Clique aqui e veja as últimas notícias!

GIBA UM

“A tecnologia avança para nos fazer trabalhar mais, a verdade é essa. É uma máquina de fazer doido”

do médico DRAÚZIO VARELLA // 77 anos, que é contra o home office.
15/12/2020 05:00 - Giba Um


Até mesmo a pequena Honduras (9,5 milhões de habitantes, PIB de US$ 49 milhões e renda per capita de US$ 5,8 mil) vai começar a vacinação de sua população ainda esta semana com imunizante russo.

Mais: na capital, Tegucigalpa, as doses da vacina russa Sputinik começaram a ser aplicadas. Muitos podem dizer que a vacina russa não é segura, mas toda a família real de Dubai foi imunizada com ela.

In – Rúcula

Out – Brócolis

 
 

Sexo é energia”

A atriz Bruna Marquezine, 25 anos, fora da TV desde 2018, por opção e sem contrato com a Globo poderá ser vista o ano que vem na série Maldivas na Netflix atuando ao lado da amiga Manu Gavassi. 

Enquanto isso não acontece, ela vem aproveitando a cada momento. Dividiu com os fãs sua transição capilar e até abriu um canal no YouTube. Em entrevista à revista Ela, Bruna abriu o coração, falando da carreira, projetos e até sexo, onde faz uma revelação. 

“Sexo é a maior troca de energia entre seres humanos. Não transo só pelo prazer. Se for por isso, tem outras maneiras de se satisfazer sozinha. Não consigo banalizar. Escuto muito isso: “Ser solteiro está foda!”. 

Eu falo: “Gente, estamos em 2020, ninguém tem um vibrador?”. Sei que é delicado falar, não gosto de ficar escancarando a minha vida sexual..”. 

Mais: negou ser uma pessoa perfeita: “Não sou modelo para ninguém. Sou só mais uma mulher de 25 anos, trilhando o seu caminho, aprendendo diariamente como lidar com tudo isso. 

Eu acho que ajudo muito mais quando falo sobre depressão do que quando estou de bonita no meu Instagram”.

Procurando alternativas

O governo procura ainda uma saída para viabilizar a um custo menor, o auxílio emergencial no caso da segunda onda de covid-19 tornar-se uma ameaça de grandes proporções. 

A ideia seria subir a ajuda ao Bolsa Família, em valor e número de beneficiados mais modestos do que os demandados, ainda que comparativamente em um diferencial bem expressivo. 

Até aí, nada de novo. A pressão pela política compensatória tanto no valor dos benefícios, quanto ao número de beneficiário, não parará. 

A novidade seria constitucionalizar a Bolsa Família. Hoje, o governo (ou qualquer governo que assuma) pode fazer o que quiser com o benefício. 

Manter, elevar e até reduzir o valor do bolsa. É politicamente difícil mexer no auxílio familiar, mas é legalmente possível. 

A decisão de proteger na Constituição e aumentar o número de recebedores, assim como o numerário do Bolsa Família, teria um forte impacto político. 

A iniciativa seria capaz de aliviar a pressão pelo pagamento de mais ou menos R$ 300 a título de um auxílio assistencial cujo fim é uma incerteza. 

A plasticidade da Constituição como sempre pode ser uma solução. No mais, seria uma medida de justiça social, conjugada com ajuste fiscal.

 
 

Reta final

A atriz Nathalia Dill está na reta final de sua gravidez. Dividiu alguns momentos de sua gestação com seus fãs nas redes sociais. Gravida de uma menina que se chamará Eva, mostrou que ter animais domésticos não é (e não será) um problema durante a gravidez. 

Apaixonada por gatos, seu último ensaio para mostrar a evolução da gravidez foi feito com seus dois felinos. 

E brincou: “Eva, Nicolau e Amelie!”. Em entrevista confessou sua ansiedade. “Está sendo um momento muito especial e maravilhoso na minha vida. Não vejo a hora de ver a carinha da Eva”. 

Impostos

Bolsonaro vai zerar impostos para importação de armas a partir de 1º de janeiro. Nesse caso, o presidente não surpreendeu. Agora, muitos reclamam se não seria o caso de zerar as alíquotas para seringa, já que os produtores locais dizem que não conseguem entregar o que o país precisa para a vacinação contra a covid-19.

Com a redução do imposto, as indústrias poderiam produzir mais. A Taurus não fala nada: finge que o assunto não é com ela.

 
 

Ministério

O deputado Rodrigo Maia chegou a respirar fundo quando emissários de Bolsonaro o avisaram, há dois meses, que o Chefe do Governo estava pronto para lhe entregar um ministério. 

Poderia ser uma forma de agradecer ao presidente da Câmara por fazer nada com os mais de 30 pedidos de impeachment que recebeu. Na época, Paulo Guedes vetou Rodrigo num hipotético Ministério do Planejamento.

Tentativa

Antes de Marcelo Álvaro Antônio ser exonerado do Ministério do Turismo, houve uma tentativa de reconciliação, no gabinete do próprio Bolsonaro, que queria ver ele e Luis Eduardo Ramos fazerem as pazes. 

Nada feito: em pleno gabinete, Luis Eduardo levantou a voz, quase partiu para cima de Marcelo e a reunião acabou, com a entrada de dois seguranças na sala devido a gritaria do titular da Secretaria do Governo, que não quis saber de “desculpas”.

BOM CONCEITO

Sem holofote o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) mantém o bom conceito que Bolsonaro tem do seu desempenho. Entregou um trecho de 27 km da BR 116, no Sul, duplicado pelo 1º batalhão de Lages (SC). 

Há quem diga que Tarcísio é o novo alvo das críticas de Paulo Guedes, além de Rogério Marinho. Resultados não fazem parte do cotidiano do titular da Economia.

Sem recesso

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), que pode ser candidato à presidência do Senado, criticou a postura do Congresso sobre o tradicional recesso. Ele acredita que com tantas pautas paradas o recesso deveria ser suspenso. 

“O fim do ano vem aí, mas não podemos pensar em recesso. Estamos trabalhando em casa, não faz sentido ir pra casa. O vírus não faz recesso. 

Já perdemos 180 mil vidas e não existe vacina, nem plano, nem prazo. Precisamos resolver o Fundeb, o auxílio emergencial, o Orçamento e o déficit fiscal de quase 1 trilhão”.

NOVO ROUND

Ameaça do governo federal aventada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado, de confiscar vacinas compradas por estados (leia-se: São Paulo) pode representar uma tentativa muito desgastante de dar um giro 180 graus na política para vacinação, de maneira a manter o protagonismo do Planalto. 

Os analistas dizem que levando-se em conta os sinais de falta de planejamento transmitido até agora, a probabilidade maior é de que a medida resvale no autoritarismo e seja barrada judicialmente, além de contestada por outros governadores e prefeitos.

Caiado vs. Doria

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, está abrindo fogo contra João Doria por tentar dividir o “país entre Brasil com vacina e o Brasil sem vacina”. 

E acrescenta achar a atitude do governador paulista de “uma insensatez e arrogância ímpares” em relação aos demais governadores. Caiado também lembra que há 47 anos uma lei federal que atribuiu ao Ministério da Saúde o comando de iniciativa nacionais de vacinação.

Outra imagem

O prefeito reeleito de São Paulo, Bruno Covas, vai anunciar toda a equipe do primeiro escalão antes da posse, possivelmente na última semana do mês. 

Ele vai reformular o desenho de seu novo governo. O número de secretarias será reduzido, mas haverá mulheres e negros no primeiro escalão, como o prefeito prometeu na campanha. 

Covas, em 2018 herdou a prefeitura do hoje governador João Doria (PSDB), não fez reformulações estruturais administrativas na época. Agora, quer dar a sua cara ao governo. 

O movimento de autonomia do prefeito coincide com a chegada ao poder de uma nova geração do PSDB. Hoje, o prefeito tem a mesma faixa etária de outros prefeitos, entre 40 e 45 anos. 

MAIA AIR

Desde que tomou posse, Rodrigo Maia já totalizou 864 voos. Agora, a proximidade de acabar com a mordomia dos jatinhos da FAB é um dos fatores da irritação do presidente da Câmara. 

Só em 2019, Maia realizou 250 voos com jatinhos, número maior do que os dias uteis na Câmara. Em 2018, foram 198. Fora Brasília o destino predileto de Maia este semestre foi para São Paulo. 

Para o Rio, foi 18 vezes. Além do presidente da República, presidentes da Câmara e do Senado, mais o STF, além de ministros e chefes militares podem requisitar jatinhos da FAB.

 

MISTURA FINA

  • AGORA, sabe-se que o ex-ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi injusto ao canalizar toda sua raiva para o general Luiz Eduardo Ramos. Mais do que Ramos, foi Arthur Lira, candidato à presidência da Câmara, que passou os últimos dias oferecendo a pasta do Turismo para o centrão – com devida anuência de Bolsonaro. A disparada dos casos de feminicídio no Brasil desponta com o novo conflito entre ONU e o governo Bolsonaro. A ONU Mulher, divisão das Nações Unidas, prepara-se para soltar um comunicado cobrando do Brasil ações mais duras para coibir a violência contra a mulher.
  • BOLSONARO ainda pensa em transformar a baia de Angra dos Reis numa “Cancún brasileira”. A proposta é acabar com um dos lugares mais conservados do planeta, com a estação ecológica e a APA dos Tamoios, chamar investidores para erguer hotéis e resorts na área. Não vai prosperar: ainda tem gente no governo capaz de não acreditar nessa medida e investidores estão distantes da ideia.
  • O DEPUTADO Kim Kataguiri (DEM-SP) ironizou os pedidos de doação que Guilherme Boulos fez para pagar “contas pendentes de campanha”. “Usando dinheiro público ele ainda conseguiu ficar devendo. Imagine o que ia fazer com a prefeitura?”, perguntou o deputado.
  • O MINISTRO Ricardo Lewandowski, do Supremo determinou no domingo que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentasse, dentro de 48 horas, uma previsão de início e término do plano de imunização contra o novo coronavírus.
  • O AINDA prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) se casou numa cerimônia bem discreta na casa dos pais com Mariana Barreto. Foi uma cerimônia curta com poucos convidados (nenhum político) seguindo as recomendações dos órgãos de saúde para combater o coronavírus. ACM Neto e Mariana estão juntos oficialmente desde 2019 e ele já foi casado, numa relação que durou 8 anos.
  • OS Correios arrecadaram R$ 1,6 milhão em leilão de veículos bem usados. Parece muito, mas é pouco no déficit da empresa que, durante anos, no passado, tanto orgulhou o Brasil