lang. Apesar de ter passado grande parte do isolamento social numa fazenda com a família durante uma das sessões de fotos feitas recentemente abraçou a equipe (todos de máscaras) quebrando as orientações as organizações de saúde.

Projeto “monstrengo”

O pastor Silas Malafaia conversou nos últimos dias com o presidente Jair Bolsonaro sobre dois assuntos: a nomeação do novo ministro da Educação e o projeto de lei das fake news, que está sendo discutido na Câmara dos Deputados. O pastor é contra o projeto e afirma que o presidente vai vetar o texto. E disse que ouviu do presidente: “É um monstrengo, pastor. Se não cair na Câmara, vou vetar”. Na semana passada o Chefe do Governo havia sinalizado para apoiadores a possibilidade de vetar o projeto. A bancada evangélica, segundo Malafaia, já está se mobilizando para travar a proposta na Câmara.

 
 

Sucesso no exterior

O Dias dos Pais no Canadá é comemorado agora em julho e um dos apresentadores mais queridos e prestes a completar 76 anos, Ronnie Von foi destaque juntamente com o filho Leonardo, 33 anos na revista Wave dedicado ao público de língua portuguesa. Afastado da TV há quase um ano teve seu nome circulando na Band e garante que está negociando com uma emissora mas não pode falar nada, por enquanto. Ambos revelaram que o Canadá é um dos países que eles morariam se saíssem do Brasil. Entre tantas revelações Leo disse que seu pai influenciou inconscientemente porque “desde que eu nasci esse era o tipo de ambiente em que eu estava exposto”. Já Ronnie revelou que o principal conselho dado ao filho: “Primeiro de tudo, eu acho que ele deve ter a humildade”.

Quieto

Pessoas próximas a Junior Durski, dono da rede Madero, têm atribuído a mudança de comportamento do empresário a conselhos do amigo e ex-sócio (ele acaba de vender sua parte) Luciano Huck. Apoiador de Bolsonaro, Durski submergiu após ser apedrejado nas redes sociais ao minimizar a pandemia e dar declarações contra a quarentena e o fechamento do comércio. Para piorar, fez um discurso prometendo manter todos os empregos em sua rede de hamburguerias e, menos de um mês depois, demitiu cerca de 600 trabalhadores.

Metade

Um estudo da Instituição Fiscal Independente estima que a despesa com o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda neste ano, com as regras e prazos originais do programa, ficará em R$ 26,1 bilhões, bem abaixo dos R$ 51,6 bilhões projetados pelo governo. Confirmando-se o benefício poderá se esticado por mais dois meses, em alteração na projeção do governo para o déficit primário este ano.

 
 

Gafanhotos

A nuvem de gafanhotos não deve chegar ao sul do Brasil. Mas a ministra Tereza Cristina já tinha se movimentado para garantir uma eventual dotação orçamentária. A ministra sabe que está concorrendo com a pandemia na disputa de verbas e ainda bem que os gafanhotos deverão seguir outros caminhos. Mais: Tereza Cristina já identificou outra nuvem de gafanhotos, vindo de seu próprio partido, o DEM, para derrubá-la da Pasta da Agricultura.

Facultativo

O TSE estudará, em agosto, uma forma de evitar que quem não comparecer por ter temor da Covid-19 seja obrigado a pagar multa. O código atual, de 1965, dispõe que “o eleitor que deixar de votar por incorrer em multa de três a dez por cento sobre o salário mínimo da região”. Dessa forma, a pandemia pode contribuir para que o voto deixe de ser obrigatório, uma polêmica que se arrasta desde a instituição de sua obrigatoriedade em 1932. 

QUASE

Há quem aposte que o rompimento entre Bolsonaro e Olavo de Carvalho, ex-astrólogo e ex-guru da extrema direita brasileira, está com os dias contados. Ele tem recusado indicações para Educação, passando por Carlos Decotelli e Renato Feder. Mas, rompimento mesmo se acontecer, será quando Ernesto Araújo for demitido do Ministério das Relações Exteriores. Quem está por dentro, acha que ele não chega na posição até o final do ano.

Antiga marca

Lideranças que também querem presidir o Senado têm defendido a volta dos trabalhos presenciais. Segundo muitos, Alcolumbre está jogando sem concorrentes. Uma ala do MDB, ligada a Renan Calheiros, acha que é o momento de mostrar que o presidente não tem condições de representar o legislativo, caso a crise institucional se aprofunde. Os mais críticos lembram, em tom jocoso, que mesmo tendo subido de patamar, Alcolumbre ainda atua como “vereador de Macapá”.

MENOR

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, admitiu, na rádio Bandeirantes, dificuldades de previsões econômicas diante da pandemia e dos “custos de várias cidades, vários estados parados”. Mas, aposta que a crise será menor do que previam analistas catastróficos, que apontam para até -9% e a redução da economia será 4,7% a 6,5% este ano. Acha que o país tem condições de se recuperar: “O importante é sabermos o norte”.

Rumo ao Nordeste

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, quer ser o grande condutor da cruzada de Jair Bolsonaro em direção ao Nordeste. Ele é o principal canal de interlocução entre o Planalto e os governadores nordestinos. Marinho é defensor de que o presidente faça uma caravana pela Região, com inaugurações de obras. É agenda de curto prazo: a ideia surgiu no período que ainda resta da concessão do “coronavoucher”.

Estilo Weintraub

O novo secretário da Cultura Mário Frias, resolveu tuitar em apoio ao ministro Tarcísio Freitas, da Infraestrutura, que havia comunicado a assinatura do contrato de concessão da rodovia BR-101. Só que cometeu um tropeção no estilo do ex-ministro de Educação, Abraham Weintraub e escreveu agradece com “ç”. Depois de várias críticas apagou o tweet e aí novas críticas. Uma usuária escreveu” Que feio, excluiu o post do ‘agradeçe’”. Só que desta vez Frias resolveu responder: “Feio é apoiar ladrão”.

Hábitos

Com a pandemia muitos brasileiros começaram adquirir hábitos que pretendem continuar mesmo com o fim do isolamento social, segundo pesquisa feita pela Kantar. Dos entrevistados 63% continuarão mantendo o hábito de higiene (lavar as mãos e uso do álcool gel), 54% continuarão comendo de forma mais saudável, 50% focarão no seu desenvolvimento pessoal, 47% continuarão a passar mais tempo em suas residências, 46% continuaram comprando de maneira on-line, 38% manterão o hábito da leitura, 38% querem se manter em trabalho home office e 28% continuarão usando a mídia de forma online.

MISTURA FINA

- AINDA sobre a pesquisa Kantar: 74% dos entrevistados continuaram seguindo recomendação do distanciamento social evitando lugares lotados e 26% irão frequentar os lugares independente se tiverem lotados ou não. 

- A PANDEMIA vem tendo um efeito colateral positivo sobre o Judiciário. Nos últimos três meses, mais de 13 mil processos transitaram entre STF e a PGR – o dobro do volume verificado entre março e junho de 2019. Resultado das videoconferências do Supremo e dos despachos virtuais de parte a parte.

- BOLSONARO acenou ao novo secretário da Cultura, Mário Frias, como a possibilidade de ingerência sobre verbas de grandes estatais como Banco do Brasil e Caixa Econômica. Tem jeito de ser mais uma promessa vazia do Capitão, que fez a mesma coisa com Regina Duarte e não saiu nada. Aliás, quem saiu foi ela. 

- ROBERTO Jefferson, comandante do PTB, dinamizou os planos do ex-senador Delcídio do Amaral de concorrer à prefeitura de Campo Grande (MS), Jefferson e Delcídio já foram mais afinados quando um era delator do mensalão e outro, presidente da CPI dos Correios, criada para apurar denúncias. 

- O TRIBUNAL de Justiça de São Paulo começou a migrar seus milhares de processos para o Sistema Eletrônico de Execução Unificado, plataforma criada pelo CNJ para centralizar dados de execução penal em todo país. Ou seja: Judiciário e órgãos policiais passarão a ter acesso a informações da maior população de condenados do país, algo em torno de 300 mil nomes. 

- DAMARES Alves vai levar a Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, presidentes do Senado e Câmara, uma proposta de mudança da Lei Maria da Penha, com penas ainda mais duras para caso de feminicídio. A pandemia fez disparar índices de violência contra a mulher no Brasil.

- AS mudanças na Casa Civil e na Fazenda foram apenas um aperitivo. O governador Wilson Witzel prepara ampla reforma de seu secretariado. Vai ter cargo para todos os gostos sobre o balcão da Alerj, uma tentativa de Witzel de brecar o processo de impeachment que corre na Casa.

- O MINISTRO do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, parece ter o corpo fechado. Oito meses se passaram desde o pedido do MPF e o Supremo não decide se ele vira ou não réu por causa do suposto esquema de candidaturas laranjas do PSL.

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!