Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

Diretor de emergências da OMS: “Em geral, a tendência no Brasil é de estabilidade ou queda”

Mike Ryan, diretor de emergências da OMS, sobre os números da pandemia do Covid-19
24/08/2020 04:00 - Cláudio Humberto


“Em geral, a tendência no Brasil é de estabilidade ou queda”
Mike Ryan, diretor de emergências da OMS, sobre os números da pandemia do Covid-19

País vai dar ‘basta’ ao saco sem fundos das estatais
O governo vai mesmo decretar um “basta!” no vazamento interminável de recursos do Tesouro Nacional para bancar 697 empresas estatais, quase todas imprestáveis. Dados oficiais aos quais teve acesso o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), mostram que 88% das receitas das estatais são consumidos em salários, vantagens e penduricalhos que beneficiam funcionários e diretores. Do total, “sobram” só 12% para custeio, despesas e investimentos essenciais às empresas.

Como marajás
Espantoso, segundo Ricardo Barros, é também o fato de os salários pagos nas estatais serem bem maiores que os de mercado.

O céu é o limite
Outra característica que explica a decadência de quase todas as estatais é que nenhuma delas se submete e todas extrapolam o teto do servidor.

Cara malandragem
Interpretação malandra da Lei considera que salários nas estatais são pagos com “receita própria”, por isso não se sujeitam às regras do teto.

Apropriação indébita
A malandragem para driblar o teto consagra uma apropriação indébita: a estatal e suas receitas são dos donos, o povo, e não dos empregados.  

Agosto deve ser 1º mês com redução de casos
Especialistas preveem que agosto será o primeiro mês a terminar com menos casos simultâneos de coronavírus que o mês anterior desde o início da pandemia. A notícia animou o governo e atores do mercado financeiro, que acompanham a redução no número de casos ativos de 818,5 mil em 8 de agosto para 748,2 mil na sexta. A expectativa é que a tendência siga até o fim do mês, abaixo dos 731,2 mil de 1º de agosto.

Já foi muito pior
Os casos ativos no Brasil subiram 2,3% este mês. Não se comparam aos 505,4% registrados em maio, quando saltaram de 47 mil para 288 mil.

Desaceleração gradual
Em junho, os casos ativos passaram para 565,7 mil, alta de 96,2%, e subiram para 731,2 mil ao fim de julho, crescimento de 29,2%.

Recuperação acelerada
O Brasil já tem 2,7 milhões de pessoas recuperadas do coronavírus e as curas têm superado as novas infecções há mais de duas semanas.

O futuro é logo ali
Líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), recusa retaliar aliados que tentaram derrubar o veto. Mais importante para ele é reunir uma bancada de 49 senadores para garantir a maioria qualificada, com objetivo de aprovar projetos da pauta econômica.

Ingenuidade
Ao justificar a decisão de trair o Planalto, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF), vice-líder do governo, disse que tem “compromissos” com algumas “categorias do serviço público”, aquelas que jamais votariam em tucano.

Crescimento rápido
O Banco de Brasília (BRB) comemorou 25 mil contas abertas em um mês no banco digital NaçãoBRBFla, lançado em julho junto com o Flamengo. A meta é atingir 1,5 milhão em 5 anos.

Problema suprapartidário
Meter a mão no dinheiro público não é prática de um partido. O Instituto Não Aceito Corrupção já recebeu, pelo Corruptovírus, 70 denúncias de desvios de dinheiro da pandemia em 21 estados de todas as regiões.

Piada pronta
A Petrobras, um dos pilares do maior esquema de corrupção do mundo, anunciou com pompa que venceu “troféu transparência 2020”. “Entre empresas com receita líquida acima de R$ 8 bilhões”. Humm...

Entornou de vez
O presidente Jair Bolsonaro, que já se incomodava com problemática relação de Soraya Thronicke (PSL) com bolsonaristas no Mato Grosso do Sul, não entendeu o voto da senadora pela derrubada do veto.

Disputa de espaço
O procurador Roberto Livianu defende investigações da Polícia Federal, mas acha que delação premiada deve ser feita exclusivamente pelo Ministério Público. Sua posição é considerada corporativista.

Faltou assunto
A ex-presidente cassada Dilma Rousseff anda meio relapsa com seus seguidores no Twitter ou falta inspiração. Os 6,3 milhões de curiosos estão sem qualquer novidade da petista há quase uma semana.

Semidemocracia
Fica combinado que falar mal do governo é “exercício da liberdade de expressão”, já falar mal do STF é crime.

PODER SEM PUDOR

Ah, subir a rampa!
O mineiro Magalhães Pinto sempre sonhou com a Presidência da República, por isso até apoiou o golpe de 1964 imaginando que seria a “solução civil” do novo regime. Certo dia, o general Artur da Costa e Silva o convidou para subir com ele a rampa do Palácio do Planalto. Ele subia a rampa orgulhoso quando o general, ao seu lado, perguntou com malícia: “E então, Magalhães, está gostando?” Magalhães percebeu a ironia e devolveu: “Muito, Senhor Presidente, muito. Mas preferia fazê-lo todos os dias.”

 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!