Clique aqui e veja as últimas notícias!

CLÁUDIO HUMBERTO

“Medidas inefetivas produzem efeitos negativos”

Senador Marcos Rogério sobre o STF dar poder a estados e municípios na pandemia
14/06/2021 08:04 - Cláudio Humberto


Dez anos do ‘Brasil sem Miséria’ e miséria persiste

Há 10 anos, em junho de 2011, poucos meses após assumir o cargo de presidente da República, a petista Dilma Rousseff prometeu acabar com a pobreza extrema com o lançamento do programa “Brasil sem Miséria”. 

Existiam 16,2 milhões de brasileiros abaixo da linha da miséria, segundo o anúncio feito com toda a pompa no Palácio do Planalto, sem contar a propaganda que se seguiu, tudo muito caro. A mente tortuosa da petista considerava que a miséria poderia ser solucionada por decreto.

Deu errado

No início de 2016, meses antes de Dilma se enxotada, o número de miseráveis já havia crescido para 9,2% da população, segundo o IBGE.

Histórico ruim

O IBGE verificou que a pobreza extrema chegou a cair entre 2012 e 2014 no Brasil, mas, desde então, só faz crescer. Até cair um pouco, em 2019.

Pós-pandemia

Em 2020, a estimativa do IBGE foi que disparou o número de brasileiros que viviam abaixa da linha da extrema pobreza, após a pandemia.

Apenas factóides

O Brasil sem Miséria propunha ampliar o Bolsa Família e criar o “Brasil Verde”, para “capacitação de trabalhadores” e “construção de cisternas”.

Estudos questionam os efeitos dos ‘lockdowns’

O Instituto Americano para Pesquisa Econômica (AIER) publicou análise de uma série de 35 estudos de 2020 questionando a eficácia de lockdowns adotados em todo o mundo. 

A conclusão foi que esse tipo de fechamento não deu certo como previsto “por uma variedade de razões”, entre elas substituir “100 anos de conhecimento sobre saúde pública por imposições não testadas”, que impactam a liberdade e direitos humanos.

Últimas notícias

Esses alemães

Estudo alemão mostrou que “lockdown completo e testagem em massa não foram associados à redução de casos críticos ou mortalidade geral”.

Também na Alemanha

Cientistas concluem que o vírus retrocedeu de forma autônoma antes de qualquer efeito da medida e o clima (chegada do verão) fez sim diferença

Conflito israelense

Em Israel, estudo revelou pequena vantagem do lockdown completo em comparação a outras formas, mas ao custo de US$50 milhões por óbito.

Máscaras continuam

O ministro Marcelo Queiroga (Saúde) não concorda em tornar facultativo o uso máscaras, mas, experiente, cumpriu a ordem de realizar estudos. Que apontarão pela inviabilidade da medida, ao menos por enquanto.  

Sem pressa

O Supremo Tribunal Federal ainda não recebeu qualquer recurso contra a decisão de dispensar Wilson Lima de comparecer à CPI, onde, aliás, o governador do Amazonas tem fraternais amigos.

Conduta desinteligente

“Não acho que Lula, como presidente do gabinete paralelo da CPI, aprove essa conduta desinteligente”. Assim o deputado José Medeiros reagiu à “antecipação do relatório” feita pelo relator da comissão.

Soltando os cachorros

Vítima de fake news, a deputada Aline Sleutjes (PSL-PR) gravou um vídeo soltando os cachorros e colocando pingos em cada i: “Se me cutucarem, vou pra cima. Não nasci segurando o medo nas mãos”.

Tempo e dinheiro

O ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) comemorou o avanço da obra de construção da ponte na BR-153 sobre o Rio Araguaia entre Tocantins e Pará. “Dentro do cronograma. Ninguém mais precisará pagar balsa”.

Debates continuam

Realiza três reuniões, esta semana, a comissão especial da Câmara que analisa a Proposta de Emenda à Constituição estabelecendo a impressão do comprovante do voto na urna eletrônica.

Selic redefinida

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne nesta terça (15) para decidir sobre a taxa Selic. Segundo a Associação Brasileira de Bancos, a taxa deve subir 0,75 ponto, para 4,25% ao ano.

Os limites da arapongagem

Está nas livrarias o livro Os Direitos Humanos como Limites das Operações de Inteligência. A obra do coronel Alexandre Ferro, ex-Abin e atual subsecretário de Gestão de Escolas Compartilhadas, do DF, preenche lacuna importante na bibliografia disponível sobre o tema.  

Pensando bem...

...defender o fim da obrigação de máscaras pode, desde que seja presidente de qualquer outro país.

PODER SEM PUDOR

Conversa de bêbado

Benedito Valadares foi chamado ao Palácio do Catete, no Rio, para receber de Getúlio Vargas a melhor notícia de sua vida: seria nomeado governador de Minas Gerais. Mas o ditador ordenou-lhe segredo absoluto por uma semana. 

Angustiado, Valadares ia à Pedra do Arpoador, todos os dias, para gritar a plenos pulmões: “Eu sou o novo governador de Minas!” No sexto dia, ele não se aguentou e contou tudo à mulher. D. Odete não acreditou: “Mas, Benedito, você não me garantiu que tinha deixado de beber?”

Assine o Correio do Estado