Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“Hoje você não tem prefeito presente, nem com autoridade. Você tem as subprefeituras todas loteadas para vereadores”

de ANDREA MATARAZZO // criticando Bruno Covas, prefeito de São Paulo
04/11/2020 05:00 - Giba Um


Hoje você não tem prefeito presente, nem com autoridade. Você tem as subprefeituras todas loteadas para vereadores”, de ANDREA MATARAZZO // criticando Bruno Covas, prefeito de São Paulo. 

O Congresso já tem 32 “grupos de cooperação” com outros países, a pretexto de reforçar as relações diplomáticas, que garantem “viagens de intercâmbio” pagas pelos cofres públicos. 

Mais: os congressistas não estão preocupados com as relações bilaterais: 21 desses grupos tem apenas o parlamentar vivo que o criou. Um deles, ativos só no “papel”, foi criado nos anos 1990 e fez última reunião em 2011.

In – Nectarina

Out – Jaca

 
 

Raquel mais uma vez

A super modelo Raquel Zimmermann que já foi a nº1 do mundo fashion e uma das mais requisitas por grandes grifes no mundo da moda, estando a frente de diversos desfiles em grandes semanas de moda, continua brilhando lá fora. 

Agora é capa da revista Vogue alemã. A revista convocou a modelo porque vem recebendo várias críticas por capas anteriores. Um crítico da moda chegou até a comemorar “Finalmente uma ótima capa para a Vogue Alemanha. 

Raquel está fantástica, como esperado. Ela meio que tem uma qualidade renascentista moderna graças à sua beleza, é intrigante. Raquel sozinha já faz valer a pena olhar para a revista ”. 

Raquel também está à frente da campanha da Zara, que traz uma coleção sustentável chamada Join Life, com silhuetas minimalistas, porém modernas.

Correndo atrás

A ficha caiu com atraso para o presidente Jair Bolsonaro. Agora, ele corre atrás dos candidatos a prefeito Marcelo Crivella (Rio) e Celso Russomano (São Paulo), tidos como seus candidatos, mas que ainda não tinham apoio específico. 

No caso de Crivella, ameaçado de não ir para o segundo turno (Marta Rocha está ultrapassando o bispo licenciado da Universal), o apoio para valer de Bolsonaro pode ajudá-lo, pelo menos para ir para o segundo round. 

Crivella acha que o presidente pode ser sua salvação. Já no caso de Russomano, a cena é diferente: ele não para de cair, mas já teve Bolsonaro, a cena e participando do horário gratuito (vídeo de abraço). 

E Russomano não sabe se o presidente não ajudou nessa ladeira ou se, como Crivella, precisa de apoio específico. No vídeo gravado sábado (31) por Bolsonaro apoiando Russomano, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, o candidato disse: “As nossas bandeiras são as mesmas: a liberdade econômica e a defesa da família”. 

Aí, Bolsonaro interrompe: “É o conservadorismo, a questão da criançada em sala de aula. Não podemos admitir o risco de uma doutrinação em sala de aula”. 

No caso de Crivella, o prefeito e candidato à reeleição viajou até Brasília para fazer a gravação na sexta-feira (30). Até então, o apoio a Crivella era meio velado. Nos dois casos, não haverá ação digital do esquadrão de apoio de Bolsonaro, que lhe deu a presidência.

 
 

Rompendo as barreiras

A cantora Preta Gil é uma das capas da edição de novembro de Vogue Brasil, de mulheres que lutaram (e lutam) contra diversos preconceitos entre eles a gordofobia. Junto com ela a cantora Duda Beat e a modelo Rita Carreira. 

Na edição que celebra o corpo livre e a liberdade de se sentir bem e ser feliz na própria pele, Preta desabafa: “Rompi muitas barreiras, quebrei paradigmas, abri espaços. Não foi fácil, mas olho para trás e tenho certeza de que valeu”. 

Preta confessou que como toda mulher teve alguns arrependimentos na vida, entre eles “de ter feito quatro lipoaspirações, praticamente uma atrás da outra, porque eu estava fora dos padrões e sofri uma série de preconceitos”.

Lá e cá

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, foi aos Estados Unidos como observador oficial da eleição e ficou impressionado: “O clima é tenso e agressivo. Lojas e instituições colocando tapumes por temor a violência e saques. 

O mundo precisa resgatar as virtudes da tolerância e da empatia”. Nada de novo: dependendo da época, também lojistas do Rio colocam tapumes por temer depredação ou mesmo saque.

 
 

Caso raro

No governo tresloucado de Bolsonaro, criticado por seu desacertos e crises desnecessárias, a exceção é o Ministério das Comunicações chefiado por Fábio Farias desde junho. Sua atuação agrada ao presidente e ao Congresso e arranca elogios até do setor privado.

 “Finalmente, o país tem um ministro das Comunicações”, diz Flávio Lara Resende, presidente da Abert – Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão. Agora, a comunicação institucional também foi entregue a Farias por Bolsonaro.

O de sempre

Paulo Guedes é sempre Paulo Guedes. Agora, quer fritar os bancos comerciais e privatizar o SUS. Quem conhece Guedes acha que ele tem um certo trauma com grandes bancos porque era apostador no mercado de ações, o que teria levado a perder uma pequena fortuna. 

Mas ganhou muito dinheiro com o Pactual, hoje chamado BTG que, segundo ele “enganam 200 milhões de trouxas”. Quanto ao SUS, não há menor possibilidade de privatizar o Sistema Único de Saúde. No caso de bancos, a Febraban pode disparar sua metralhadora giratória. 

APOIO 

Já o apoio de artista para determinados candidatos tem ajudado. Chico Buarque e Caetano Veloso, ligados historicamente ao PT, estão apoiando Guilherme Boulos (Psol) em São Paulo (Boulos ameaça o terceiro posto de Márcio França). 

No Rio, Chico apoia Benedita da Silva que subiu nas pesquisas. Paula Lavigne reúne artistas com Marta Rocha que está atropelando Crivella (Ana de Hollanda, irmã de Chico e ex-ministra apoia Marta). Artistas não apoiaram o petista Jilmar Tato em São Paulo. 

Assim não dá

Uma frente de governadores se prepara para pressionar o governo Bolsonaro em mente 2021, seria uma espécie de “orçamento de guerra” – ainda que não seja com os R$ 35 bilhões a mais injetados no SUS neste ano. 

A proposta orçamentária projetada para 2021 é menor até mesmo do que a cifra fixada para este ano antes da pandemia: R$ 127 bilhões contra R$ 134 bilhões. Essa cifra é considerada curta demais para cobrir a demanda reprimida da rede pública, que cobrará seu preço em 2021. 

Mais de 60% dos procedimentos cirúrgicos e exames que seriam realizados este ano foram suspensos e empurrados para o ano que vem.

QUEM DIRIA

João Santana, ex-marqueteiro de Lula e Dilma Rousseff, preso por lavagem de dinheiro, hoje cumpre prisão em regime aberto. 

Deu uma entrevista ao Roda Viva, contou histórias e aproveitou para lançar um disco que foi para o streaming na mesma noite do encontro da TV Cultura. 

Seu disco foi liquidado por analistas que gozaram até esses versos: “O ouro é o suor do sol e a prata é a lágrima da lua”.

Escorregão

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo condenou a Editora Abril e ficou em R$ 70 mil a indenização que terá de ser paga a Victor Martins, irmão de Franklin Martins, ex-ministro de Lula. 

Em abril de 2009, a revista Veja publicou que Victor na condição de diretor da ANP dava decisões favoráveis a prefeitura clientes da Análise Consultoria, empresa pertencente a ele e sua mulher. 

Depois, ficou comprovada que se baseava num dossiê falso produzido por uma agente aposentado da Polícia Federal.

Segundo lugar

Não é apenas em São Paulo e Rio que o segundo lugar vem sendo disputado, levando em consideração o velho chavão que diz que “é uma nova eleição”. 

No Recife, João Campos está disparado em primeiro lugar com 31% e em segundo estão Marília Arraes (18%), Delegada Patrícia (16%) e Mendonça (13%). 

Em Porto Alegre, Manuela D’Ávila está em primeiro lugar com 27% e disputando o segundo Nelson Marchezan Junior (14%), Sebastião Melo (14%) e Fortunati (13%).

REJEIÇÃO

Celso Russomano, candidato à prefeitura de São Paulo, em começo de campanha garantia que não seria um “cavalo paraguaio”, ou seja, aquele que dispara na frente depois desacelera deixando outros concorrentes passarem na frente. 

Só que não é isso que acontece, agora além da queda na disputa (tem 19,5% das intenções de votos contra 25,6% de Bruno Covas) também aparece como mais rejeitado pelos paulistanos com 40,1% de pessoas que não votariam de jeito nenhum nele. 

Bruno Covas tem uma rejeição de 24,1%. Em seguida na lista de rejeição vem Guilherme Boulos (23,6%), Joice Hasselmann (13,8%) e Jilmar Tatto (17,2%).

MISTURA FINA

  • O VICE Hamilton Mourão em entrevista a Veja, afirmou que o governo vai pagar a conta da vacina chinesa de João Doria. E criou embaraços ao presidente que, até pode pensar em pagar, mas ele é Bolsonaro que quer tratar disso e dependendo, até pagar. Ou irritado, agora é que não vai pagar.
  • EDUARDO Bolsonaro era a favor e agora tem feito a caveira da Huawei dentro do governo. Os chineses não quiseram ter muita intimidade com o filho do presidente. Agora, a mando de Olavo de Carvalho, o mesmo Eduardo está trabalhando para tirar os chineses do 5G brasileiro. 
  • O PETISMO das ruas mudou de lado: apoia Guilherme Boulos, que muita gente acha que ainda irá para o segundo turno. Uma coisa é certa, com dois dígitos, Boulos sairá dessa eleição municipal muito maior que entrou.
  • O VICE Hamilton Mourão disse para Veja que, se não for candidato ao lado de Jair Bolsonaro em 2022, provavelmente tentará uma cadeira no Senado – e muitos analistas já profetizam que teria muita chance. 
  • PARA não virar ré nos EUA, a Petrobras concordou em pagar US$ 4,8 bilhões e R$ 27,7 bilhões em multas. O valor é sete vezes maior que as sentenças da Lava Jato devolveram aos cofres da estatal. 
  • VAI explodir antes das eleições: a Polícia Federal já identificou outros candidatos a prefeituras de capitais suspeitos de montar um bunker digital de disseminação de fake news contra adversários. 
  • OS irmãos João e Walter Moreira Salles estudam apoiar o Botafogo em R$ 50 milhões. Realizando o feito, eles permanecem como filantropos isolados do futebol brasileiro. Não se identifica à primeira vista nenhum outro bilionário disposto a investir recursos próprios em um clube.
  • O GOVERNO pediu ao Congresso um crédito suplementar de quase R$ 6,12 bilhões para oito ministérios. A porteira aberta para a gastança inspirou a apresentação de 214 emendas só na Câmara dos Deputados.
  • O VETERANO ex-senador e atual vereador Eduardo Matarazzo Suplicy é candidato à sua reeleição na Câmara Municipal de São Paulo. Nos segundos em que mostra seu número no horário gratuito, ele consegue se identificar como “o criador da renda mínima” no país.

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!