Colunistas
CLÁUDIO HUMBERTO

“A partir do ano que vem, vai ver uma melhora”

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, sobre a inflação no Brasil

Cláudio Humberto

28/11/2021 07:00

Especialista não vê variante como risco ao Brasil

A nova variante da covid que surgiu na África do Sul tomou o noticiário ameaçando um novo “pior momento da pandemia”, mas, até o fim da semana, havia menos de 100 casos registrados. 

Ainda assim, o doutor em genética Alessandro Ferreira disse, em evento a investidores, que a variante representa menor risco para o Brasil devido à proximidade genética com a P1, que assolou Manaus e se espalhou pelo país.
Pouco risco

Segundo Ferreira, os efeitos da contaminação por uma variante tão semelhante são geralmente assintomáticos ou com baixa gravidade.

Modelo mundial

Fator importante para dar certo alívio ao Brasil é a grande cobertura vacinal do Brasil, com 77% da população vacinada e 62% imunizada.

Viva o SUS

O doutor em genética também lembra que o manejo e tratamento dos pacientes com covid melhorou muito e ajudou a reduzir a mortalidade.

Males para o bem

A variante delta também foi vista como uma grande preocupação, mas a mesma proximidade genética à P1 “salvou” o Brasil de efeitos piores.

Queda no preço do petróleo desafia a Petrobras

A queda súbita no valor do petróleo desafia a confiabilidade da política de preços e lucros da Petrobras. A estatal promove aumentos sucessivos nos preços dos combustíveis justificados pela “alta” no mercado internacional do petróleo. 

Mas na semana passada, após notícias sobre o surgimento de uma nova variante do coronavírus, despencou o valor do barril de petróleo no mercado internacional.

E a gasolina?

Só na sexta (26) o barril Brent fechou em queda de 11,3% a US$72,91. O valor do WTI caiu ainda mais (13%) fechando a US$68,17.

Explica

Outra desculpa da Petrobras para explorar o bolso do brasileiro é a dolarização dos preços do petróleo. Mas a queda também é em dólar.

Ei, você aí

Rápida nas decisões que aumentam seus preços e seus lucros, a Petrobras se fingiu de morta com as notícia sobre queda do petróleo.

Pedala, Pacheco

Projeto de resolução que amplia a transparência nas emendas de relator pode ser votado por deputados e senadores nesta segunda. O problema é Rodrigo Pacheco, o presidente roda presa do Congresso.

Candidato é que decide 

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, tem falado com desenvoltura sobre uma discussão para a qual não será convidado: eventuais alianças com outros candidatos a presidente.

Tirambaço no pé

Todos os municípios governados pelo Rede, de Randolfe Rodrigues (AP), relator da CPI, receberam recursos das “emendas secretas” do relator em 2020 e 2021. O senador comemorou a suspensão da grana.

Biruta de aeroporto

Cerca de 81% dos municípios governados pela oposição (PDT, PSB, PT, PCdoB, Psol e Rede) já receberam recursos das “emendas do relator”, este ano, suspensas pelo Supremo a pedido... da oposição.

Coronalovers

O deputado Luiz Lima (PSL-RJ) desconfia que há jornalistas “felizes” com a nova variante. “Ainda não há informações seguras, mas já estão tocando o terror com uma indisfarçável ponta de satisfação”, disse.

Reflexo duradouro

Ao citar a nova linha férrea, novo píer e ampliação de cais em Santos, o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) confirmou R$ 600 milhões investidos para aumentar capacidade do maior porto do continente.

Mandando bem

Além dos grãos, a exportação de aves e suínos deve bater recorde de exportação. Segundo a Conab, a expectativa é crescer 3%, para 10,9 milhões de toneladas, “sem prejuízos ao abastecimento interno”.

Chifre em cavalo

A Black Friday pode não ter garantido preços menores, mas fez proliferar uma discussão sobre o uso da expressão “Black”, vista pelos abestados da lacrolância como expressão “racista”.

Pergunta na narrativa

Se Bolsonaro é genocida, Putin e Obrador são meio genocidas e Biden é genocida e meio?

PODER SEM PUDOR

Microfone aberto

O então senador Cristovam Buarque (PDT-DF) criticava novamente Renan Calheiros, quando seu microfone ficou mudo e ele parecia não perceber. Tião Viana (PT-AC), que presidia a sessão, avisou: “O problema está no microfone.” 

O então líder do governo do PT, Romero Jucá (PMDB-RR), sem perceber que seu próprio microfone estava aberto, murmurou: “...ou no assunto”.

Assine o Correio do Estado