Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Ele tomou muita tubaína comigo, tá certo?”

de JAIR BOLSONARO // deixando claro que a indicação de Kássio Nunes para o STF é por amizade e não por saber jurídico.
07/10/2020 05:00 - Giba Um


Circulam boatos de que o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, está arrependido por ter saído do governo da forma que saiu. O perfil “atirador” não combina com ex-juiz, considerado é uma pessoa centrada.

Mais: só espera o fim do processo da “suposta “ interferência PF para tomar uma decisão sobre seu futuro. 

O alternativa mais clara é que ele passe um tempo dando aulas, mas fora do Brasil, com apoio da família.

In – Mexerica

Out – Limão

 
 

Experiência diferente

A super modelo Alessandra Ambrósio, que no ano que vem completa 40 anos, é uma das queridinhas do mundo fashion que estampa várias capas de revistas e é convocada para várias campanhas. 

Não quer parar de trabalhar tão cedo, só que quer viver experiências diferentes e mais desafiadoras. Na capa da Elle Rússia, vive este primeiro desafio. 

Pela primeira vez posa com os filhos para uma capa, além do recheio. Alessandra é mãe de Anja, de 12 anos e Noah de 8 anos. 

Ela não sabe se os filhos seguirão seus passos, mas ficou orgulhosa das fotos em que os filhos se mostraram bem profissionais. 

Mais: no Instagram deu uma amostra de sua nova coleção de biquinis que fez a temperatura subir. 

Na vida pessoal, tudo bem com, seu namoro com o empresário italiano Nicolo Oddi vai de vento em poupa.

Exército em campo

O governo prepara um papel de destaque para o Exército na retomada dos projetos de infraestrutura no país. 

A ideia é utilizar o Departamento de Engenharia e Construção da Força (DEC), dentro do modelo pró-Brasil, que vem sendo costurado pelos ministros Tarcísio Freitas e Braga Netto, com apoio dos demais integrantes da ala militar do Planalto. 

O Exército teria uma maior presença no Norte e Nordeste, regiões que concentram mais da metade dos 14 mil empreendimentos paralisados no Brasil, um mix para todos os gostos, de estradas e moradias populares, redes coletoras de esgoto, escolas, hospitais, pontes e ferrovias. 

De quebra, Bolsonaro cruzaria o país visitando canteiros e inaugurando obras tocadas por militares. 

O Exército já é uma das maiores empreiteiras do país. O DEC tem hoje uma carteira de R$ 1 bilhão em obras públicas, a maior parte no âmbito dos Ministérios da Infraestrutura e do Desenvolvimento. 

Entre elas, restauração e manutenção de quatro rodovias federais. O Sistema de Engenharia conta com onze batalhões de Engenharia e Construção e uma Companhia de Engenharia de Construção, com efetivo aproximado de 10 mil militares e servidores civis aptos para atuar em qualquer região do país. 

Agora só falta o dinheiro. Os ministros Rogério Marinho e Tarcísio Freitas já conseguiram R$ 5 bilhões para o projeto pró-Brasil. Os ministros pediram mais de R$ 30 bilhões.

 
 

Nova versão

A sempre polêmica cantora Miley Cyrus, 27 anos, está aproveitando o período de distanciamento social, da melhor maneira que pode. 

Há pouco mais de um mês lançou uma nova versão da música Heart of Glass da banda Blondie que fez muito sucesso nos anos 80. 

E no próximo dia 16 irá fazer uma live especial na MTV norte-americana que foi batizada de Miley Cyrus Backyard Session, que será feita no seu quintal. Mais: fez uma participação no clipe de Dua Lipa. 

Detalhes deste novo trabalho é mantido em segredos, mas os paparazzi de plantão conseguiram flagrar um pouco da gravação e Miley apareceu com roupas cobertas de sangue. Algo sinistro está por vir.

A fonte secou

Organizações “não governamentais” com acesso fraqueado a milhões e governamentais viram fonte secar no governo Bolsonaro. 

Em 2018, último ano de Michel Temer, só quatro ONGs embolsavam R$ 8 milhões do Ministério do Meio Ambiente. 

O fim da farra, turbinada nos governos do PT, explica a pancadaria do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. 

As decisões do Conselho Nacional do Meio Ambiente à fusão do Ibama e ICMBio, tudo vira alvo de desconstrução.

 
 

Holofote demais

Gilmar Mendes à princípio também participaria do encontro entre Bolsonaro e Dias Toffoli no sábado (3). 

Mas sua sensibilidade política o fez desistir em cima da hora. Mesmo em se tratando de Gilmar, seria holofote demais para uma semana só. 

Foi na sua casa, quatro dias antes, que Bolsonaro bateu o martelo pela indicação de Kássio Nunes para o Supremo.

Promessa

Jair Bolsonaro após muitas críticas sobre a indicação de Kássio Nunes para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal resolveu se pronunciar e fez uma promessa. 

“Eu assumi um compromisso com vocês, nossos irmãos, vamos ter no Supremo Tribunal Federal um ministro terrivelmente evangélico. 

Alguns, um pouco precipitados, achavam que devia ser a primeira vaga, que eu acabei de indicar. 

A segunda vaga, que será em julho do ano que vem, com toda a certeza, será mais que terrivelmente evangélico”. 

A segunda vaga é de Marco Aurélio de Mello que completará 75 anos em outubro.

MAIS TUBAÍNA

Ainda sobre a indicação do próximo nome ao STF: após Jair Bolsonaro declarar que Kássio Nunes era seu amigo e tinha tomado tubaína com ele, prometeu que a próxima indicação no ano que vem terá um indicado “terrivelmente evangélico” e brincou: “O primeiro requisito é ser evangélico, o segundo é tomar tubaína comigo”.

Em paz

 Uma bandeira branca foi levantada entre o ministro Paulo Guedes, da Economia e o presidente da Câmara Rodrigo Maia. 

O ato foi feito durante jantar na segunda-feira (5) na casa do ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União. 

Maia declarou: “Semana passada até, deixo aqui meu pedido de desculpas, fui indelicado e grosseiro e (isso) não é do meu feitio”. 

E completou: “O teto de gastos é a primeira de nossas urgências porque com a regulamentação do teto a gente resolve o programa social”. Tudo em prol do governo Bolsonaro.

MANOBRA

O presidente da Ford na América do Sul/ Brasil, Lyle Watters, virou persona non grata na bancada nordestina no Congresso. 

Para os parlamentares a montadora espertamente aproveitou o lançamento do programa de incentivo Roda 2030 em agosto, para só depois anunciar o plano de demissões voluntários na fábrica de Camaçari (BA).

Controle

 O controle da pandemia no Brasil já foi admitido pela Organização Mundial da Saúde (PMS). Temos a menor média de mortes em quase cinco meses. 

Segundo o Worldometer, que monitora o avanço da pandemia, o número é menor desde 13 de maio e a boa nova se estende aos novos casos da doença chegando a menor média de novas infecções em 10 dias. De quebra, 4,25 milhões de curados.

Na política

Como todas as eleições celebridades ou subcelebridades se arriscam para tentar conseguir um cargo político. 

Este ano a lista começa a surgir. Por São Paulo são candidatos a uma cadeira a câmara municipal o ator pornô Kid Bengala (PTB), Bananinha do Comando Maluco (MDB), Neném, da dupla com Pepê (Pros), Mionzinho (Novo), o ex-jogador Dinei e Renata Banhara tentam um lugar na política pelo Republicanos e o consultor de moda e ex-Fazenda Fábio Arruda (PSL). 

Ainda no clima de reality show, Marcos Harter, ex-BBB17 e ex-Fazenda, tenta uma cadeira de vereador na cidade de Sorriso (MT) pelo Solidariedade. Já no Rio tentarão um vaga de vereador, o ex-jogador Marcelinho Carioca (PSL), Thammy Miranda (Liberal) e Diego Hypolito (PSB).

GRINGOS

Dos candidatos a vereador e prefeito em novembro, 2.570 são gringos. Pessoas nascidas na China, Japão, Uruguai e no Irão concorrerão a eleição municipal deste ano – número que representa 0,5% do total de candidatos. 

O Sudeste é a região com mais candidatos gringos: são 1.041, seguindo pelo Nordeste com 721. 

São Paulo lidera entre os estados, com 534 nomes. A maioria deles concorrem a cargos na câmara municipais (2.511), mas também há candidato a vice-prefeito (85) e a prefeitos (4).

 

MISTURA FINA

  •  FIGURA de proa no Planalto confidencia que Jair Bolsonaro acenou a Ives Gandra Martins com a próxima vaga no STJ ainda este ano. É um prêmio de consolação para quem sonhava com o Supremo.
  • TEM as digitais do governador Romeu Zema a decisão do Ministério da Economia de adiar novamente o prazo para Estados e municípios aprovarem suas respectivas reformas da Previdência. O pleito de Zema junto a Jair Bolsonaro foi decisivo. Zema tem encontrado forte resistência na Assembleia Legislativa mineira para avançar com a reforma do estado.
  • O PASTOR Everaldo, presidente do PSC, abandonou Wilson Witzel à própria sorte e trabalha nos bastidores da Alerj pelo impeachment do governador afastado. É o criador matando a própria criatura. E varrendo o cadáver político para bem longe.
  • A DESPEDIDA de Celso de Mello no STF será amanhã e não na terça-feira (13), quando se aposenta. Lerá extenso voto em defesa do depoimento presencial do presidente, no caso de supostas interferências na Polícia Federal e vai bater forte.
  • A CHEGADA do Pix como forma de pagamentos instituída pelo Banco Central, revelou um assalto que os brasileiros sofrem há anos: TED ou DOC custam 6 centavos, mas os bancos cobram até 15 reais pela transferência.
  • CAMPANHAS do PT afora evitam usar a tradicional simbologia partidária, como a estrela petista, Jilmar Tatto, em São Paulo, não evitou a cor vermelha, mas trocou a estrela por um coração.
  • O ADVOGADO geral da União, José Levi do Amaral Junior, ganhou ponto junto a Bolsonaro. O motivo foi a absolvição previa do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Em resposta – quem diria – a recurso do Ministério Público, a AGU determinou que não há relação entre o aumento do desmatamento no país com os atos de Salles. 
  • A DECISÃO de STF de que os estados podem criar suas próprias loterias foi um banho de água gelada no secretário de desestatização, Diogo Mac Cord. Agora, então, é que a privatização da Lotex, braço de loterias da Caixa, deverá ir para o fundo de alguma gaveta meio escondida.

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!