MENU

Clique aqui e veja as últimas notícias!

CLÁUDIO HUMBERTO

Gilmar Mendes : “Está se fazendo uma retórica, digamos assim, bravateira”

Gilmar Mendes sobre promessas de ministros como Luiz Fux de “preservar a Lava Jato”
15/12/2020 07:55 - Cláudio Humberto


Decotelli alega ‘pobreza’ para pedir auxílio judicial

Nomeado ministro da Educação pelo presidente Jair Bolsonaro e logo destituído por informações falsas no currículo, o professor Carlos Alberto Decotelli parece contumaz. Ele ajuizou ação contra a FGV e requereu gratuidade alegando “pobreza”. 

O judiciário não caiu na lorota e o ex-ministro que disse ser pobre para requerer assistência judiciária, fez um depósito de mais de R$40 mil em custas processuais, na última semana. Um show de contradições. Ser pobre assim deve ser danado de bom.

Últimas notícias

Ele não esqueceu

No processo, Decotelli tenta culpar a Fundação Getúlio Vargas por sua saída do MEC e pede indenização.

Custas iniciais

Sempre que alguém ajuíza uma ação, paga custas processuais iniciais sobre o valor da causa. No caso de Decotelli, o valor foi de R$40 mil.

Passou vergonha

O ex-ministro supostamente pobre tentou driblar o custo que todo mundo tem, pedir assistência judiciária ao acessar a Justiça. Passou vergonha.

Quem cala

O ex-ministro Caros Alberto Decotelli não respondeu aos telefonemas e mensagens da coluna para expor as suas razões.

Agentes de saúde fazem cair letalidade da covid

A segunda onda de infecções se tornou realidade no Brasil graças às campanhas eleitorais, mas a experiência adquirida por agentes de saúde durante o combate ao coronavírus fez despencar a letalidade da doença. 

A média móvel chegou a 43.346 casos por dia, bem próximo dos 46.263 registrados em julho, mas a dedicação e o tratamento ágil dos nossos profissionais conseguiram salvar 41,4% mais vidas que no auge da 1ª onda. Em julho, o Brasil chegou a 1.097 óbitos diários e agora são 643.

Verdadeiros heróis

O esforço dos profissionais de saúde que, literalmente, arriscam as vidas para salvar outras, se reflete nos mais de 6 milhões de curados da covid.

Já chegou

A nova onda é confirmada nos casos ativos. Caíram de 818,5 mil para 362,5 mil na última semana da campanha e já subiram para 740 mil.

Em números

No pico, em julho, a taxa de recuperação dos pacientes contaminados pelo coronavírus era de 93,1%. Atualmente, o índice subiu para 97,06%.

A Câmara sou eu

A dificuldade para encontrar quem “mereça” seu apoio apenas confirma que, ao contrário do que diz, Rodrigo Maia só pensava naquilo até ser barrado pelo STF: sua reeleição na presidência da Câmara. Não tinha “plano B”, mesmo vendo Arthur Lira (PP-AL) em plena campanha.

Promessa de político

É preciso desconfiar de promessa dos políticos. Em agosto, João Doria prometeu vacinação em dezembro, agora virou 25 de janeiro. Prometeu pedir registro da vacina chinesa nesta terça (15), passou para o dia 23.

Chute na diplomacia

Embaixador da União Europeia, Ignacio Ybáñez Rubio ignora deveres de diplomata falando mal do governo que o hospeda. Em entrevista, acusou Bolsonaro de emperrar acordo com o Mercosul. Nem sabe que o governo o destravou em 2019, após mais de 20 anos de embromação europeia.

Reconhecimento

Ex-diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) e atual vice-presidente global da PepsiCo, Roberto de Azevêdo recebeu ontem, do chanceler Ernesto Araújo, a Grã-Cruz da Ordem do Rio Branco.

Estranha parceria

“Prestem muita atenção ao PSB”, disse o deputado José Medeiros, ao lembrar que o partido que obteve no STF a suspensão das operações policiais no Rio agora conseguiu o fim da isenção de impostos de armas.

Militância fake

Era fake a “exclusão” do Brasil de evento da ONU sobre o clima, como espalharam jornalistas brasileiros em Genebra. Não era evento da ONU. Países-membros, que a sustentam, não são sujeitos a supostos “vetos”.

Acabou a moleza

O deputado Kim Kataguiri disse ontem estar mais um dia na Câmara sob “obstrução sanguinária” da esquerda. Com o engavetador-geral Rodrigo Maia de saída, essa obstrução será posta a prova de verdade em 2021.

Planos de arrogância

Com pose de quem manda na “agência reguladora” ANS, uma entidade de planos de saúde avisou que não deve seguir adiante a inclusão da vacina no rol de serviços, como quer o Ministério Público Federal.

Pensando bem...

...é vexatória a demora do mais longevo presidente da Câmara para arrumar um nome que ele considere “merecedor” do seu apoio.

PODER SEM PUDOR

O sr. é o famoso quem?

O ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger visitava o então governador de São Paulo, Mário Covas, em meio às notícias sobre eventual intervenção federal no Banespa. 

A certa altura, na entrevista coletiva sobre planos de investimento de empresas dos Estados Unidos no Brasil, Covas sugeriu que se fizessem perguntas ao visitante. Um repórter perguntou a Kissinger, cobrindo os colegas de vergonha: “O senhor veio aqui tratar do Banespa?”