Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Nenhum cavaleiro pode cruzar na frente da linha da bola. Ele faz uma falta. Merecia um cartão”

do vice HAMILTON MOURÃO, sobre a entrevista do ministro da Saúde no Fantástico, misturando esportes.
16/04/2020 05:00 - Giba Um


“Nenhum cavaleiro pode cruzar na frente da linha da bola. Ele faz uma falta. Merecia um cartão”,  
do vice HAMILTON MOURÃO // sobre a entrevista do ministro da Saúde no Fantástico, misturando esportes.

O Ministério da Saúde quer prorrogar a campanha de vacinação contra gripe porque encontrou problemas como dificuldade de circulação de mercadorias nas estradas, questões burocráticas e de logística.

Mais:  no segundo grupo, que inclui os trabalhadores da saúde, como público alvo apenas 2,6 milhões, ou seja, 52% do foram imunizados. Não há data confirmada para a prorrogação da fase final, mas os atrasos continuam.  

 
 

Quase dentista

A cantora Ivete Sangalo, 47 anos, jurada do The Voice Brasil, está na capa da Vogue.  Em comemoração à edição 500, a revista fez um vídeo de 500 segundos com ela. Ivete também já arriscou como atriz no remake de Gabriela, contou que quando era pequena sonhava em ser dentista: “Então, o que eu pensava quando eu era criança? Em ser dentista! Porque eu achava o consultório da minha dentista incrível, achava ela chiquérrima, achava o consultório chiquérrimo e eu falava “gente, eu sou chiquérrima e eu quero ser dentista”. Para manter o corpo em forma e aguentar o pique os shows pratica canoa, faço boxe e  futebol “Futebol eu adoro, jogo muito com meu filho”. Mais: ela conta que depois do nascimento das gêmeas teve que aprender a dividir ainda mais a sua atenção.

Reunião ministerial

Em nova reunião ministerial e com a presença de Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, Jair Bolsonaro ressaltou, mais uma vez, que o comando a ser seguido pelo governo na crise do coronavírus é seu. Lembrou que foi eleito para ocupar a cadeira da presidência da República. O recado veio dois dias depois de Mandetta dizer, no Fantástico, que as divergências no discurso sobre o combate ao coronavírus “levam para o brasileiro a dubiedade”. Mandetta ficou calado durante toda a reunião. Aos mais chegados, o Capitão repetiu que suas opiniões devem ser consideradas e relatou especial incomodo porque Mandetta nem lhe apresentou um plano de trabalho. O principal foco do debate da reunião foi a economia, maior preocupação de Jair Bolsonaro – e de Paulo Guedes. Ele destacou o volume de recursos injetado para combater impactos da crise. E a ministra Teresa Cristina, da Agricultura, expôs sua preocupação com áreas afetadas pelas paralisações, como os pequenos agricultores e até floriculturas. Onyx Lorenzoni, da Cidadania, fez um alerta pessoal sobre as 4.300 cidades brasileiras que “estão milhares de quilômetros distantes de um caso de coronavírus e sem atividade econômica”.

 
 

Clipe da quarentena

A cantora Lexa, assim como grande parte da população brasileira, está cumprindo distanciamento social, dispensou quase todos os funcionários com exceção do chef “Eu cozinho, mas tendo chef em casa, ele cozinha. Eu quem limpo, e nessas horas a gente se arrepende de ter uma casa tão grande!”. Aproveitando o isolamento, ela gravou um clipe em sua casa mesmo, Largadão que será lançado oficialmente amanhã. A cantora fala que a música retrata o momento que estamos vivendo, todos em casa, de pijama. O clipe, quase caseiro, conta com participação do marido Mc Guimê e da avó Conceição, que mora com ela.  

“Bica”

O apresentador de TV José Luiz Datena usou seu programa na Band Brasil Urgente, para disparar contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Apoiador de Bolsonaro, Datena não gostou das críticas feitas por Mandetta ao presidente no Fantástico, domingo passado (12). “Você acha que com a personalidade dele ele já não teria dado uma bica no Mandetta? Se o Mandetta não chutar a canela dele, ele fica. Mas mesmo chutando a canela do presidente, duvido que ele tome uma iniciativa agora. Se eu sou presidente, dava uma bica nele. Mas não sou presidente nem tenho a tranquilidade desse momento”.

In – Suco natural
Out – Suco industrializado

 
 

Arrepio

Nos dias em que a demissão de Luiz Henrique Mandetta, da Saúde era tida como liquida e certa, o nome mais cotado para o lugar era do médico e deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-Cidadania. Nas conversas vazadas que teve com o ministro Onyx Lorenzoni, atual titular da Cidadania, Terra confessava que, “cada vez que saia a possibilidade de um convite de Bolsonaro, sentia um frio na espinha”.

Posição pessoal

O ministro Luiz |Henrique Mandetta, da Saúde, designado para o cargo com apoio de Ronaldo Caiado, governador de Goiás, pode ser demitido sem que o DEM tenha mudado de posição quanto a ele ou Jair Bolsonaro. Rompendo com o presidente, Caiado seguirá uma posição pessoal – e não partidária. Mesmo assim, a relação de Rodrigo Maia com o governo permanece tumultuada. Agora, ele diz que o problema é que os políticos vão ao Planalto para negociar e já na saída são metralhados nas redes sociais pelas falanges bolsonaristas.

DE PANO

O virologista chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Departamento de Genética da UFRJ, Amilcar Tanuri, continua sua campanha pelas máscaras, especialmente de pano. “O uso da máscara de pano não pode substituir o isolamento social e a higienização das mãos. E não levar as mãos ao rosto é recomendação fundamental. A proteção da máscara, não é apenas individual, mas comunitária. Todos devem ter duas: uma para usar, outra de reserva, limpa”.

Arrependido

Luiz Henrique Mandetta, ainda ministro da Saúde, mostra-se arrependido das ironias contra Bolsonaro em sua entrevista ao Fantástico. De cara, sabe que um homem de seu governo aparecer na tela da Globo já quase provoca um infarto no presidente.  E sabe que sua entrevista foi acompanhada embora Bolsonaro diga que “não assiste a Globo”. Ou seja: não dá para arrumar desculpas sobre o que falou. Só que apenas o arrependimento não basta: ele voltou ao patamar de demissionável. Os generais Braga Neto e Luiz Eduardo Ramos não o seguram mais.  

CONTRA DORIA

O governador João Doria, que preferiu trocar seu tom policialesco em relação ao cumprimento do isolamento e agora fala só de amor, está tendo seu passado revirado e exposto nas redes sociais por ação das milícias bolsonaristas. Recortes de jornais dos tempos em que João Doria era presidente da Embratur (1985 a 1988) e estão sendo postadas, recordam que ele teria sido afastado pelo então presidente José Sarney e “toda diretoria da Embratur deveria devolver 6,5 milhões de cruzados (era moeda da época)”.

Olho no garimpo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, demitiu o chefe da fiscalização do Ibama, Olivadi Azevedo, major na PM de São Paulo, depois de uma super operação que flagrou garimpeiros e madeireiros em terras indígenas no sul do Pará. O Planalto ficou irritado: Jair criticou a inutilização das máquinas e comemorou queda nas multas.  A operação contrariou Bolsonaro: ele tem obsessão pela liberação do garimpo em terras indígenas. O secretário-executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini é categórico: “Quem conhece o crime ambiental está sujeito à demissão sumária”.

Maria da Penha

O Tribunal de Justiça do Rio vai fazer um tour de force na tentativa de dar vazão à disparada dos casos de violência contra a mulher no estado. Titulares de juizados especializados no tema – são sete na capital – passarão a receber em casa todos os processos que derem entrada no Plantão Judiciário. Os números assustam: só no Rio, por conta do confinamento, os registros de agressões a mulheres cresceram 50% em março, em comparação ao mesmo período do ano passado.

MUNDO NOVO, NÃO

“Nosso prognóstico político e econômico para o Brasil é muito ruim e a situação deverá ficar ainda pior quando começarem a surgir os primeiros focos de rebeldia social inorgânica, movidos pela fome e pela miséria, que crescerão de forma geométrica no ano de 2020”. O alerta é do sociólogo e cientista político José Luis Fiori, professor de economia política da UFRJ. “Hoje, muitos falam que um mundo novo que poderia nascer dessa experiência traumática e até apostam em mudanças humanitárias no capitalismo. Não vejo a menor possibilidade de que isso aconteça”.

MISTURA FINA

  • ALÉM de avisar que vai suspender 11 mil dos 22 mil funcionários que têm na rede das lojas Havan, Luciano Hang demitiu, sem fazer alarde, na Semana Santa, 2.200 pessoas. As demissões são confirmadas pelo Sindicato dos Comerciários. Luciano lidera ações do empresariado local contra as medidas de isolamento propostas pela pelo ministério da Saúde – quer o comércio funcionando. Há dias, ele disse que teria dinheiro para indenizar os 22 mil funcionários, fechar a Havan e ir viver na praia.
  • O QUE mais preocupa os hospitais paulistas é a taxa de óbitos: 15% dos internados até agora morreram. O estado de São Paulo já chegou a ter dois mil internados.
  • OS correios estão recebendo denúncias sobre o uso de seu nome em fraudes eletrônicas. Na esteira do coronavírus e do aumento de compras pela internet, bandidos têm disparado milhares de e-mails como se fossem da estatal com alertas sobre atrasos de entrega ou devolução de encomendas. Aí, ao clicar a mensagem surge uma pandemia de vírus no computador ou smartphone, levando senhas e dados bancários.
  • OS clubes da Série B do Campeonato brasileiro estão pressionando a CBF: querem receber benefício similar ao que a entidade vai dar aos participantes das Séries C e D, além dos principais times de futebol feminino do país. Ao todo, a CBF vai distribuir R$ 19 milhões para que 140 clubes possam arcar com dois meses de salário. Se o mesmo critério esticar para segunda divisão, o desembolso encosta em R$ 30 milhões.
  • COM déficit de R$ 25,7 bilhões, o caixa do Estado do Rio suporta só 60 dias. E Wilson Witzel: “assim como outros estados precisamos urgentemente de recursos federais”. O governador diz ainda que, para fortalecer a rede estadual de Saúde, é necessário um repasse de R$ 1 bilhão. “Nós só recebemos até agora R$ 88 milhões”.
  • SOFRIDOS pela pandemia, os italianos ainda mantêm dose de humor com toque de reconhecida arrogância em relação a sua posição no mundo da moda. Dizem que eles não têm como esconder que possuem “pezze al culo”. E justificam: Armani faz macacões especiais e aventais, Ferrari fabrica respiradores, Gucci produz máscaras e Bulgari atua na área do álcool gel.

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.