Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Existe muita confiança do presidente em mim e muita confiança minha no presidente”

Paulo Guedes, ministro da Economia, afirmando que não sairá do governo
19/08/2020 05:00 - Giba Um


Pesquisa feita pelo Sebrae em parceria com a FGV indica que 76% dos pequenos negócios já estão funcionando. Deste 63% voltaram a funcionar de forma diferente de antes da pandemia. 

Mais: a pesquisa também mostrou que houve um pequena queda no nível de endividamento dos pequenos negócios que o final de junho era 40% e agora no final de julho caiu para 36%.

 

“Existe muita confiança do presidente em mim e existe muita confiança minha no presidente”, 

de PAULO GUEDES // ministro da Economia, afirmando que não sairá do governo.

 

In – Farinha de amêndoa

Out – Farinha de grão-de-bico

 
 

Não para de brilhar

A cantora Anitta, 27 anos ganhou mesmo seu espaço internacional. Já foi capa de várias publicações, viu suas músicas serem tocadas fora do Brasil e sua agenda ficar lotada de shows internacionais. Por causa da pandemia teve que cancelar todos, mas não parou. Agora curte alguns dias de descanso na Europa. E está novamente para campanha da Colcci. Ao ser perguntada o que sobre sua vida amorosa e pessoal, ela garante que se sente um mulher poderosa e seu comportamento “choca quem é machista. Quem não é, admira”. Capa da revista Estilo DF, do México falou sobre seu crescimento artístico e garante: “De nada me serve ter uma música no topo das paradas e não dar nada à sociedade. É necessário crescer em outros sentidos”. Mais: no próximo dia 21, Anitta estará no The Late Late Show, na emissora norte-americana CBS.

Novo Poderoso

Paulo Guedes já identificou no ministro do Desenvolvimento, Rogério Marinho, sério oponente à sua permanência no governo, apesar das juras de amor trocadas esta semana entre Bolsonaro e o titular da Economia. Marinho é privatista, reconhece a importância das reformas e do ajuste fiscal, mas ao contrário de Guedes acredita em planejamento e considera que um gasto público maior em investimentos ajudará no ajuste fiscal. É um articulador que pensa o tempo inteiro na reeleição de Bolsonaro e já ganhou grande espaço no Planalto, fazendo dupla com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Rogério Marinho tem viajado com Bolsonaro pelo Nordeste. Acabaram de ir a região (quarta vez em 19 dias) onde o presidente inaugurou uma hidrelétrica em Sergipe. A pauta do Nordeste foi toda armada por Marinho. Sobre ele, diz-se que é o ministro solar do investimento e do emprego, enquanto Guedes seria o ministro noturno que se recusa a ter metas de crescimento do PIB e dos postos de trabalho. Na prática, Marinho tem assumido o papel de ministro de Planejamento.

 
 

Rock gospel

A ex-modelo e apresentadora Andressa Urach, 32 anos agora virou cantora. Estilo: rock gospel. Depois de dançarina do Latino, ficar em segundo lugar no concurso Miss Bumbum e ver a morte de perto por infecções hematológicas decorrente do uso de hidrogel e PPMA, mudou de vida. Se tornou evangélica e até escreveu um livro Morri Para Viver onde confessou que fez chantagear com o jogador Cristiano Ronaldo, com o qual teve um caso quando o português era casado. Seu primeiro single foi lançado sexta-feira (14)  A noite virou dia, tem uma pitada de inspiração no som de Marilyn Mason e relembra seu passado de prostituição e drogas. Ela afirma que não pretende disputar paradas de sucessos com o novo projeto e sim tudo faz parte se sua missão. As fotos de divulgação foram feitas no cemitério.

Recado

Marinho tem batido na tecla que não existe só uma política econômica e está fascinando os ministros militares. Paulo Guedes partiu para a guerra aberta: “Os conselheiros do presidente que o estão orientando a pular a cerca e durar o teto vão levá-lo para um zona sombria, uma zona de impeachment, de irresponsabilidade fiscal”. Ficou a impressão  de que Guedes estava de saída – mas não é nada disso. Todo um programa de obras será validado no exterior com um road show para apresentação do Plano Brasil. O que tira o sono de Guedes.

 
 

Em qualquer governo

A volúpia dos Bolsonaros em manejar dinheiro vivo fica cada vez mais evidente, enquanto a loja de chocolates, comprada pelo filho Flávio Bolsonaro ganha feições de lavanderia financeira. Agora, descobre-se que a mulher do senador, Fernanda, contribuiu para o negócio com R$ 350 mil, omitidos pelo Fisco do casal. Fica entendido, então, por que a estratégia da defesa de Flávio não é rebater o conteúdo que as investigações descobrem, mas buscar maneiras de barrar o trabalho do Ministério Público. Quaisquer que sejam.

Precisa-se

Salim Mattar, ex-secretário da Privatização, conta que, quando chegou ao governo lhe informaram que existiam 134 estatais. No documento que deixou ao desocupar seu gabinete são, atualmente, 614. Há um exagero que contabiliza 210 companhias em que uma está estatal possui participação minoritária e não pode ser considerada empesa pública. Para Mattar, “o governo precisa de um Serjão”. E garante: “No governo FHC, o ministro Sérgio Motta tocava um programa de privatização. Nessa ocasião, foram privatizadas a Vale e o Banco do Estado de São Paulo”.

COMPARAÇÃO

O custo da pandemia há chegou aos R$ 700 bilhões. Significa quase todos o tamanho dos gastos a serem obtidos com a reforma da Previdência ao longo dos próximo dez anos. Agora, Bolsonaro está buscando dinheiro para fazer mais despesas e pagar bondades porque, afinal, a eleição está chegando. Surpresa: o maior incentivador dessa prática é o ministro Braga Netto, da Casa Civil. Ele é um bom administrador, mas seus dotes para a economia já alimentam rodinhas mordazes nos corredores do poder. 

Terroristas

O serviço de inteligência da Polícia Federal está em alerta. Há indícios de que terrorista ligados ao Hezbollah procurados em vários países estejam escondidos na Região Sul do Brasil. Entre ele o libanês Samuel Salman El Reda, também identificado Salman Paoul Salman. Ele é acusado de ter sido o operador logístico contra o prédio da Associação Mutual Israelita. É apontado também como chefe da área de inteligência do Hezbollah na América Latina.

RELÂMPAGO

O Conselho Superior do Ministério Público deverá se reunir até o início de setembro para definir o substituto de João Bosco de Araújo Junior como procurador regional da República. Promovido ao cargo há dias Bosco faleceu na semana passada sem assumir o posto. A sucessão promete ser concorrida: cerca de 400 procuradores já se candidataram à promoção.

Mais informações

Recentemente, o jornal argentino El Clarín tratou Hezbollah. Informações compartilhadas entre autoridades argentinas e o aparelho de inteligência brasileiro dão conta de que o terrorista teria passado pelo Paraná e estaria numa região próxima à fronteira com o Paraguai. A Polícia Federal não abre a boca, mas se preocupa com a chamada Tríplice Fronteira, da divisa com Argentina e Paraguai. Em 2018, a Polícia Federal prendeu em Foz do Iguaçu o comerciante Assad Ahamad Barakat, um dos suposto operadores financeiros do Hezbollah na América Latina.

Comemoração

O procurador Roberson Pozzobon, integrante da força-tarefa da Lava Jato, comemorou a suspenção de todos os processos contra Deltan Dallagnol no Conselho, feito pelo ministro do STF, Celso de Mello. “O Ministério Público e todos aqueles que se sentem bem com um Ministério Público independente estamos em festa”, E mandou um recado para os adversários da operação: “O resto… bem, o resto já deve estar traçando novos planos, novas estratégias, novos ataques…”.

NÃO CONSEGUIRÁ

O empresário e político Paulo Marinho, que ajudou na campanha de Bolsonaro e até emprestou sua  residência Jardim Botânico, no Rio para ser o QG onde foram gravados os programas eleitorais do atual presidente acredita que Bolsonaro não conseguirá se reeleger. Ele acha que mesmo que o Bolsonaro continue bancando os R$ 600 do auxílio emergencial até 2022 a população não irá votar nele.

MISTURA FINA

- SE Gilmar Mendes já se mostrou contrário à possível reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente para a presidência da Câmara e do Senado, a ideia conta com a simpatia de Dias Toffoli.

- EM 6 de julho, Paulo Guedes fez essa afirmação: “Houve justamente esse questionamento. Bem, agora que o presidente busco o centro democrático ou o Centrão, isso agora vai exigir o aparelhamento das estatais? Não. Nós vamos fazer 4 grandes privatizações nos próximo 30, 60, 90 dias”. Já se passaram 50 dias – e nada acontece.

- DE seu doce exilio no Banco Mundial, em Washington, o ex-secretário da Educação Abraham Weintraub mantém interlocução assídua com Eduardo Bolsonaro e com o seu guru Olavo de Carvalho, na Virgínia.

- COM maioria feminina do eleitorado, em tese as candidatas teriam mais chances, mas não é bem assim. Elas continuam com aversão à política. Mais: o eleitorado com voto facultativo apresenta uma curiosidade: 65.589 com mais de 100 anos estão com as obrigações aptos para irem às urnas. E estão dispensados de comparecer às urnas, em novembro, analfabetos, maiores de 70 anos e os maiores de 16 anos e menores de 18 anos. 

- EM meio a tantas asserções na equipe econômica, o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimaraes, tem repetido que seguirá com Paulo Guedes até o fim. Vá que a novidade de Guimaraes ajuda, mas também era o que Rubem Novaes, de saída da presidência do Banco do Brasil, costumava dizer.

- PEDRO Guimarães fala em fidelidade a Paulo Guedes, mas nas entranhas do Planalto ele é considerado a melhor opção para uma eventual, saída de Guedes. O presidente da Caixa adora ouvir isso. Guimarães tem trânsito com Bolsonaro e sua prole a ponto de ser chamado de “quinto filho”.

- OS vice-líderes do governo na Câmara costuravam, nas últimas horas, uma renúncia coletiva ao posto, em solidariedade ao ex-líder Vitor Hugo, substituído por Ricardo Barros. Na verdade, puro teatro: vão sair antes de serem saídos pelo próprio Barros.

- A PUÍDA indústria têxtil brasileira está reivindicando do ministro Paulo Guedes um aumento das alíquotas de importação. O setor alega que, com a Covid-19, fabricantes chineses, entraram no Brasil praticando dumping de forma agressiva para recuperar o nível de vendas e compensar o tempo em que a produção no país asiático ficou paralisada.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!