Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

GIBA UM

“Morte, invalidez, anomalia. Esta é a vacina que Doria queria obrigar a todos paulistanos tomá-la”

de JAIR BOLSONARO // ao se referir a Coronavac, embora a vacina não seja a causa da morte
16/11/2020 05:00 - Giba Um


Para o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, Jair Bolsonaro não é o grande eleitor do ano. Montenegro descartou qualquer tipo de influência cruzada entre as eleições municipais e a disputa do governo central. 

Mais: para Montenegro, Bolsonaro ou qualquer outro presidente não seria capaz de influenciar nos municípios, marcada pela aprovação de gestões locais. “A influência de Bolsonaro é zero ou muito perto de zero”. 

In – Corte feminino: Chanel clássico

Out – Corte feminino: Chanel com bico

 
 

Figuras safadinhas

A apresentadora Xuxa Meneghel, 57 anos, está na capa da revista Manequim onde conta que este período de distanciamento social foi muito produtor para ela. 

Além escrever sua biografia, produziu alguns livros infantis que aos poucos serão lançados. Sobre moda, ela foi direta: “Não siga moda, Siga e respeite seu corpo, dê a ele o que ele precisa”. 

Revelou ainda que gosta de roupas confortáveis, que sua cor preferida é roxa e que um exemplo de elegância é Costanza Pascolato. Xuxa também está ajudando a divulgação da grife recém inaugurada pela sua enteada Luana Andrade (filha de Junno Andrade). 

Mais: a eterna rainha dos baixinhos contou, que no grupo do WhatsApp que tem com Angélica e Eliana, é a mais ousada e revelou quem manda mais figuras safadinhas para as amigas: “Óbvio que sou eu! Depois é a Angélica... a Eliana só entra para falar assim: ‘gente, o que está acontecendo?’. Mas ela também manda um pouquinho”.

Carne bovina

Informalmente, a área técnica do Ministério da Agricultura trabalha com a projeção de que as exportações brasileira de carne bovina baterão seu recorde histórico neste ano, atingindo US$ 8,2 bilhões. 

A Secretaria do Comércio e Relações Internacionais não tem “estimativa oficial para os meses restantes do ano”. Se confirmada, essa cifra representará uma alta de quase 8% em relação ao ano passado. 

A maior parcela dessas vendas cabe a JBS, hoje certamente entre os melhores investimentos realizados no setor de commodities em todo o mundo. Para o BNDES, só alegria. Com o terreno cada vez mais pavimentado para fazer a listagem de ações nos Estados Unidos, a JBS acaba de reportar o maior faturamento trimestral da história, com lucro acima da expectativa do mercado. 

No terceiro trimestre, a gigante das carnes lucrou R$ 3,1 bilhões, o que significa quase nove vezes o desempenho do mesmo intervalo do ano passado, quando a companhia registrou lucro de R$ 356 milhões. Agora, o caixa está recheado e o baixo endividamento abre espaço bilionário para investimento.

 
 

Futuro promissor

A atriz Giulia Costa, 20 anos, filha de Flávia Alessandra e Marcos Paulo está ampliando o leque. Acaba de se tornar sócia de um restaurante chamado Feu, inaugurado na última quinta-feira (12), na Barra da Tijuca, no Rio. 

Além de Giulia o restaurante conta com mais cinco sócios, o chefe Philipe Martins; Pedro Vidal, Ana Luiza Vidal, Pedro Guimarães e Pedro Cassar. Amante da gastronomia, é vegetariana há 2 anos e sempre compartilhou algumas receitas no Instagram. 

“Eu amo gastronomia, mas acho que o meu prazer maior está em empreender. Estudei a proposta do Feu e entendi que seria muito interessante fazer parte deste negócio”.

Bingo!

De uma costela da “bancada de jogo” está nascendo uma espécie de “frente parlamentar dos bingos”. Deputados, entre os quais Herculano Passos (MDB-SP), se articulam para apresentar um projeto regularizando a modalidade. 

O argumento é que os bingos travestidos de sorteios beneficentes estão proliferando pelo país devido a brecha da legislação sem qualquer contribuição fiscal. Detalhe: o ministro Paulo Guedes é totalmente a favor do projeto.

 
 

Difamação

O STF vai julgar, a partir do próximo dia 20, queixa-crime feita pelo Greenpeace Brasil contra Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente. 

Em 2019, ele atacou a organização ambiental chamando os ativistas de “terroristas” e acusando-os de “depredar patrimônio público”, além de sugerir, sem provas, a participação deles no derramamento de óleo que atingiu as praias do Nordeste. A ONG alega ser vítima de calúnia, difamação e injúria

Reconhecendo

Parece que a distância entre o presidente Jair Bolsonaro e seu vice Hamilton Mourão tende a aumentar ainda mais. Bolsonaro já não está engolindo mais o general desde que ele disse que o Brasil compraria lote de vacinas chinesas, depois dele se pronunciar ao contrário. 

Agora isso pode ficar pior. Mourão reconheceu “individualmente” a vitória de Joe Biden e revelou isso para a mídia. “Como indivíduo, eu reconheço, mas temos que olhar que eu não respondo pelo governo. Como indivíduo, eu julgo que a vitória do Joe Biden está cada vez mais sendo irreversível”.

CHAMARIZ

O ministro Tarcísio Freitas costura junto do TCU uma espécie de fast track para que a Corte aprove, ainda este ano, a licitação da Via Dutra. O cumprimento desse prazo permitiria a realização do leilão em março de 2021, o mais tardar. 

Pela importância da rodovia e volume de investimentos previstos (R$ 14,5 bilhões), a licitação é tratada dentro do Ministério da Infraestrutura como um chamariz para o programa de concessões do ano que vem. Um leilão bem disputado ajudará a dar gás para as próximas concorrências. 

Prorrogação

Moreira Franco, ex-governador do Rio e ex-ministro, disse que existe uma grande possibilidade de que o governo brasileiro tenha que encontrar recursos para uma nova prorrogação do auxílio emergencial. 

Só que garante que isso só acontecerá se uma segunda onda (torce para que não aconteça) da covid-19 atinja o Brasil. “Ideia de prorrogar auxílio emergencial é demagogia, populismo. Grave por vir da voz mais liberal do governo, que não consegue consenso sobre programa social, nem sobre plano para o pós-crise. Brasil à deriva em mar revolto”.

FORÇA-TAREFA

O vice-presidente Hamilton Mourão, que preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal, está defendendo a composição de uma equipe de governo para levar as posições do Brasil na próxima rodada de negociações climáticas, a CoP de Glasgow em 2021. 

Nada de ministros isolados, como aconteceu no ano passado. Ele se refere à CoP de Madri, em 2019, quando a delegação brasileira foi chefiada por Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente. 

O Brasil foi acusado pela comunidade internacional de ter travado as negociações do artigo 6 das regras do Acordo de Paris, que trata de mecanismos de mercado.

Abaixa o tom

O aumento da pressão do agronegócio por um realinhamento do governo, que passa por estabelecer relações com Joe Biden e abaixar o tom da retorica. Nesse campo, novamente, os dois ministros “ideológicos”, Ricardo Salles e Ernesto Araújo, serão minados. 

E isso porque, além da China, interessa ao agronegócio com Biden, mudar a desgastada imagem ambiental do país e recuperar a percepção de que o setor é líder global em uma visão de negócios sustentáveis.

PRINCIPAL

Nos últimos tempos o mundo todo tem se preocupado com a contaminação e a propagação da covid-19, mas a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia alertou que existem outras doenças no país que deveriam ter tanta preocupação quanto o novo vírus. 

A SBPT alerta que a pneumonia ainda é a principal causa de morte de crianças até 5 anos no Brasil. Entre janeiro e agosto deste ano 417.924 pacientes foram hospitalizados com a doença.

 

MISTURA FINA

  • POR falar em covid-19, especialistas mundiais de saúde, querem saber se a população brasileira irá aprender com a segunda onda do vírus (ainda maior) que invade a Europa, evitando assim o relaxamentos de alguns cuidados para a prevenção da doença. E ainda garante que se o Brasil repetir os países europeus, a “segunda onda” aqui poderá ser mais grave do que esperado e provocará um desastre enorme no país.
  • PAULO Guedes tem detonado dentro do governo a proposta de “privatização” dos fundos de desenvolvimento do Nordeste (FDNE), da Amazônia (FDA) e do Centro-Oeste (FDCO). Não porque desgoste da medida. Muito ao contrário. Mas, entre defender seu próprio ideário e bater no desafeto Rogério Marinho, pai da proposição, Guedes não tem a menor dúvida.
  • A DEPENDÊNCIA política do Centrão, Bolsonaro pode ter até repiques de popularidade, mas no futuro eleitoral, que terá forte influência também, em eleições para a presidência da Câmara e do Senado, estará nas mãos do mesmo grupo. Os resultados do pleito de domingo prometem ser muito negativos para o Planalto, o que já lança dúvidas sobre sua força em 2022 e do movimento que representa.
  • NOS corredores do ministério de Minas e Energia corre a informação de que a chinesa Envision Energy, uma das cinco maiores fabricantes globais de turbinas eólicas, prepara-se para se instalar no Brasil. A empresa responde por quase 8% de todos os equipamentos do setor produzido no mundo.
  • PAULO Skaf tem usado de sua influência junto ao Judiciário na tentativa de barrar a candidatura do desafeto José Ricardo Roriz Coelho à presidência da Fiesp no ano que vem. Vice-presidente da entidade, Roriz recorreu ao Tribunal de Justiça do Trabalho para garantir sua participação no pleito. Sua candidatura foi impugnada pela comissão eleitoral da Fiesp. Ou seja: pelo próprio Skaf.
  • O STF manteve a extinção de pena de prisão para três condenados do mensalão, incluindo o ex-deputado Pedro Henry (PP-MT). As multas milionárias, contudo, foram mantidas.
  • OS próprios integrantes da Comissão de Anistia acham que a defesa de Dilma Rousseff iniciou uma “Operação Tartaruga” no intuito de esticar o prazo do julgamento do processo da ex-presidente. Eles estão apresentando seguidos recursos à Comissão. Seria uma estratégia para fugir na “era Bolsonaro”, na qual seu pedido de indenização teria poucas chances. A ideia é esperar 2023 ou 2027.

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!