Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“É um descalabro administrativo muito grande, que nunca vi na vida. O poço é muito mais fundo do que eu pensava”

Fernando Ferry, ex-secretário da Saúde do Rio que saiu “para não sujar seu CPF”
25/06/2020 05:00 - Giba Um


Hoje, uma em cada sete pessoas no mundo tem alguma deficiência. E aproximadamente 70 milhões de pessoas no mundo necessitam de tecnologia assistiva, como cadeira de rodas.

Mais: só que apenas de 5% a 15% delas, em média, tem acesso a esse recurso. A acessibilidade facilita a inserção em serviços de saúde e inclusão social. Dados da Bioética, do Conselho Federal de Medicina.

 

É um descalabro administrativo muito grande, que nunca vi na vida. O poço é muito mais fundo do que eu pensava”, 

de FERNANDO FERRY // ex-secretário da Saúde do Rio que saiu “para não sujar seu CPF”.

 

In – Chá revelação

Out – Chá de bebê

 
 

Colhendo Frutos

Depois de sua passagem pelo Big Brother Brasil, Rafa Kalimann, quintuplicou o número de seguidores no seu Instagram, hoje quase 16 milhões e vem colhendo o fruto de seu trabalho. Além de compartilhar seu dia-a-dia nas redes sociais acaba de assinar um contrato com Globo para trabalhar como atriz. Ainda sem muito detalhes sobre seu trabalho, até por conta da pandemia, teme comparações com a também ex-BBB Grazi Massafera. “Quero que as pessoas entendam que Grazi e eu temos trajetórias de vida diferentes. Ela me inspira, mas estou começando agora a escrever minha história. Me preocupo com a expectativa, espero colher alguns frutos daqui a alguns anos”. E completa: “Sei o tamanho da responsabilidade de cada escolha que eu venho fazendo, então os meus planos agora são estudar muito, me dedicar ao extremo, fazer tudo com cuidado e carinho além de trabalhar bem a minha imagem”.

Veio para ficar

Imposto às pressas pela pandemia, o home office veio para ficar nos bancos brasileiros. Há 230 mil funcionários de instituições financeiras trabalhando em casa desde a segunda metade de março – e para uma parcela desse contingente essa será a nova realidade. Já existe a percepção de que, em muitos casos a jornada remota não é apenas econômica como tem sido mais produtiva. No Banco do Brasil, há planos de manter 10 mil funcionários de áreas administrativas em jornadas parcialmente remota. Na crise, 32 mil colaboradores têm atuado remotamente. A instituição poderá se desfazer de 15 a 20 imóveis se o plano de home office que banco tem em vista prosperar. O trabalho remoto deve ser incorporado a um conjunto de medidas que o BB já vinha adotando para melhorar a eficiência. O plano é que 30% do contingente de 32 mil funcionários permaneça dessa forma alguns dias por semana. Mas, o Banco do Brasil não deixará de lado a ação presencial para manter a cultura da instituição.

 
 

Sem preocupação

Vencedora dos principais prêmios ocorridos neste ano (Oscar, Globo de Ouro, Bafta e Critics’ Choice Awards) como atriz coadjuvante ao interpretar Nora Fanshaw no filme História de um Casamento, Laura Dern, 53 anos, está na capa e recheio de Vogue Espanha. Também cineasta e produtora de cinema ela diz que o sucesso de sua carreira se deve ao conselho dado pelo pai quando decidiu ser atriz. “Não pense no que vai receber agora, mas no que essa decisão significará para a sua carreira em alguns anos”. E ainda completa dizendo que não se importa com a opiniões dos outros. “Se eu tivesse me preocupado com o que os outros pensavam de minhas decisões, é provável que não estivesse aqui”.

Recusa de comida

Nos primeiros dois dias de cadeia Fabrício Queiroz recusou comida. Recusou café, almoço e jantar. Está preocupado com medo de sua mulher ser presa. Ficou constrangido na hora de tirar a fotografia para registro e não queria usar o uniforme dos presos de Bangu 8. Passou para cela com mais presos e acompanha tudo sobre seu caso pela televisão que fica na biblioteca da unidade. Tirou a barba, não há como conservá-la. Chora e reza – e já está comendo.

 
 

Herança

O ex-ministro Abraham Weintraub deixou como herança um verdadeiro almanaque de indicações para todos os conselhos da Educação. São sete nomes para a Câmara de Educação Básica, cinco para a Câmara de Educação Superior e outros cinco para o Conselho Nacional de Educação. Desses 17 nomes, seis são discípulos de Olavo de Carvalho. Não está contemplado nenhum militar, poucos doutores e nenhum com produção acadêmica, Weintraub cercou bem o perímetro para manter sua influência e de Olavão no Ministério.

Portfólio

Cada vez mais próximo de Bolsonaro e indicado por Olavo de Carvalho, o chanceler Ernesto Araújo conduziu a saída do Brasil de fóruns regionais como a Unasul e Celac, fechou sete embaixadas na África e no Caribe que haviam sido abertas por Lula e Dilma, mudou posições estratégicas na ONU para alinhar-se aos Estados Unidos, impôs dificuldades em negociações ambientais e privilegiou o relacionamento na Europa com dois países comandados por líderes de direita ultra conservadores (Hungria e Polônia) que críticos avaliam ser de baixíssima complementaridade com o Brasil. Resumo da ópera: o Brasil está no maior isolamento diplomático dos últimos 50 anos.

FUSÃO

Em conversa com líderes do Centrão, Jair Bolsonaro voltou a falar, com insistência na fusão dos Ministérios da Cidadania e da Família, projeto que chegou a ser cogitado no ano passado. A Pasta ficaria a cargo de Damares Alves. O problema é encontrar algum lugar para Onyx Lorenzoni, titular da Cidadania e ex-chefe da Casa Civil. Bolsonaro considera Onyx fidelíssimo, mas de pouca utilidade, fora reclamações que aliados fazem dele.

Cassação, não

Com referência à novela de Flávio Bolsonaro, há um certo “espírito de corpo”, no qual os senadores avaliam cassar um mandato como algo muito “delicado” e que pode abrir caminho para que vários outros possam virar alvo. Há também um jogo de forças que a situação impõe. Quanto mais frágil é a situação de Flávio, mais o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) ganha poder de barganha junto ao Planalto. Ele atuou pessoalmente para fazer de Jayme Campos, seu aliado, presidente do Conselho de Ética – uma prática comum na casa. José Sarney e Renan Calheiros fizeram a mesma coisa.

OPOSIÇÃO

No Ministério Público Federal já se aposta que Augusto Aras, vai afastar o subprocurador Antônio Carlos Bigonha do comando da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão, responsável por temas relacionados a grupos indígenas, quilombolas, comunidades extrativistas e ciganos, entre outros. Da ala mais progressistas do Ministério Público, Bigonha integra grupo de oposição a Aras.

Guerra do Paraguai

A pandemia matou um número maior de brasileiros do que o conflito mais sangrento no qual o país se envolveu: a Guerra do Paraguai. Provocada pela ousadia paraguaia de tentar anexar o Rio Grande do Sul, em 1865, a guerra durou cinco anos e matou 50 mil brasileiros. Do lado paraguaio, as baixas foram mais expressivas: 30 mil mortos. Até agora, são mais de 50 mil brasileiros em quatro meses.

Agora, açúcar

Se o Paraguai invade há anos, o mercado brasileiro com cigarros contrabandeados, chegou a hora do troco. O Ministério Público Federal e seu congênere paraguaio investigam o aumento de açúcar contrabandeado do Brasil para o país vizinho. A passagem se dá especialmente via Mato Grosso do Sul. Em uma única ação policial, na semana passada, procuradores do Paraguai apreenderam quatro toneladas de açúcar guardados ilegalmente em um colégio de Assunção. Era da marca Estrela, braço da francesa Louis Dreyfus.

ALIMENTOS FRESCOS

Pesquisa de consumo feito pela PMA, entidade que representa o setor de frutas, legumes, verduras e flores, apontas que 58% dos brasileiros passaram a comprar mais alimentos frescos e 56% passaram a consumir mais frutas durante a pandemia. Mais: 79% dos entrevistados estão preocupados mais com a limpeza dos alimentos e 54% preferem comprar alimentos embalados. 73% dos entrevistados passaram a prestar mais atenção nas validades dos produtos, para evitar o desperdício.

MISTURA FINA

- O PREFEITO de Manaus Arthur Virgílio usou o Twitter para fazer novas críticas ao governo. “O Brasil nunca esteve tão mal, tão isolado no concerto internacional. Caminha para virar um Estado pária. Que pena!”. As críticas foram feitas depois da cidade zerar o número de pacientes com Covid-19 e fechar um hospital de campanha após 71 dias de funcionamento. 

- AINDA Arthur Virgílio: ele também criticou a ida do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor-executivo no Banco Mundial. “Ex-ministro Weintraub viajou de passaporte vencido para os EUA para assumir diretoria do BIRD, ele que faliu o Banco Votorantim. Bom pra nós e ruim para o Bird. Weintraub não nos faz falta nenhuma”.

- PAULO Skaf tem certeza de que já levou. Conta com apoio suficiente de sindicatos do interior para garantir mudança de estatuto da Fiesp e concorrer, ou melhor, ser aclamado para o quinto mandato à frente da entidade.

- NAS contas da Casa Civil, até o final do ano, o governo Bolsonaro terá 16 vagas para preencher no primeiro e segundo escalões das agências reguladoras. O Centrão já está de garfo, faca e guardanapo à espera do banquete.

- O CELULAR de Fabrício Queiroz está trepidando nas mãos dos procuradores do MP-RJ. Há quem aposte que há fartas citações aos seus patrões e coordenadas acertadas com sua mulher.

- O SITE de busca Google estuda fechar seus escritórios no Brasil e adotar definitivamente o regime de home office a partir do ano que vem. A empresa, à propósito, já estendeu sua quarentena até dezembro.

- A DIREÇÃO do Jockey Club Brasileiro discute, muito a contragosto, a hipótese de venda de parte de sua sede, na Gávea. A sentença do STF permitindo que prefeitura do Rio tribute as apostas de corrida de cavalos foi um duro golpe para o Jockey.


- LEVANTAMENTO feito pela Paraná Pesquisas quis saber para qual destino brasileiro gostaria de viajar após a pandemia. 35,4% dos entrevistados responderam que gostariam de ir para praia, 17,3% disseram que não gostariam de ir para lugar nenhum, 13,3% para hotéis fazenda, 10% não sabem para onde, 9,7% para Exterior.

- DEMITIDO da Casa Civil do Rio por Wilson Witzel, André Moura já se apresenta como pré-candidato do PSC ao governo de Sergipe, seu domicílio eleitoral. Entre o pessoal do partido, a leitura é que Moura tenta valorizar o passe para conseguir uma vaga no governo Bolsonaro.

Felpuda


Nos bastidores, conversas, ou melhor, quase sussurros, dão conta de que compromisso assumido teria prazo de validade se acontecer a vitória de aliado.

A partir de então, o papo passaria a ser bem, mas bem diferente mesmo, pois, com acordo cumprido, novos objetivos passariam a ser fonte dos desejos, e sem nenhuma moeda de troca.

No caso, não haveria mais sequer um fio de bigode. Tipo, cada um na sua.