Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Estamos vivendo um impasse. Não há forças para derrubar Bolsonaro, nem há forças de Bolsonaro para dar um auto golpe”

de DILMA ROUSSEFF, em evento online promovido por estudantes brasileiros no Reino Unido
18/06/2020 05:00 - Giba Um


“Estamos vivendo um impasse. Não há forças para derrubar Bolsonaro, nem há forças de Bolsonaro para dar um auto golpe”,  
de DILMA ROUSSEFF // em evento online promovido por estudantes brasileiros no Reino Unido.

Nove entre dez analistas acham que o país já tem um grande estoque de pessoas qualificadas e sem empregos por causa da recessão de 2015 e 2016.  

Mais:  são pessoas que já estão há bastante tempo em busca de emprego e dispostas a trabalhar ganhando menos. Os jovens terão que disputar com elas um espaço.  

 
 

Viúva negra

A atriz Rachel Weisz, 50 anos, está na capa da Harper’s Bazaar. Mãe de dois filhos (Henry Aronofsky, 14 anos, fruto com o diretor Darren Aronofsky e uma menina de 2 anos que até hoje não teve seu nome divulgado, fruto do relacionamento com o ator Daniel Craig) revelou que está escolhendo melhor seus trabalhos para passar mais tempo com a família. Confessou que está ansiosa pela estreia de seu último trabalho Viúva-negra, no qual ela não pode falar muito. O que se sabe da personagem Melina é que ela passou pelo mesmo treinamento de Natasha/ Viúva Negra (Scarlett Johansson) na Sala Vermelha e que aparece no trailer vestindo um traje parecido com o da Viúva Negra. E revela o que atraiu no longa, antes mesmo de ver o roteiro foi a perspectiva de colaborar com a diretora Cate Shortland, cujo trabalho ela admira há anos.  

No lugar de Mello

Se não houver mudanças de coordenadas, Jair Bolsonaro já escolheu quem se sentará na cadeira do decano Celso de Mello no Supremo, que completará 75 anos em novembro: é Jorge Oliveira, ministro da Secretaria Geral da Presidência, o único que fala com ele todos os dias e várias vezes ao longo do dia. A opção por Oliveira é porque precisa de um articulador de confiança no Supremo, sobretudo na atual conjuntura de estremecimento com o Poder Judiciário e de apreensão quando às ações que buscam a cassação de seu mandato no TSE. Pedro César Nunes de Sousa, chefe do gabinete da Presidência ou até mesmo o atual ministro da Justiça, André Mendonça são cotados para substituir Oliveira. Um desenho alternativo, caso Bolsonaro decida manter Oliveira mais tempo no Planalto, comtempla a indicação de Mendonça para a primeira vaga o STF, hipótese em que se cumpriria a promessa de nomear um ministro “terrivelmente evangélico” para a Corte. Oliveira ficaria para a vaga de Marco Aurélio Mello, em junho de 2021. Se Oliveira for primeiro para o STF poderia apadrinhar o atual secretário de Segurança Pública do DF, delegado Anderson Torres, para o ministério da Justiça no lugar de Mendonça.

 
 

Quarentena provocante

Em meio ao distanciamento social, muitos artistas aproveitam as redes sociais para compartilhar alguns momentos da vida pessoal. Juliana Paes (à esquerda) por exemplo já compartilhou que parou de fumar e assumiu seus cabelos cacheados. Postou uma foto que sugere nudez, onde segura um chapéu a frente do corpo Cleo  (à direita), revelou  que está solteira, mas que passa a quarentena com amigos para o bem da sua saúde mental e posta uma foto numa banheira (vestida) onde legendou: “Que um dia a gente possa estar bebendo o equivalente a esse tanto de álcool que passo na mão! Tin-tin”.

Outro  

O atual advogado da União, José Levi, é citado no Planalto como um nome forte para assumir a Secretaria Geral da Presidência no fim do ano, numa eventual indicação do atual titular do cargo, Jorge Oliveira para o Supremo. O avalista é o ministro da Justiça, André Mendonça, ex-chefe de Levi na AGU.

In – Cobertores de algodão
Out – Cobertores de microfibra

 
 

Anti-Aras

Questionado dentro e fora do MPF pela excessiva proximidade com Bolsonaro, Augusto Aras, o PGR, trava guerra interna na corporação. O pano de fundo é a eleição dos quatro novos integrantes do órgão máximo do MPF, o Conselho Superior do Ministério Público Federal, prevista para os 23 e 30 de junho. A dias do pleito, Aras mergulhou nas campanhas de duas subprocuradoras, mas pode sofrer dura derrota. Os subprocuradores Nicolau Dino e Mario Bonsaglia, ferrenhos opositores de Aras, são considerados pule da vez. E nas últimas semanas cresce o nome de Carlos Frederico Santos, também desafeto de Aras.

14º

O MPF vai encaminhar aos Tribunais de Contas a recomendação de que todos estados descontem de imediato o valor de R$ 600, 00 do contracheque de servidores que, inadvertidamente, se cadastraram para recebe o auxílio emergencial. Por lei, o benefício é vetado a funcionários públicos. O número de pagamentos indevidos em todo o país ainda não está fechado. Cada Tribunal de Contas está fazendo o cata-cata individualmente.

DEFLAÇÃO

Os economistas de plantão estão observando que, quando um país vive em deflação, o consumo desaba pela simples razão de que as pessoas na expectativa de preços vão baixar no futuro, adiam suas compras de produtos essenciais. No Brasil, ninguém parece preocupado com a deflação, até porque é considerada passageira, decorrência da pandemia. Mas, a “inflação negativa”, num momento como esse, é uma overdose recessiva.

Resistente

Depois de nova rodada de rumores de que seria substituído, o líder do governo na Câmara Major Vitor Hugo (PSL-GO) sobreviveu de novo aos ataques, com apoio renovado do presidente Bolsonaro. Ele sai fortalecido da crise em especial após a denúncia da Procuradoria-Geral da União contra o líder do PP, deputado Arthur Lira (AL), que vem atuando como líder informal do governo. Mas, o Planalto também conta com Lira para ajudar na aprovação dos projetos do Executivo.

O QUE QUEREM

Os 12 reitores em fim de mandato se dividem entre os que querem prorrogação em seus cargos e os que acham que a lista tríplice de candidatos a reitor a melhor alternativa, escolhido por conselhos universitários. Na Universidade de Brasília,  de longa tradição democrática, estarão proibidas consultas, campanhas, debates, nem internet. A lista tríplice dos “reitoráveis” não é para mandato temporário, enquanto durar a pandemia. O mandato biônico vai de 2020 até 2022.

Ameaça

Uma cobrança milionária poderá cair no colo da Souza Cruz e da Philip Morris. O MPF vai se manifestar até o final do mês na ação civil pública movida pela AGU contra as duas empresas. O órgão deverá respaldar o pedido judicial feito pela AGU, cobrando da dupla o ressarcimento pelos gastos da rede pública de saúde no tratamento de 26 doenças causadas pelo tabagismo. Na AGU o posicionamento do MPF é visto como a peça que falta para acelerar o desfecho do julgamento. Dando certo, até ajudaria o governo a recompor um pedaço do orçamento da Saúde.

Contra Aroeira

Bolsonaro havia incentivado seguidores a invadir hospitais com paciente infectados pelo coronavírus. O cartunista Aroeira desenhou ele com um balde de tinta na mão, transformando uma cruz vermelha em suástica – e ganhando um bigodinho. O jornalista Ricardo Noblat republicou o cartoon e o ministro da Justiça, André Mendonça, ordenou que a Polícia investigue os dois com base na “Lei de Segurança Nacional”. O cartoon foi republicado em outros veículos do Brasil e do exterior.

SECEN

Aroeira agora diz que transformaram a Secom em Secen, “Secretaria de Censura e Assuntos afins”. E mais: “Eles me transformaram em referência mundial. Estou quase abrindo um canal no Youtube”. Antes de se eleger, Bolsonaro já havia processado Aroeira em duas instâncias judiciais – e foi derrotado. A desembargadora Cristina Tereza Gaulia lembrou que Bolsonaro não ficou constrangido ao tirar foto com um candidato fantasiado de nazista nas eleições municipais de 2016.

MISTURA FINA

  • O NOME de Bruno Funchal para o lugar de Mansueto Almeida na Secretaria do Tesouro Nacional, foi bem recebida pelo mercado. A escolha indica continuidade da estratégia de ajuste das contas públicas, num momento marcado pela forte deterioração fiscal, devido a pandemia. A arrecadação despenca, com a retração da economia e os gastos aumentam com força.
  • OS grandes grupos de shopping centers discutem o lançamento de uma campanha para dar visibilidade às perdas sofridas desde o início da quarentena. O objetivo é constranger governadores e prefeitos, mesmo nas regiões em que os shoppings já reabriram. Bolsonaro agradece.
  • OS filhos de Bolsonaro seguram, mas o presidente, que gosta do jeitão beligerante dele, ainda não decidiu afastar Abraham Weintraub. Entre ministros com gabinete no Planalto é consensual a necessidade de demissão. “Ele virou tóxico para o governo”, diz um deles. Mas Bolsonaro não quer deixar Abraham sozinho “debaixo de chuvas e trovoadas”.
  • CARLOS e Eduardo Bolsonaro tentam fazer a cabeça de Jair Bolsonaro para abrigar o psiquiatra Ítalo Marsili para uma das secretarias do Ministério da Saúde. Eles queriam mesmo emplacar Marsili no comando da Pasta. Por ora, o general Eduardo Pazuello é “imexível”.
  • UM levantamento feito pela Paraná Pesquisa quis saber caso o brasileiro pegasse o coronavírus se ele tomaria cloroquina ou e hidroxocloroquina? e as opiniões se mostraram equilibradas. 50,4% disseram que tomariam, 44,7% que não tomaria e 4,9% não souberam ou não quiseram responder. A verdade é que até agora não foi provado que o uso desses medicamentos realmente ajuda na recuperação dos infectados pelo vírus.
  • A MINISTRA Tereza Cristina negocia com o governo do Vietnã para que mais cinco frigoríficos brasileiros sejam autorizados a exportar para o país asiático. Há dias, a ministra anunciou que seis produtores de carnes suína já receberam sinal verde do governo vietnamita.
  • DAMARES Alves,  ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos vai se filiar ao Aliança pelo Brasil assim que o partido bolsonarista puder ser formalmente registrado. Quer sair candidata ao Senado em 2022, apoiada por Bolsonaro.
  • ALÉM da pandemia, outro fator foi decisivo para o BS2 romper contratos de patrocínio com o Flamengo. O número de contas digitais abertas a partir da parceria ficou bem aquém das metas estabelecidas pelo banco.ia.

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...