Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

"Ninguém morreu por falta de médico"

Jair Bolsonaro, esquecendo-se que o governo só repassou 30% das verbas aos Estado e Municípios
27/07/2020 05:00 - Giba Um


Deputados e senadores da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica vão solicitar à Aneel que breque qualquer pedido de aumento da conta de luz até o fim do ano. 

Mais: as concessionárias já serão favorecidas pela decisão do STF, que exclui o ICMS da base de cálculo do Cofins e do Pasep nas faturas de energia emitidos entre 2008 e 2013, além dos R$ 16 milhões liberados por causa do Covid-19.

 

“No Brasil, ninguém morreu, pelo que eu tenho conhecimento por falta de médico. Todos os recursos o governo passou para os estados e municípios”, 

de JAIR BOLSONARO // esquecendo-se que o governo só repassou 30% das verbas.

 

In – Make: sombras coloridas

Out – Make: sombras neutras

 
 

Só com vacina

A drag queen Pabllo Vittar, 25 anos,  que acaba de lançar a música Rajadão que já tem mais de 1 milhão de visualizações com pouco mais de  24 horas de lançamento e está na capa da Quem digital. Revelou os prós e os contas da fama: antes tinha mais tempo de ficar com a família e até aprendeu fazer bolo com a mãe, por outro lado, agora, depois de famosa não é mais xingada. Passando a quarentena com a família revelou que pretende voltar aos poucos somente quando tiver uma vacina comprovadamente eficaz. “Enquanto não tiver uma vacina e as pessoas ainda estiverem morrendo, eu, Pabllo Vittar, não vou para o palco. É um sentimento muito triste ver que o governo não está fazendo nada, que as pessoas estão morrendo. Subir no palco para cantar com tudo isso na cabeça é muito louco. Para mim, não vai rolar”.

Colocando em risco

Cansado de levar bicadas das emas dos jardins do Alvorada, o presidente resolve, depois de três resultados positivos no teste para Covid-19, sair do isolamento, pegar uma moto para passear pela área do palácio e sem máscara conversou com garis que trabalham lá. Pelas fotos, ninguém sabe a que distância estavam. Mesmo os garis com máscaras, é um ato de desprezo pelas quase 85 mil mortes, manifestado repetidas vezes. Ele colocou a saúde dos outros em risco e não ficou preocupado com isso. Ou seja: não basta violar a recomendação dos médicos. Ele parece disposto a ofender a vida dos outros. O último exame de Bolsonaro foi feito na terça-feira passada (21). Antes da divulgação do resultado, ele disse que torcia para que fosse negativo para que ele pudesse voltar  à “normalidade” e adiantou que queria viajar na sexta-feira (24). Aí, foi divulgado o resultado positivo. Ele tem conversado diariamente com apoiadores no cercadão do Alvorada, sem máscara e à distância. E tem levado bicadas das emas com as quais posa com uma caixa de cloroquina nas mãos. E profetizou: “Quem está vivendo em sociedade, mais cedo ou mais tarde, vai pegar”.

 
 

Carreira musical

A modelo, atriz e dançarina Aline Riscado é agora cantora também. A cerca de um mês é integrante da banda Luz. A banda que é composta, além de Aline por  Thiago Barromeo (namorado de Karol Conká), Adonai e Fernandinho Beat Box. Ela contou que a ideia partiu Barromeo, que queria levar uma mensagem de paz, esperança e positividade para as pessoas através da música. A banda já tem o primeiro clipe chamado Somos Luz. Mais: o nome dançarina vem sendo cogitado para assumir o posto de apresentadora no reality Uma Vida, Um Sonho, no SBT, que tem previsão de estreia de  4 de outubro.

Contágio

Donald Trump lançou a moda da cloroquina e aos poucos, foi deixando para seus imitadores. Quando desistiu, anunciou a doação de dois milhões de doses ao Brasil. Bolsonaro agradeceu e mandou distribuir entre os estados. Na semana passada, o comandante do Exército, general Edson Pujol, exaltou a produção da substância em laboratórios militares. E disse: “Com orgulho informo que está pronta respostas já recuperou milhares de integrantes de nova família verde-oliva”.

 
 

Duplo diagnóstico

O ex-senador Delcídio do Amaral (PTB-MS) está internado no Hospital da Cassems, em Campo Grande. Foi para lá porque apresentou uma piora no tratamento que vinha fazendo contra o Covid-19. Só que lá descobriu que além do coronavírus também está com dengue. É a segunda vez que Delcídio tem dengue, em 2010 teve uma hemorrágica. Apesar da dupla doença seu estado é instável, está num quarto e por enquanto não precisa de nenhum auxílio de equipamentos.

Agora vai

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, chamou para si a articulação junto ao Congresso para aprovação do projeto de lei 2.633/20 que estabelece novas regras para a regularização fundiária de ocupações em terras da União. Até agora, o governo vem tomando uma canseira no assunto. A MP editada para tratar do tema foi ignorada por Rodrigo Maia, presidente da Câmara e caducou antes de ser votada. Nem a pressão da bancada ruralista, favorável ao projeto, tem ajudado o Planalto.

CERCO

O MPF deverá levar ao STF o pedido de afastamento do chefe da Secretaria de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten. Solicitação similar já foi feita ao TCU, sob alegação que Wajngarten recusa-se a apresentar os gastos em publicidade online do governo. E mais um flechada do aparelho da Justiça contra o “gabinete do ódio”.

Governança

Numa assembleia que começou às três da tarde da tarde e terminou às duas manhã, a Petrobras passou por ampla renovação de seu conselho de administração, liderada por Juca Abdalla, o investidor pessoa física dono de 0,75% do capital da companhia. Ele conseguiu eleger mais dois conselheiros, aumentado a representação dos minoritários para três dos membros pela primeira vez na história. Juca tem R$ 2,3 bilhões investidos na companhia. Ele é o herdeiro da fortuna de J.J. Abdalla, o “mau patrão” de Perus, no século passado. 

DIGITAL

A reforma proposta enviada ao Congresso também atinge o mundo digital. Nas vendas realizada por fornecedores estrangeiros e plataformas digitais, a empresas estrangeiras ficarão responsáveis pelo recolhimento da CBS. Para tanto, a Receita vai criar um cadastro simplificado para que os fornecedores façam o recolhimentos quando intermediarem operações em que o vendedor não emite nota fiscal eletrônica. 

Outro “cartório”

A Anvisa pensa em aprovar resolução criando mais um “cartório” no país, em plena pandemia, regulamentado para burocratizar a prescrição de medicamentos por meio eletrônico. Além do médico ser obrigado a obter  um “certificado eletrônico” para prescrever remédios, a farmácia terá de obter outro para vende-los. Em vez da apenas tornar digitais exigências “analógicas” para receitas médicas, tudo será controlado por um Instituto Nacional de Tecnologia (ITI).

“Fim do ProUni”

A proposta da unificação do PIS/ Cofins apresentada pelo governo ao Congresso provocou o protesto de entidades que representam escolas, faculdades e universidades privadas. O setor afirma que, se o projeto for aprovado, será o fim do Programa Universidade para Todos (ProUni), além de causar uma alta generalizada nas mensalidades. O PIS/ Cofins representa 32% da isenção fiscal de R$ 2,3 bilhões concedida às universidades que aderem ao ProUni. A retirada da isenção provocaria um impacto de R$ 736 milhões.

“FOGO AMIGO”

“Sua caneta está sem tinta, hein, general”,  gritou o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) para Luis Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, horas antes da votação da PEC do Fundeb. Ele ganhou um folego depois da sessão que aprovou novos dados da Fundeb, mas está enfrentando “fogo amigo” dentro das próprio fileiras governamentais. Ele é “boa praça”, “sabe conversar”, “é gentil e atencioso com todos”, só que tem dificuldade em realizar o que promete aos parlamentares. Hoje tem o posto mais cobiçado por aliados do governo no Congresso.

MISTURA FINA

- TODOS os partidos querem que o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro se filie a sua agremiação. O PSL, ex-sigla de Bolsonaro também. Marcos Cintra ex-Secretário Especial da Receita Federal do governo Bolsonaro foi o encarregado de fazer o convite a Moro. O PSL acredita que sua filiação seria a cartada final para derrocada de Bolsonaro.

- O DEPUTADO  “Hélio Negão”, está cotado para ser candidato a vice prefeito de Marcelo Crivella na disputa pela reeleição. Seria uma das contrapartida do apoio do clã Bolsonaro a Crivella.

- “SOU mulher, nasci no Meier e sou filha de motorista”. Angela Costa, ex-presidente da Associação Comercial do Rio, empresária dona da Paper Box, empresa do segmento de papel e papelão, presidente do sindicato do setor, que tenta viabilizar sua candidatura do Rio de Janeiro. Quer derrubar Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, que está 25 anos no comando da entidade.

- OUTRA nomeação causa mal-estar no Ministério da Saúde, depois do episódio envolvendo a filha do general Braga Netto, da Casa Civil. Trata-se da nomeação da advogada Vitória Castro para a Secretária de Atenção Especializada em Saúde da Pasta. Vitória teve como um dos seus padrinhos de casamento o ministro interino Eduardo Pazuello.

- AS doações destinadas a amenizar os impostos da pandemia ultrapassaram R$ 5,5 bilhões no Brasil, montante alto para quem não tem cultura de doações. O Brasil é o 74º colocado no Ranking Global de Solidariedade da Charities Aid Fondantion,  que consolidou dados de uma década em 126 países, com 28% de doadores de pessoa física. Os 10 primeiros países do ranking têm pelo menos 50% de doadores em sua população.

- O PLANALTO estuda uma “solução Weintraub” para o ministro Ricardo Salles, leia-se seu “exílio” em um organismo multilateral. Bird e CAF – Corporación Andina de Fomento são destinos cogitados.

- O PRESIDENTE do Senado, Davi Alcolumbre, estuda adaptações para que, logo após o recesso, os parlamentares passam fazer votações em cabines especiais, sem sair de seus veículos. Pelo regimento, há matérias que só podem ser votadas presencialmente, a exemplo da indicação de embaixadores.

- A NOVA coqueluche da Câmara é a deputada Professora Dorinha (DEM-TO), relatora do Fundeb. A presidência da Casa já a definiu como “a nova cara da Educação de qualidade”.

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.