Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Ele é o resultado de um processo que se deu desde a cassação de uma presidenta sem crime. Agora perceberam que o troglodita que eles elegeram não deu certo”

de LULA, traçando o perfil de Bolsonaro
03/06/2020 06:00 - Giba Um


“Ele é o resultado de um processo que se deu desde a cassação de uma presidenta sem crime. Agora perceberam que o troglodita que eles elegeram não deu certo”,  
de LULA // traçando o perfil de Bolsonaro

A maioria dos países deve ter déficit público este ano. A África do Sul já prevê déficit acima de 10% do PIB, Cingapura prevê mais de 15%, projeção que também já se vê no Brasil.  

Mais: nos EUA, o Escritório do Orçamento do Congresso prevê déficit neste ano de US$ 3,8 trilhões, quase quatro vezes os US$ 984 bilhões do ano passado, atingindo cerca de 18% do PIB.

 
 

Um sonho realizado

A atriz, cantora e compositora Manu Gavassi, 27 anos, acaba de realizar um grande sonho: lançar uma coleção de roupas, sapatos e acessórios em parceria com a C&A. A coleção lançada no dia 27 de maio foi dividida em quatro minicoleção batizadas de Tamborzinho, Fada Sensata, Namastreta e Garota Ideal. Sempre ligada moda ela disse que “o mais legal foi criar uma coleção em parceria com a uma marca que de fato é acessível, que as pessoas vão poder comprar e se sentirem bem no dia a dia, essa era a minha maior preocupação!”. Manu que também é escritora lançou em 2017 Olá, Caderno uma ficção adolescente que se esgotou depois de sua entrada no BBB. Ela ainda sonha em ter uma marca própria. “é um sonho futuro, porque a moda faz parte de mim e da minha arte”.

Rede de fraudes

As investigações sobre fake news no STF revelam que a rede de fraudes se estende por Rio, São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Bahia. É composta de sites financiados com anúncios públicos e privados. E tem como contribuintes figuras como Luciano Hang, da Havan (vendas de R$ 10,7 bilhões) e Edgar Corona, da Smart Fit (R$2,4 bilhões em 850 salas de ginástica). Bolsonaro tem uma rede de 42 serviços de Inteligência militar, policial e financeira. E está promovendo uma cooperação entre os núcleos. Mais: no inquérito das fake news, o STF tem sido duro acuando de “associação criminosa”, deputados, empresários e até um comediante pelas críticas ao tribunal. Já no julgamento do Mensalão, o mesmo STF entendeu que o esquema que subornava o Congresso, chefiado por Lula, não era “formação de quadrilha” e o entendimento ajudou a reduzir a pena de figuras como José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoíno. O Supremo não viu associação criminosa no pagamento mensal de propina a parlamentares. Graves mesmo são as fakes news.

 
 

Book virtual

A atriz Isabella Scherer, 24 anos, filha do nadador Fernando Scherer, o Xuxa, ainda pouco conhecida do público, seu último trabalho foi Paloma na primeira fase na novela Bom Sucesso, fez uma espécie de book digital, como ela mesmo batizou, pegou seu celular e legendou: “fiz um book no timer sim”. Apesar de ser pouco conhecida ela fez sua estreia na série Família Imperial do Canal Futura em 2012 e participou também da série PSI (2019) como Helen e Malhação Viva a Diferença (2017) como Clara entre outros trabalhos.

Tipo futebol

O comandante da PM de São Paulo, Álvaro Camilo, quer organizar as manifestações pró e contra o governo com a mesma metodologia usada para jogos de futebol. Cada torcida em dias diferentes, uma no sábado outra no domingo, que é para não enlouquecer mais o paulistano com paralisações na Avenida Paulista no meio da semana. E cada movimento num dia porque ele acha que, no mesmo dia, elas acabarão se confrontando e o resultado pode virar uma tragédia, dada a fúria de muitos manifestantes. E a PM também não aguenta segurar duas fúrias ao mesmo tempo.

In – Massa grano duro
Out – Massa integral

 
 

Influência

“Sou a deputada mais influente do Congresso, que tem mais visualizações de vídeos” – é o que repete a deputada federal Carla Zambelli, hoje uma das dez pessoas (fora o pessoal próximo da Presidência) com maior número de reuniões com o presidente Jair Bolsonaro. Tem gente que tem saudades de seus tempos em comissões, pelo número de projetos aprovados e pela capacidade para aglutinar e produzir entendimentos.

Antifascista

Domingo que vem, haverá uma manifestação antifascista marcada para as ruas de Brasília. Jair Bolsonaro está avisando, via Twitter que não participará do movimento. Manifestos por democracia estão virando onda com adesões que lembram os protestos de Diretas Já. São iniciativas suprapartidárias em reação a Bolsonaro, até com apoio de ex-ministros do STF. Mais: Bolsonaro a cavalo na manifestação de domingo passado lembrava, segundo as redes sociais, Mussolini, líder fascista da Itália, que morreu de cabeça para baixo. E o protesto liderado por Sara Winter (máscaras maiores e tochas) lembrava a Ku Klux Klan.

RENDA BÁSICA

O auxílio emergencial de R$ 600 que teria, segundo dados oficiais, atingido cerca de 38 milhões de brasileiros que nunca tiveram qualquer ajuda estatal deverá ser prorrogado por mais alguns meses, só que com valor menor (estima-se R$ 400, mas Paulo Guedes quer menor ainda). Em novo formato, ele poderia se transformar em programa de renda básica como resultado de mudança, inclusive no seguro-desemprego.

Balanço

Representantes das centrais sindicais no Codefat estão contestando a proposta orçamentária do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) apresentada pelo Ministério da Economia para 2021. Eles reivindicam que o governo ao menos mantenha o valor do seguro-desemprego previsto para este ano (R$ 44,3 bilhões). O orçamento prevê uma cifra de R$ 3,6 bilhões menor para 2021, o que, em tempos de pandemia, não faz muito sentido.

SEM FÔLEGO

O Brasil 200 está perdendo o fôlego. A exemplo de Flávio Rocha, herdeiro das Lojas Riachuelo, outros dois empresários teriam se afastado do movimento nos últimos dias. No STF já a acusação de que integrantes do Brasil 200 também teriam financiamento fake news. E internamente, crescem as divergências com o líder do movimento, Gabriel Kanner, sobrinho do próprio Rocha.

Tiro policial

Secretária Adjunta da Proteção Global do Ministério da Família, Maira Miranda está no Rio para acompanhar as investigações do menino João Pedro, atingido por uma bala perdida durante operação policial, há dias, em São Gonçalo. Sua presença pode ser o indício do surgimento de algum fato novo na apuração do crime. Maira é responsável pelo Programa de Proteção de Testemunhas do governo federal. Há suspeitas de que o tiro que acertou o jovem partiu da arma de um policial. À propósito: desde o início da pandemia, as mortes provocadas por agentes de segurança cresceram 43% no Rio.

Troca de nome

O presidente Jair Bolsonaro contou num live, que há oito anos pede medicamentos de manipulação com nomes fantasiosos por ser “um cara manjado”, polêmico e “alguém poderia me envenenar”.  Ou seja: teria sido esse motivo a troca de nomes por codinomes em seus exames de coronavírus, pelo que se deduz. O presidente evita exposições pessoais em ações como essas. Na chefia do Executivo é mais fácil, nos tempos de deputado, fazia um acordo com a farmácia de manipulação. Não há sinais de que alguém prove a comida de Bolsonaro antes dele comer.

EX-ENCALHADAS

Muita gente anda tendo interesse em residências fora das áreas mais densas de São Paulo e já perceberam que dá para trabalhar em casa. O Jardim Guedala, um bairro bacana de baixíssima valorização virou um dos queridinhos de quem tem dinheiro e quer sair dos bairros agitados. Três casas já foram vendidas na mesma rua nesses dias. Estavam encalhadas há anos. Detalhe: o Jardim Guedala é ao lado do Morumbi. Os dois bairros tiveram super queda na valorização dos imóveis pelo volume de assaltos.

MISTURA FINA

  • PARA 37% dos brasileiros, o governo Bolsonaro é o maior responsável pela atual situação econômica do país, aponta levantamento do Instituto Orbis. O governo Lula é o segundo colocado com 20,4%, seguido por “fatores externos ao governo”, com 16,7%. Dilma tem 8,2% e Michel Temer 6,1%,
  • A LIBERTY Media, que comanda a Fórmula 1, sinalizou à prefeitura de São Paulo que o Brasil poderá ficar de fora da temporada deste ano. A palavra final será dada em agosto, a tempo de uma eventual readequação do calendário. A prova de Interlagos está marcada para novembro e os dirigentes temem que até lá o país ainda esteja com um número preocupante de casos de Covid-19.
  • DESDE meados de março, mais de três mil médicos e enfermeiros da rede de saúde pública do Rio, já foram afastados por suspeita de contaminação de contágio pelo coronavírus.
  • O DEPUTADO Frederico D’Ávila (PSC-SP) está pedindo a cassação do governador de São Paulo. Motivo: “Não está habilitado para a função, não tem nada de gestor, é vendedor de fumaça”. Não vai acontecer nada, mas a expressão “vendedor de fumaça” já foi atribuída a Doria inúmeras vezes nas redes sociais. Alguns capricham: “vendedor de fumaça engomadinho”.
  • O JORNALISTA José Maria Trindade, da Jovem Pan, comentou, nesses dias, que quatro dos últimos mandatários estaduais do Rio já foram presos, só Benedita da Silva escapou. Aí, disse que perguntou a ela por que nunca foi alcançada e Bené teria respondido rápido: “Fiquei pouco tempo, meu filho”.
  • A DIRETORA executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, ressalta que a polícia mata mais negros nos Estados Unidos e no Brasil. “A diferença é a escala. Aqui a polícia mata muito mais”. E lembra que a chance de um jovem negro ser assassinado é 2,7 vezes maior do que um jovem branco. “Esses números são a face mais evidente da desigualdade no país”.
  • ESTÁ na Page Six do New York Post: há sinais inequívocos de que eleitores mais velhos estão indispostos com Trump por sua atuação na pandemia. No fim de fevereiro, Trump tinha liderança de dois dígitos sobre Biden entre eleitores com mais de 65 anos. Agora, as pesquisas mostram, em média, Biden 10 pontos à frente.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.