Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLÁUDIO HUMBERTO

“Na prática, é a emenda do parlamentarismo”

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em crítica à captura de R$30 bilhões do orçamento pelo Congresso
29/02/2020 04:00 - Cláudio Humberto


“Na prática, é a emenda do parlamentarismo”

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), em crítica à captura de R$30 bilhões do orçamento pelo Congresso

 

Maia pode trocar política pelo mercado financeiro

Quem consegue conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sai convencido de que ele não disputará qualquer cargo público em 2022, como aliás esta coluna antecipou em 2019. Certamente ele pode estar escondendo o jogo, como é do seu feitio, mas diz que planeja sair da política para entrar no mercado financeiro. Teria inclusive convites de um importante banco de investimento para o qual tem feito palestras.

Saída pelos fundos

Saindo da política, Rodrigo Maia busca uma “saída honrosa” para evitar o vexame de derrota, na disputa para renovar o mandato, em 2022.

Vexame no horizonte

Em 2018, com todo o poder, inclusive com acesso irrestrito aos favores oficiais, Maia não impressionou eleitores: obteve raquíticos 74 mil votos.

Poder sem votos

O projeto de Maia, admitido há meses a esta coluna, era governar sob um “parlamentarismo presidencialista” existente apenas na sua cabeça.

Brincadeira de criança

No regime sonhado por Maia, o primeiro-ministro não seria o líder do partido mais votado. Poderia ser do DEM, como ele, e com poucos votos.

Líder de 68% da Câmara, Lira deve suceder Maia

O deputado Arthur Lira (PP-AL) carimbou o passaporte para a disputa pela sucessão de Rodrigo Maia, na presidência da Câmara, ao articular a bancada de 351 deputados federais do “centrão”, cerca de 68% do total de 513. A liderança do bloco de 14 partidos fará a Câmara lembrar o que Maia diz ter esquecido: a reunião em 2018, no apartamento do senador Ciro Nogueira (PP-PI), em São Paulo, na qual ficou combinado que Lira desistiria da candidatura para apoiar a reeleição de Maia à presidência.

Procura-se um nome

No último trimestre de 2019, Maia passou a articular a própria sucessão, ignorando Lira e acenando para meia dúzia de deputados. Sem êxito.

Comendo pelas beiradas

Político que não é dado a reclamar pelos cantos, Arthur Lira preferiu “comer pelas beiradas”: trabalhou até no recesso articulando o “centrão”.

Romaria ao paraíso

No fim do ano, enquanto Rodrigo Maia se divertia em Miami, Lira recebia no paraíso da Barra de São Miguel (AL) dezenas de deputados.

Sem terra, com jatinho

Petista bi-condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula vai levar em seu tour europeu por Paris, Genebra e Berlim um diretor do miliciano MST, João Paulo Rodrigues. Para exibi-lo como um “revolucionário”.

‘Randolsonaro’

Líder da oposição, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) passou a defender o veto presidencial à “emenda do relator” do orçamento impositivo, no valor R$ 30 bilhões, por atentar contra o presidencialismo. A patrulha ideológica não perdoará a coragem do senador.

Congresso é o céu

Apesar de deputados e senadores terem retornado em 4 de fevereiro, foram apenas oito dias de trabalho em 2020, incluindo o feriado de carnaval. Mas o “ressarcimento de despesas” passou de R$7 milhões.

Golpe parlamentar

Após a verba de R$30 bilhões capturada pelo Congresso e um tweet da Embaixada da Espanha contando que Rodrigo Maia tratou de “parlamentarismo” com o embaixador, a hashtag #MaiaGolpista virou o segundo assunto mais comentado do Twitter na sexta-feira (28).  

Boa coisa é?

O Congresso lança na terça (3) a frente parlamentar da reforma administrativa. Um dos vices é Kátia Abreu, aquela que tomou à força documentos do presidente do Senado, para tentar impedir sua posse.

Capital da folia

Após desmoralizar a sentença do poetinha Vinícius de Moraes, de que era “o túmulo do samba”, ao promover desfiles anuais frequentemente mais sensacionais que os do Rio, São Paulo vai botar 160 blocos na rua, neste fim de semana, além de atrações como Anitta e Bell Marques.

Só faltou muro

O coronavírus fez o conselho federal da (democrática) Suíça proibir eventos de grande escala até dia 15 de março. Foi cancelado tudo que possa reunir mais de mil pessoas. Espécie de muro virtual à la Trump.

Recordista: diárias 2020

É uma oficial de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores o servidor que mais recebeu diárias do governo federal, este ano. Foram R$56,7 mil apenas em diárias, para Carolina de Araújo.

Pensando bem...

...só no Brasil o líder da oposição concorda com o chefe do governo, que por sua vez briga com o partido pelo qual se elegeu.

 

 
 

PODER SEM PUDOR

Protesto com prejuízo

Quando a ditadura fechou o Congresso, em 1966, determinou que os parlamentares se identificassem para entrar no prédio. O conservador Amaral Neto se revoltou e, numa cena teatral, rasgou a carteirinha de deputado, diante do diretor da Câmara, Luciano Brandão, encarregado de identificar os deputados. Logo depois ele se lembrou que precisava do documento para viajar de graça (na época era assim) de avião. “Providencie a segunda via, preciso viajar ao Rio – segredou Amaral Neto a Brandão. Mas passou o resto da vida citando esse episódio como prova da sua "resistência".

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.