Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

“Isso é algo que a OMS apoia completamente”, sobre reabertura de economias

Diretor da OMS, Tedros Adhanom, sobre a reabertura de economias, após as quarentenas
07/09/2020 05:00 - Cláudio Humberto


“Isso é algo que a OMS apoia completamente”
Diretor da OMS, Tedros Adhanom, sobre a reabertura de economias, após as quarentenas

Maia mantém truques rentáveis para deputados
Nisto a reforma de Rodrigo Maia não mexe: eleito, todo deputado federal tem “auxílio mudança”, no valor de um salário de quase R$34 mil, para se mudar para Brasília. 

No fim do mandato, recebe outro “auxílio” do mesmo valor para voltar ao Estado. Se for reeleito, recebe mais um para retornar a Brasília, ainda que não tenha saído do lugar. 

Este é um dos muitos truques, que Maia manteve, para “forrar” os bolsos parlamentares.

Vá somando
O “cotão parlamentar”, que paga qualquer despesa de deputado ou senador, custa em média R$45 mil por mês. Nisto Maia não mexe.

Tem assessores
A “verba de gabinete” de cada deputado soma R$112 mil ao mês para contratar até 25 assessores. Mais outro privilégio “imexível”.

Casa e aluguel
Deputados têm direito a apartamento funcional. Quem não quer imóvel, ganha auxílio-moradia de R$4,2 mil/mês. Nisto Maia também não mexe.

Senado é o céu
No Senado, não há limite de valor para senadores gastarem com aspones. Izalci Lucas (PSDB-DF) chegou a abrigar 85 em seu gabinete.

Letalidade entre índios é metade da média nacional
Ainda inconformadas com a perda de poder, influência e principalmente dinheiro público, as ONGs estrangeiras e nacionais insistem na mentira – na qual embarcou o ministro Luís Roberto Barroso, do STF – de que as populações indígenas estariam “abandonadas” ou sofrendo mais casos de covid-19 que os demais brasileiros. 

A taxa de letalidade de índios na pandemia é de 1,7%, menos da metade da média brasileira de 3,5%.

Números exatos
Dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) indicam que o registro de 21.310 indígenas infectados e 353 óbitos, em todo o País.

Interesse político
ONGs chegam a acusar o governo brasileiro de “genocídio”, uma mentira de caráter político que não encontra respaldo na realidade dos números.

Interesse comercial
O governo está definitivamente convencido de que rivais do Brasil no agronegócio estão por trás das mentiras sobre índios e a Amazônia.

Não paga nunca?
Condenada em definitivo 20 meses depois a reparar os danos causados pelo rompimento da barragem de Brumadinho, a Vale tem 15 dias para se manifestar sobre os R$26,7 bilhões bloqueados pela Justiça, além dos R$11 bilhões que já haviam sido bloqueados em outras quatro ações.

Põe no divã
Parlamentar do “centrão” identifica sinais de nervosismo de Rodrigo Maia, à medida que se aproxima o fim da sua presidência na Câmara, e diz que “o problema não é para política, é para o psicanalista resolver.”

Coisa mais estranha
Ao fingir que só agora “não há diálogo” com Paulo Guedes, Rodrigo Maia se dispensou de explicar suas reuniões frequentes com assessores do Ministério da Economia, que tem a chave do cofre do Tesouro Nacional.  

Reeleição, não
O Podemos se pronunciou oficialmente contra a reeleição para as presidências do Câmara e do Senado. 

O partido diz que essa mudança abre “temerária possibilidade de perpetuidade nos cargos de direção”.

Curva acentuada
Apesar de os EUA liderarem, com folga, o ranking do total de casos do Covid-19 (6,4 milhões), o crescimento acelerado de casos na Índia deve levar o país asiático à primeira colocação antes do fim do ano.

Cartões: gastos caíram
O governo Bolsonaro já gastou R$23 milhões, em 2020, com compras nos cartões corporativos. O valor ainda é muito distante do recorde desse tipo de gastos, de R$80 milhões, em 2010, último ano de Lula.

Reforma que não muda
A reforma administrativa que só mexe no futuro não terá problemas para ser aprovada no Congresso. Até a “amiga de Dilma”, senadora Kátia Abreu (Pode-TO) já disse acreditar que proposta vai passar.

Mais que o dobro
Segundo a Fecomercio-SP, a reforma administrativa é positiva já que só a despesa com pessoal civil ativo do Executivo federal atingiu, em 2019, R$109,8 bilhões. Representa crescimento de 145% em 12 anos.

Pensando bem...
...reforma, no Brasil, sai mais caro que a obra.

PODER SEM PUDOR

Sinceridade indesejada
Paulo Maluf deixava o governo paulista, em 1982, e tentava emplacar Reynaldo de Barros à sua sucessão, levando-o as inaugurações de obras. Numa delas, na periferia, foi abordado por um morador, que se queixava da vida, da sorte e, sobretudo, de sua casinha localizada perigosamente à beira de um barranco. 

Maluf achou encanto na tragédia pessoal do cidadão: “Veja que linda vista o senhor tem! E perto do novo cartão postal da cidade!” Chamou Reynaldo, que estava a alguns metros, para ganhar aquele voto. Mas o candidato de Maluf observou, com estonteante sinceridade: “É, realmente o senhor mora num lugarzinho bem ruim...” Maluf jamais o perdoou por isso.

 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!