Colunistas
GIBA UM

“Qual é a vantagem minha e do Alckmin? É que já sabemos sentar na cadeira”

de LULA // pré-candidato ao Planalto, em jantar de empresários, dizendo que ele e o ex-governador estão prestes a completar bodas.

Giba Um

04/07/2022 05:00

O PT pretendia gastar até R$ 200 milhões com a candidatura de Lula. A decisão do TSE, contudo, foi de corrigir o teto de gastos com base no IPCA, que mede a taxa da inflação, calculada em 26% dos últimos quatro anos

Mais: Agora, o partido resolveu que vai investir R$ 132 milhões, permitidos, bem acima dos R$ 39 milhões usados por Fernando Haddad em 2018. Pela aliança total, Lula contará com R$ 1,2 bilhão.

In – Férias: montagem de quebra-cabeça

Out – Férias: fabricação de slime

Simbólica

A nomeação de Daniella Marques, “braço direito de Paulo Guedes”, indicada pelo próprio ministro da Economia, era uma medida simbólica exatamente por ser mulher, em meio às denúncias de assédio das funcionárias da Caixa. 

Guedes, por sinal, vivia incomodado por Guimarães, malgrado tenha sido ele que o levou para trabalhar no ministério, em sua equipe, porque Guimarães vivia dizendo ser o mais cotado para substitui-lo num novo governo Bolsonaro. 

Além disso, ele vivia sonhando em ser escolhido para vice da chapa do presidente à reeleição – e jamais foi sequer cogitado.

MILHO PARADO

O que era para ser um dos maiores investimentos do agronegócio no Mato Grosso do Sul virou caso de Justiça. O governo do estado vai acionar a chinesa BBCA. A empresa recebeu incentivos fiscais em contrapartida à construção de um complexo industrial de processamento de milho em Maracaju, investimento orçado em R$ 1 bilhão. 

O projeto, contudo, virou fumaça: as obras estão praticamente paralisadas há seis anos. 

Descontrolado

Nos últimos dias, jornais e emissora de rádio e televisão exibiram áudios de Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa, mostrando como o executivo constrangia seus subordinados, com xingamentos e uso recorrente de palavrões. 

E se cometia assédio sexual com funcionária, avançava em assédio moral contra os homens, chegando a ameaçar todos de demissão caso não fosse obedecido. Por outro lado, Guimarães contava lembranças da família, do pai contaminado com o vírus da Aids – e chorava em público.

LATINHAS PRÓPRIAS

Quando foi secretário de Educação do governo Geraldo Alckmin, Gabriel Chalita (ele voltou a circular com o ex-governador paulista e vice de Lula), para dar uma mão ao ministro Paulo Renato (Educação) que bateu boca com a então prefeita Marta Suplicy, a atacou dizendo que ela mantinha cinquenta “escolas de latinha”, em calorentas instalações de metal. 

Um assessor resolveu cutucá-lo na frente de todos: “O governo do Estado tem 200 escolas como essa, secretário”.

Ainda a mídia

Cada vez que é perguntado sobre a chamada “regulamentação da mídia”, o ex-presidente Lula dá uma versão. Agora, garante que atingirá apenas rádio, televisão e internet e “quem vai regular o funcionamento desses veículos de comunicação será a sociedade brasileira”. 

E emenda: “Jornal e revista são problemas do dono: faça o que quiser, escreva o que quiser. Mas, sobre a mídia, que é uma concessão do Estado, vamos colocar a sociedade para discutir”.