Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

“Foi lamentável, sob todos os aspectos”

Evaldo de Araujo, infectologista, criticando áudio viralizado do cirurgião Fábio Jatene antevendo uma catástrofe provocada pelo coronavírus
13/03/2020 04:00 - Cláudio Humberto


Foi lamentável, sob todos os aspectos”
Evaldo de Araujo, infectologista, criticando áudio viralizado do cirurgião Fábio Jatene antevendo uma catástrofe provocada pelo coronavírus

Para 36,2%, governo militar tornaria a vida melhor
Levantamento exclusivo nacional realizado pelo Paraná Pesquisa para o site Diário do Poder e para esta coluna mostra que 36,2% da população acreditam que o Brasil estaria melhor se fosse governado por militares. São 32,7% os que acreditam que um governo militar seria pior, e para 24,4% tudo estaria igual; 6,7% não souberam ou não quiseram responder. A margem de erro é de 2% para mais ou menos.

Preferência regional
Nas regiões Norte e Centro-Oeste, há uma preferência maior (43,5%) por governo militar. No Nordeste, cai para 39% do total.

Só no Sudeste
A região Sudeste é a única onde a maioria acredita que o Brasil estaria pior sob governo militar: 35,8%. Mas para 31,9% seria melhor.

Quadro invertido
O quadro se inverte também entre formados no ensino superior: 40,2% condenam um governo militar, enquanto 30,1% sonham com isso.

Dados da pesquisa
O Paraná Pesquisa entrevistou 2.010 pessoas em 162 municípios dos 26 estados e DF, entre 5 e 9 de março de 2020.

Absolvido, Fraga volta à luta para ser ministro
Absolvido nesta quinta (12) no Tribunal de Justiça do Distrito Federal da acusação de cobrar propina quando foi secretário de Transportes no DF, o ex-deputado Alberto Fraga (DEM) retoma a briga para se tornar ministro de “Cavalão”, como há 40 anos ele trata o velho amigo Jair Bolsonaro, que se destacava no pentatlo militar. O presidente já utiliza “Pancrácio”, como ele chama Fraga (ex-atleta de arte marcial grega, “tataravô do MMA”), na articulação política junto ao Congresso.

Caminho livre
Fraga chegou a ser convidado para o ministério, mas disse a Bolsonaro que preferia aguardar o fim do processo do qual ontem foi absolvido.

Ministro Pancrácio
Com a absolvição unânime no TJDF, Fraga, o “Pancrácio” voltou a sonhar com o cargo que mais lhe apetece: a Secretaria de Governo.

Aqui, não, violão
Fraga ligou imediatamente para contar a “Cavalão” que foi absolvido, mas sua ida ao Alvorada acabou abortada pela crise do coronavírus.

Coronavírus, o inimigo
A convite de Braga Netto (Casa Civil), ministros militares do Planalto discutiram ontem (12) estratégias contra o coronavírus, para além das ações definidas pelo Ministério da Saúde. “A situação subiu de patamar”, disse um deles a esta coluna. De estratégia eles entendem

Distância prudente
O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, foi dos primeiros da comitiva de Bolsonaro a Miami a testar para coronavírus, “por precaução”. Mesmo assintomático, preferiu ficar em casa.

Na fila do teste
Outro que também acompanhou Bolsonaro aos EUA, Ernesto Araújo (Relações Exteriores) esticou para a Washington, onde tinha vários compromissos, mas também achou mais prudente retornar a Brasília.

No fundo do poço
Casou forte impacto o levantamento nacional do Paraná Pesquisas, exclusivo para esta coluna, mostrando que apenas 51,2% dos brasileiros são contrários ao fechamento do Congresso. Mas para impressionantes 43,5%, deputado e senador não servem para nada.

Vírus na Câmara é outro
Ontem foi mais uma quinta-feira vazia na Câmara. A presidência da Casa divulgou que Rodrigo Maia estaria “recolhido”. Nada a ver com coronavírus, eles são folgados mesmo. Só trabalham terças e quartas.

Vírus da exploração
O deputado distrital José Gomes (PSB) pediu que o Procon investigue farmácia e mercados pelo aumento abusivo do álcool gel em Brasília. Pesquisa apontou salto de R$16 para R$42 em apenas uma semana.

Amor à primeira vista
O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, e a cantora Vanessa da Mata estão a caminho do altar. Se conheceram no Leblon (RJ), apresentados por Fabiano Serfaty, e foi amor à primeira vista.

Tudo aqui é pior
Crise mundial do coronavírus e briga de produtores de petróleo fizeram a bolsa despencar a 72,5 mil pontos. No impeachment, crise exclusiva do Brasil, o tombo foi muito pior e levou a bolsa aos 37,5 mil pontos.

Pensando bem...
...não deixa de ser perturbadora uma semana que começou com bolsas em pânico, viu o avanço do coronavírus e acaba numa sexta-feira 13.

PODER SEM PUDOR

O medo de Brizola

Leonel Brizola encontrou Tancredo Neves em um evento político e se derramou em elogios, lembrando que ele fora o último ministro da Justiça de Getúlio Vargas, indo ao seu enterro e falando em seu túmulo. “Foi também primeiro-ministro de Jango, compareceu ao seu enterro e discursou junto ao túmulo. O senhor merece o meu apreço”, completou o engenheiro. Quando Brizola se despediu e foi embora, Tancredo brincou: “Aquilo não é elogio, não. Ele está com medo que eu o enterre. E discurse.”

 
 

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!