Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“É difícil privatizar porque os poderes constituídos nesses 30, 40 anos não querem"

Salim Mattar, ex-secretário da Desestatização sobre a provatização
14/08/2020 05:00 - Giba Um


Pesquisa feita pela ConVid realizada pela Fundação Oswaldo Cruz em parceria com a UFMG mostrou que houve um aumento de 63% de pessoas entre 18 e 29 anos no consumo de chocolates durante a pandemia. 

Mais: o aumento do consumo foi ligado diretamente ao estresse causado pela pandemia, porque o alimento estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela regulação do sono e do humor.

 

“É difícil privatizar porque o establishment constituído nesses 30, 40 anos, o Judiciário, o Executivo, sindicatos, servidores públicos, fornecedores de estatais não querem”, 

de SALIM MATTAR // ex-secretário da Desestatização.

 

In – Tênis monocolor

Out – Tênis multicolor

 
 

Mais uma vez Bruna

A atriz Bruna Marquezine, que acaba de completar 25 anos, está mais uma vez a frente da campanha da Intimissimi, no qual é embaixadora no Brasil. Com fotos que mostram a primeira coleção eco-friendly (a algo que não causa danos socioambientais ou tem impactos reduzidos em comparação a um produto), da marca, mostra que está em plena forma. Afastada da TV desde 2018 e o com o fim do contrato com Globo tem se dedicado mais campanhas publicitárias. Ela garante que não está preocupada com os padrões de beleza. “Não vejo problema em buscarmos a nossa melhor versão desde que sua prioridade seja saúde. Eu enxergo a beleza como um estado de espírito. As pessoas mais atraentes que eu conheci não faziam parte do padrão imposto pela sociedade: elas tinham amor próprio”. E completa: “Não deixo de comer o que eu quero”.

Pedaço de terra

A bancada ruralista costura com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a votação até outubro do polêmico projeto de lei 2.963/2019, que autoriza a compra de terras por estrangeiros. A ministra Teresa Cristina também participa da articulação. A proposta está pendurada no Congresso desde o ano passado. Agora, no entanto, a pressão dos produtores rurais e proprietários de terra é proporcional à fervura do mercado fundiário e à expectativa de surfar na alta dos preços dos ativos. O solo brasileiros está bastante cobiçado. Em Mato Grosso e Goiás, o preço médio do hectare subiu 25% desde janeiro, notadamente em áreas de plantio de soja e milho. Em algumas regiões, como nos municípios de Sorriso e Lucas do Rio Verde, importantes regiões produtoras de milho e soja, há mais comprador do que vendedor e falta terra para tamanho apetite. Mesmo empresas brasileiras do segmento de propriedades agrícolas, como Brasil Agro, batem tambor pela aprovação do projeto, já vislumbram uma valorização ainda maior de seus ativos.

 
 

Outra realeza

Parece que cada família real de comporta de um jeito. Ao contrário da família real britânica, a holandesa não gosta de se meter em brigas ou polêmicas. A prova disso é que, no final do mês passado, a revista Caras argentina em sua capa chamou a princesa Catarina Amália filha mais velha do Rei holandês Willem-Alexander e da Rainha Máxima, nascida em Buenos Aires, de Plus Size. Mas parece que a menina de 16 anos não se importou muito e por enquanto sua família não mencionou em nenhum momento processo contra a publicação.

Agressivos

A legislação atual tem alguns problemas. Investidores estrangeiros costumam se associar a investidores locais para transpor as restrições impostas pela legislação em vigor. Não por acaso, hoje um dos traders mais agressivos na compra de terra no país seria a trading chinesa Cofco. As amarras, no entanto, impedem a entrada de players como gestores do investimento, fundos de pensão internacionais ou mesmo fundos soberanos.

 
 

Em campo

O secretário da Cultura, Mário Frias, acaba de se reunir, por videoconferência com grupos de artistas como Gilberto Gil, Milton Nascimento, Paula Fernandes e Frejat. Além de representantes de entidades como Ecad e UBC. Em discussão, projeto de lei em pauta na Câmara que tratam da questão de direitos autorais e que, segundo os artistas, podem ter consequências drásticas na vida dos autores.

Gasto pessoal

Uma reforma administrativa que enxugue o número de cargos e carreiras, amplie o número de celetistas em detrimento dos estatutários e condicione garantia do emprego, progressões e promoções no cumprimento de metas e à avalição do desempenho, atingindo não apenas os que entram, mas também os que já estão. São premissas para uma reforma administrativa capaz de reduzir a despesas de pessoal do Estado brasileiro que, no ano passado, se aproximou de R$ 1 trilhão. O número exato contempla os gastos dos três Poderes na União, Estados, municípios e estatais, foi de R$ 928 bilhões, o equivalente a 13,7% do PIB. É um dos dez países que mais gastam no planeta com pessoal, em proporção do produto.

LIGAÇÕES

A importância do ex-secretário Edmar Santos para Wilson Witzel ia muito além do perímetro da Pasta da Saúde. Investigado por suspeita de comandar um esquema de fraudes em licitações, o oficial da PM aproximou Witzel da Polícia Militar. E foi também responsável por encurtar distâncias entre Witzel e determinadas comunidades durante a campanha eleitoral.

Divergências

Nas últimas semanas, três ministros do STF adotaram três posições diferentes diante da possibilidade de juízes de primeira instâncias determinarem buscas em gabinetes de deputados e senadores. As divergências das manifestações preocupam a PGR por trazer insegurança jurídica e abrir brechas para questionar investigações. E não há previsão para que o STF discuta o tema em plenário.

JÁ COMPARTILHOU

A força-tarefa da Lava Jato se recusa a ceder suas informações à própria chefia da Procuradoria Geral da República, mas não faz muito tempo solicitou e obteve o compartilhamento do sistema usado pela Odebrecht para pagamento de propina (“operações estruturadas”) que estavam sob custodia da repartição chefiada por Augusto Aras, conforme previa o acordo de leniência negociado com a empreiteira baiana.

Empresta mais

Os bancos privados assumiram o protagonismo nas concessões de crédito na pandemia. Dados do BC mostram que, de 16 de março a 31 de julho, os maiores bancos privados concederam R$ 573,5 bilhões em dinheiro vivo, renovação e rolagens de contratos ante R$ 331,5 bilhões liderados pelas estatais. Fazem parte do grupo Itaú-Unibanco, Bradesco, Santander e BTG Pactual.

Até galhofa

Os secretários da Desestatização, Salim Mattar e de Desburocratização, Paulo Uebel, combinaram de deixar o governo juntos. Eles reclamavam que as privatizações e a reforma administrativa não saem do papel. O principal motivo é a falta de interesse de Bolsonaro. Paulo Guedes anunciou um plano radical de redução do Estados, passou um ano e meio e ele não entregou quase nada do que prometeu. Algumas de suas propostas, como zerar o déficit público em um ano e arrecadar R$ 1 trilhão com a venda de imóveis públicos viraram galhofa.

AGORA SABE

Empresário de sucesso (Localiza), o ex-secretário de Desestatização e Privatização, Salim Mattar, sai do governo sabendo que Rodrigo Maia fala nas palestras sobre privatizações, mas é ele que as inviabiliza na Câmara. Sabe também que o governo não nos obriga a sustentar apenas 134 estatais, mas 698, quase todas emprestáveis e deficitárias. Ele não retornará à sua Localiza. Vai se dedicar aos Instituto Liberal.

MISTURA FINA

- O EX-secretário de Privatizações, Salim Mattar contou a orientação que recebeu do presidente Jair Bolsonaro no começo do governo: “À exceção da Caixa, Banco do Brasil e Petrobras, pode privatizar tudo”.

- A DIRETORIA da Aneel deverá referendar o pedido de suspensão do reajuste das tarifas da Cemig, feito pelo governador Romeu Zema. O aumento foi autorizado pela própria agência. Os mineiros agradecem.

- A CONAB está anunciando uma projeção para a safra de grãos de 2019-2020 da ordem de 253 milhões. Será quase um milhão a mais do que a estimativa anterior, de junho. As condições climáticas, especialmente do Sul, não causaram perdas inicialmente esperadas. É o Brasil que dá certo.

- PCdoB (Flávio Dino) e PSB (Carlos Siqueira) cogitam uma aliança para disputar as eleições em três capitais do Nordeste, a começar pelo Recife. Há quem diga que é quase uma prévia do possível M&A (fusões e aquisições) entre os dois partidos. 

- ROGÉRIO Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional e ex-assessor de Paulo Guedes, saiu da equipe e montou, com os militares, o programa Pro-Brasil. Agora, Paulo Guedes quis incorporar o programa (pode dar certo) nas suas realizações. Não só Marinho deu um salto: o próprio Bolsonaro disse que uma coisa é uma coisa, outra coisa e outra coisa.

- O DEPUTADO Ricardo Barros (PP-PR) é o novo líder do governo na Câmara substituindo Vitor Hugo (PSL-GO). É mais um gesto de aproximação com o Centrão do presidente Bolsonaro. Barros foi ministro da Saúde no governo Temer. Detalhe: ele havia sido pensado para o Ministério da Saúde, mas avisou logo que não toparia.

- LEVANTAMENTO da Fecomércio-SP mostra que, do total de R$ 190 bilhões liberados pelo auxílio emergencial contra os efeitos da pandemia no Brasil, R$ 151 bilhões tiveram como destino o consumo varejista.

- LEVANTAMENTO feito pela Ipsos mostra que o app TikTok é o mais comentado nos últimos tempos no Brasil. 95% dos entrevistados já ouviram falar do aplicativos. Mais: dos que abaixaram o app em seu celular somente 23% assistem e produzem seus próprios vídeos, outros 77% são usuários passivos, ou seja, preferem assistir o conteúdo produzido por outros usuários, de preferência de pessoas famosas.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!