Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“O nosso general Mourão [vice-presidente e coordenador do Conselho Nacional da Amazônia Legal] não vai ser morto pelos índios como o general George Custer”

de PAULO GUEDES // no seminário virtual promovido pelo Credit Suisse.
10/09/2020 05:00 - Giba Um


O nosso general Mourão vice-presidente e coordenador do Conselho Nacional da Amazônia Legal] não vai ser morto pelos índios como o general George Custer”, 

de PAULO GUEDES // no seminário virtual promovido pelo Credit Suisse. 

A AGU entrou com uma ação de reintegração de posse contra o ex-deputado federal Paes Landim. Sem mandato desde o início de 2019, Landim tinha prazo final até o mês de junho para devolver o imóvel funcional.  

Mais: a Câmara já fez reiterados pedidos, mas até agora o ex-parlamentar não entregou as chaves. Depois de oito mandatos seguidos como deputado pelo Piauí, deve ser difícil mesmo desapegar

In – Quadros com moldura flutuante.
Out – Quadros com moldura presas na parede

 
 

Bella não para

A super modelo Bella Hadid, 23 anos, uma das modelo mais bem pagas do mundo fashion e uma das queridinhas das grifes mundiais não para, nem mesmo na época da pandemia. 

É uma das capas da Vogue Itália e está à frente de várias da campanha das grifes conceituadas: Chanel, Bvlgari, Burberry e Dior Makeup. 

Para quem não sabe, a modelo ela era atleta e caiu no mundo da moda quando foi diagnosticada com a doença de Lyme, que tem sintomas difíceis, como alteração nos batimentos cardíacos, dores nas articulações, dificuldade para respirar, insônia e dores de cabeça. 

Outro dia fez um desabafo sobre a dificuldade de lidar com os sintomas em suas redes sociais. “Todos os dias eu sinto pelo menos dez sintomas sem falhar... Desde que eu provavelmente tinha 14 anos, mas de forma mais agressiva quando fiz 18”.

Punhos de chita

O chanceler Ernesto Araújo enfrenta clima de crescente insatisfação no Ministério das Relações Exteriores. A três meses do fim do ano, a Pasta sequer iniciou o período de promoções e remoções de diplomatas, que costumam ser realizadas ao longo de todo segundo semestre. 

A demora está ligada a dificuldades financeiras. A dotação prevista para este ano tem se mostrado um cobertor curto para o custeio da máquina diplomática e os gastos decorrentes dos upgrades e transferências dos servidores do Ministério. 

O Ministério confirma que o mecanismo de remoções teve seu “período de execução excepcionalmente estendido”. 

 
 

Não estão acostumados

A cantora Luiza Sonza, 22 anos, recém-separada de Whinderson Nunes, negou que esteja tendo um romance com Vitão. Garante estar solteira e feliz. 

Em desabafo a Marie Claire ela disse que as pessoas acham que a vida dela é mais interessante e movimentada do que realmente é e que está lidando com muitas críticas desde sua separação com ajuda de meditação. 

E completa: “A sociedade não está acostumada a ver mulheres livres. Tudo o que é novo assusta. As pessoas conservadores têm medo do poder que nós mulheres agora entendemos que temos. Nos demos conta que não precisamos lidar com algum tipo de padrão”.

Cai atirando

Wilson Witzel tem dito a poucos aliados que se for definitivamente afastado do cargo, vai cair atirando contra a família Bolsonaro, notadamente Flávio Bolsonaro. 

Ele diz ter fatos sobre o “01” que ainda não vieram à tona. Pode ser blefe, ainda que não se deva menosprezar o acesso do ex-juiz a membros do Ministério Público. J

á Cláudio Castro, governador em exercício, está empenhado em demonstrar que não é um “bolsonarista” de passagem (como Witzel). Há dias, comemorou nas redes a ligação que recebeu de Flávio Bolsonaro. E as portas de seu governo estão abertas para o clã.

 
 

Tensas relações

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ainda não fala com secretários do Ministério da Economia porque Paulo Guedes proibiu. 

Agora, só fala com Luiz Eduardo Ramos (Secretaria do Governo). 

Para incendiar mais um pouco as relações, Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional considera Maia “o político mais brilhante de sua geração”. Nos bastidores Guedes dedica alguns apelidos a Marinho, pouco elegantes.

Enquanto Rodrigo Maia, presidente da Câmara, não se mexe em termo de alianças para sua reeleição na Casa (tudo depende do STF), Davi Alcolumbre, alia-se ao MDB, quer ter maior bancada do Senado. 

O MDB deve abrir mão da disputa, oficialmente, para dar suporte à candidatura do senador do Amapá à sua reeleição. A aliança é o primeiro passo de Alcolumbre na busca de 60 votos, meta estipulada por auxiliares para a garantia de mais um mandato.

PANO VERDE

A Frente Parlamentar pela Legalização dos Jogos encaminhou a Paulo Guedes estudo (mais um) sobre o impacto positivo da regularização dos casinos e bingo sobre a arrecadação fiscal. 

A novidade é que a bancada do jogo tenta vincular a legalização das apostas à reforma tributária. Uma das ideias seria a concessão de benefícios fiscais a grupos hoteleiros que investissem em cassinos. Aí, Paulo Guedes já é contra.

Sem esforço

João Doria já não conta mais com as verba federal de R$ 2,2 milhões para a área de segurança prevista em três emendas parlamentares do deputado Eduardo Bolsonaro. 

Os pedidos de dotação orçamentária datam do início do ano, no pré-pandemia, antes, portando, da relação entre Bolsonaro e Doria azedar de vez. 

Desde então, Eduardo não fez o menor esforço no empenho das verbas, última etapa antes da liberação do dinheiro. Menos mal para Doria: o valor não passa de uns trocados.

TESOURADA

Augusto Aras vai encarar outra briga interna. Na proposta do orçamento do Ministério Público Federal para 2021, Aras não inclui a criação de uma Procuradoria Regional da República em Minas Gerais, um pedido dos procuradores mineiros. 

Dessa vez, o PGR tem uma boa desculpa para a polêmica entre MPF: a abertura da unidade significaria despesas extras de R$ 21 milhões por mês. 

“Ataques ao Senado”

A crítica de Deltan Dallagnol a um senador enrolado em mais de uma dúzia de processos foi interpretada pelo Conselho Nacional do Ministério Público como um “ataque ao Senado” e não uma crítica ao parlamentar. Para o CNMP, a punição de “censura” é justificada porque Dallagnol está em posição cômoda e não deve emitir opiniões políticas. 

A regra não se aplica aos ataques dos ministros do Supremo, servidores estáveis ao presidente Bolsonaro.

Menor média

O Brasil tem dado sinais de vitória na batalha contra o covid-19. A redução de 15% nos novos casos e a experiência adquirida por profissionais na saúde no tratamento da doença foram fundamentais para a queda de óbitos, que despencou 22,5% nos últimos 30 dias. 

Nesse período, segundo Worldometer, a média dos óbitos no Brasil caiu de 1.066 para 827 e atingiu o menor patamar desde o dia 20 de maio. A média das novas infecções também seguem tendência de queda e os casos ativos caíram de 818,5 mil para 693,6 mil – 15,3% em 30 dias.

BISCOITEIRO”

O cantor Ney Matogrosso, 79 anos, participou na segunda-feira (7) do programa Papo de Segunda comandado por Fábio Porchat, no GNT e assumiu que é “biscoiteiro” e em seguida confessou que descobriu o termo há pouco tempo. 

“Eu faço isso porque é a minha forma de ser como artista e que eu coloco à disposição das pessoas. Eu não sabia que existia esse termo, mas agora entendo o que é”. 

Para quem não sabe, assim como o cantor o termo “biscoitar” é o ato de postar selfies e fotos de si mesmo nas redes sociais com o intuito de se mostrar, chamar atenção e receber elogios.

MISTURA FINA

  • NEM bem assumiu a função de líder do governo na Câmara, Ricardo Barros já virou vidraça entre os parlamentares. Saudosos de seu antecessor, o opaco Vitor Hugo, colegas deputados têm criticado Barros com veemência por dificultar o acesso direto a Bolsonaro. No fundo, é isso mesmo que o presidente quer.
  • EM cinco meses, a janela do mercado se abriu para ofertas pública iniciais de ações no país (IPOs, em inglês). Entre abril e agosto, 16 ofertas foram montadas (entre as concluídas e as em andamento) e devem movimentar R$ 27,3 bilhões. É mais que o volume da última década em média, quando IPOs do setor movimentaram R$ 18,8 bilhões de 2005 a 2019.
  • SEGUNDO cálculos da CNM – Confederação Nacional dos Municípios, as prefeituras como um todo podem terminar o ano com perdas de R$ 70 bilhões em receitas, contabilizando a redução na arrecadação própria e nas transferências recebidas. Despesas crescem o dobro das receitas do 1º semestre e as capitais gastam 12,3% a mais com a saúde.
  • O DEPUTADO Capitão Augusto (PL-SP) contratou uma assessoria de imprensa só para ele: tem planos para voar mais alto. Ele tenta se colocar como “o nome mais forte entre os bolsonaristas” para assumir a presidência da Câmara. Até os aliados ironizam dizendo que “sonhar é de graça”.
  • NEM nas pesquisas, Bruno Covas, prefeito de São Paulo, que ainda não tem sua candidata à vice – e isso porque quer uma mulher na formação da chapa, vai bem. Mara Gabrilli teria sido sondada, mas alguém ironizou que, em termos de votos, sozinha, ela provavelmente teria mais votos do que Bruno.
  • ATÉ a meteorologia está dando uma mão a Bolsonaro no Nordeste. As chuvas andam tão generosas que os açudes nordestinos já registram o maior nível médio dos últimos quatro anos: 41% - o dobro do verificado em 2018. No Piauí, historicamente um dos estados mais mal tratados pelas secas, os 25 reservatórios estão, em média, com 66% de sua capacidade – melhor índice desde o início da década passada.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!