Clique aqui e veja as últimas notícias!

GIBA UM

“Nós vamos vacinar nossa população como um todo"

de EDUARDO PAZUELLO
24/12/2020 05:00 - Giba Um


Dois números fundamentais para projeções sobre o mercado de trabalho brasileiro deverão ser divulgados: o Caged e a PNAD Covid mensal de novembro. Os indicadores têm mostrado grandes diferenças. Mais: o Caged apresentou forte criação de empregos em outubro (394 mil postos de trabalho) e na PNAD destacou-se o desemprego alto e em ascensão, no mesmo período. Ou seja, dados de peso ainda.

In – Ano Novo: dourado e prateado

Out – Ano Novo: preto e marrom

 
 
Rito de passagem

E com esse título que a revista Elle Brasil, mostra capa e recheio da apresentadora e atriz Maisa Silva. Ela que começou com 4 anos no programa de Raul Gil, hoje tem 18 anos, cresceu no SBT, no qual se desligou este ano (há quem garanta que ela irá para Globo). Agora no final do ano anunciou a criação de sua empresa Mudah, uma agência que tem como principal objetivo conectar marcas e artistas, em sociedade com Guilherme Oliveira, que cuida de sua carreira há seis anos. Em entrevista falou que pretende cursar cinema ou publicidade. Falou também que não deixou se intimidar na etapas da vida. “Acho que, em alguns lugares, as pessoas duvidam de pessoas com idades diferentes, principalmente jovens e, especificamente, mulheres jovens. Acham que a gente não vai aguentar. Mas eu nunca me intimidei com isso, eu ia lá, acreditava no meu potencial e as coisas funcionavam”. Falou também do seu novo estilo de moda: “Eu tinha uma relação de insegurança com a moda, mas depois fui me permitindo experimentar coisas e entender que nem tudo é pra gente o tempo inteiro e está tudo bem”.

 

“Aliança de centro”

333 Prestes a concluir seu terceiro mandato como presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) planeja para seu futuro político atuar como coordenador de uma candidatura “de centro” à Presidência da República em 2022. “Muito mais do que um novo mandato é fazer um projeto, coordenar a campanha de alguém”, disse num café da manhã de fim de ano com jornalistas. Ele se aproximou do apresentador de TV Luciano Huck (sem partido) e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ambos com planos de concorrer à Presidência e também conversa com pré-candidato do PDT, Ciro Gomes. Mais: tem defendido uma aliança entre a centro-esquerda e a centro-direita para enfrentar o presidente Bolsonaro. Resumo da ópera: se não for candidato a vice de um deles, parte para mais um mandato na Câmara dos Deputados.

 
 

Ensaio sensual

No final do ano a dupla Maiara e Maraisa irão completar 33 anos. E para comemorar a data e presentear os fãs, as irmãs fizeram um ensaio sensual mostrando suas curvas. A intenção do ensaio é mostrar o momento de liberdade, descontração, naturalidade e diversão que as duas estão vivendo, tentando transmitir a nova fase da vida pessoal (ambas namorando) e profissional através dos looks mais despojados, decotados e livres de amarras, entre o básico como camiseta e jeans até os mais sensuais com bodys cavados e biquínis.

 

“Governistas”

Para definir seu “candidato independente” à presidência da Câmara, Rodrigo Maia, se fixou em dois nomes governistas. Ambos são filiados a partidos de apoio ao governo Bolsonaro no Congresso: Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (MDB-SP). Rodrigo quer dividir os votos de Arthur Lira (PP-AL). O problema é a dificuldade de “construir o consenso”, como ele diz, em nome de seu preferido. Aguinaldo Ribeiro, enroladíssimo na Justiça. A esquerda conhece bem a turma de Maia e sabe que, na presidência, qualquer um dos dois vai buscar acordo com Bolsonaro. E ele não pode atacar Arthur no campo moral porque Ribeiro também coleciona processos.

 
 
Alvo

 Muita gente atribuiu ao embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Forster, o suposto “atraso de 38 dias” no reconhecimento da vitória de Joe Biden. Tentaram crucificar Forster por haver endereçado a Brasília, como é rotineiro nas embaixadas, “telegramas” sobre fatos relevantes como ações judiciais de Donald Trump e notícias ignoradas na imprensa de lá e de cá e supostas irregularidades na eleição. Embaixadores não intercedem na decisão presidencial de reconhecer vitórias eleitorais. Detalhe: Forster está arrumando as gavetas. Será removido de Washington.

Acertou

 O ainda prefeito do Rio, Marcelo Crivella, passou a campanha anunciando a prisão de seu adversário Eduardo Paes. Numa única vez, Paes irritado, respondeu: “Você é que vai para cadeia”. Era o profeta certo; o outro era o profeta errado. Crivella foi para a cadeia, acusado de chefiar um esquema de corrupção. O grupo teria começado a fatura antes da eleição de 2016. Depois, o bispo virou prefeito e seus aliados montaram “um quartel-general da propina” para fraudar licitações e extorquir fornecedores. Sua prisão (embora domiciliar) é preventiva. O pior prefeito da cidade vai passar as festas de final do ano pensando na vida e já assustado com que os demais vão falar na delação envolvendo seu nome e suas ações.

QUANTO PIOR

 O Ministério da Saúde, a comunidade cientifica, João Doria e agora Eduardo Paes, a Fiocruz, laboratórios e outras ligadas a saúde serão responsabilizados pelo estímulo a vacinas que podem produzir efeitos secundários e estão sendo recomendados que se conheça efetivamente os vírus. Bolsonaro joga a política do “quanto pior, melhor”. Nada mais nocivo, do ponto de vista sanitário e moral.

Em fevereiro

 Mais longevo líder governista – está no cargo desde 2019 – o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) garante que o governo só vai avaliar um novo programa social ou a retomada do auxílio emergencial que socorreu 68 milhões de pessoas durante a pandemia de 2020, a partir de fevereiro do próximo ano. O governo quer observar, segundo Bezerra os primeiros meses da “surpreendente” retomada do crescimento que, em sua avaliação pode desmobilizar as negociações em torno da extensão do auxílio ou mesmo em relação à criação de um novo programa de transferência de renda, como havia sido discutido no âmbito do Renda Cidadã.

MAIS BRASIL

Declaração do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), antes do encerrar das atividades deste ano pode gerar polêmica dentro do Planalto. É que Barros anunciou ser favorável a PEC dos Municípios (a equipe econômica é contra). A proposta aumenta em 1% os repasses da União para o Fundo de Participação dos Municípios. “Não é o melhor momento, mas está no DNA liberal do governo. Mais Brasil e Menos Brasília. Este é o lema do Presidente Bolsonaro. A votação da PEC que dá 1% a mais de FPM aos municípios impactará o orçamento 2021 em RS 700 milhões.”

Qualquer legado

Presidentes erram. Sarney errou na economia, mas avalizou a reabertura democrática. Collor errou no confisco da poupança e ao permitir as ações de PC Farias, mas abriu a economia para o mundo. FHC errou na reeleição, mas estabilizou a moeda nacional. Lula deixou a corrupção correr solta, mas distribuiu a renda como nenhum de seus antecessores. Dilma errou feio e Bolsonaro erra como jamais se viu. Erra no atacado desde o primeiro dia de seu mandato e em todas as frentes. Como Dilma – e ao contrário do que querem seus antecessores – não deixou até aqui qualquer legado.

VENCEDORES”

Levantamento feito em todo o país pelo instituto Paraná Pesquisa mostra como os brasileiros estão reconhecendo o trabalho dos profissionais da Saúde em 2020. 50% dos entrevistados os consideram “os grandes vencedores” do ano na pandemia do coronavírus. Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem lideram a pesquisa em todos os recortes demográficos e geográficos. Em segundo lugar aparece o presidente Bolsonaro com 20,2%. E em terceiro lugar, com 14,9% a própria covid-19.

MISTURA FINA 

  • NO mesmo levantamento da Paraná Pesquisa aparece Rodrigo Maia com apenas 2,2%, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luis Fux, que acaba de tomar posse, com 1,9% e Davi Alcolumbre com 0,8%.
  • A CÂMARA Municipal de São Paulo aumentou em 45% os salário do prefeito e do vice e, claro, dos próprios vereadores. A alegação é cínica: “reposição da perda inflacionária”, como se vereador fosse uma cadeira.
  •  O BRASIL exigirá de quem chega do exterior testes que os isentem de qualquer contaminação do coronavírus, mas não basta. Como tantos outros países já o fizeram, precisa impedir voos do Reino Unido.
  • ABALADO pela derrota no Supremo, que impediu a reeleição do presidente do Senado, Davi Alcolumbre dá sinais de abatimento depois da eleição do prefeito de Macapá, onde não conseguiu eleger seu próprio irmão. Agora procura uma “saída honrosa”: escolher quem será o futuro presidente do Senado.
  • DEPUTADOS do Novo criaram lista de matérias relevantes para o Brasil e cobram inclusão na pauta do próximo presidente da Câmara. Reformas tributária, administrativa, política, pacto federativo e privatizações, prisão em 2ª instância e o fim do foro privilegiado. Todos na gaveta de Rodrigo Maia.
  • A CÂMARA escolheu a “comissão” que estará de plantão durante o recesso. São 17 deputados, incluindo Rodrigo Maia, que deseja garantir os holofotes e revela constrangedora dificuldade de “largar o osso”, segundo o pessoal da oposição.
  • NA avaliação que fez da economia brasileira, a OCDE realça a necessidade de mais reformas e de uma real abertura na economia e insiste no complicado ambiente de negócios que leve uma empresa de médio porte a gastar, aqui, cerca de 1.500 horas/ ano para lidar com a carga de impostos. Na América Latina, esse imposto é de 317 horas/ ano e nos países da OCDE, de 159 horas.