Clique aqui e veja as últimas notícias!

GIBA UM

“O Brasil está quebrado. Eu não consigo fazer nada”

de JAIR BOLSONARO // queixando-se da pandemia e na contramão de Paulo Guedes que vê período promissor na economia
07/01/2021 05:00 - Giba Um


Como já esperado, devido a distanciamento social as vendas em shoppings centers caíram 12% no período do Natal em relação a 2019. Os dados são da Abrasce. O recuo é maior que o apurado no varejo. 

Mais: no comércio, a retração foi de 1,8% de 19 a 25 de dezembro. Varejistas já vem ressaltando há meses a lentidão maior na retomada dos shoppings em relação as lojas de rua e ao canal digital.

In – Tênis cano baixo

Out – Tênis cano alto

 
 

Sensação de perda

A modelo Kendall Jenner, 25 anos, está na capa de Vogue chinesa. Em fotos com muitas flores e romantismo ela fala sobre sua relação com o pai e de como foi receber a notícia e o processo de aceitação de seu pai como transgênero, que no começo achou que ele estivesse traindo a mãe, e que quando o viu pela primeira vez seu pai vestido como mulher (ainda em transição), de madrugada, teve a sensação de seu coração havia parado. 

“Quando nos contou que aquilo realmente estava acontecendo, foram meses à flor da pele. Eu chorava pensando estar de luto por meu pai. A pessoa ainda está lá, mas é como se você estivesse perdendo alguém”. 

E completa: “É um ajuste, com certeza. Você começa a perceber que a pessoa ainda está viva. A pessoa ainda está aqui. Eles ainda são uma benção. Eles ainda são incríveis. Eu percebi que deveria ser grata por ainda ter meu pai”.

Descobriu tarde

Jair Bolsonaro está há dois anos sentado na cadeira principal do terceiro andar do Palácio do Planalto. Antes disso, passou quase três décadas na Câmara dos Deputados, a poucos metros de onde trabalha hoje. 

Apesar disso, o presidente “descobriu” somente agora que o país que preside está “quebrado”. Se usarmos como quebradeira o compromisso do governo federal em economizar anualmente recursos para quitar parte dos juros que incidem sobre a dívida pública, o Brasil entrou num atoleiro em 2014, primeiro ano que, no lugar de juntar dinheiro, o país fez mais dívida. 

E a situação só tem piorado. O próprio Bolsonaro sancionou lei que define parâmetros que devem ser seguidos para a elaboração do Orçamento de 2021.

Para quem não tem ideia: nessa lei, a equipe econômica de Bolsonaro diz que o governo se compromete a encerrar o ano com um rombo de R$ 247,1 bilhões nas contas públicas. Será o oitavo ano consecutivo do avanço do buraco fiscal.

 
 

Recebendo bênçãos

A cantora Gaby Amarantos começou o ano bem diferente e compartilhou com seus fãs, admiradores e seguidores de suas redes sociais. 

Numa foto nua, cobrindo as partes estratégicas com folhas no meio de uma floresta em Alter Do Chão, no Pará com simples legenda: “Recebendo a benção da floresta #2021”. 

Gaby está feliz da vida seu novo clipe Vênus em Escorpião com participação de Ney Matogrosso e Urias já tem quase 900 mil visualizações com menos de um mês de lançamento. 

A nova temporada do Saia Justa Verão, contará com a presença das quatro apresentadoras. Durante a pandemia sua participação foi a distância de modo online.

Não está quebrado

Nove entre dez economistas (otimistas) dizem que não dá para dizer que o país está quebrado. O país vive uma grave crise, que pode levar a insustentabilidade da dívida pública. 

Mas está longe de estar quebrado. Cabe o governo conseguir do Congresso as reformas capazes de tirar o país dessa situação. 

O Brasil, hoje, tem uma situação confortável nas contas externas que, no passado, já foram pico de crise e instabilidade. 

Não há registro da história recente de um país ter quebrado em relação a seus compromissos domésticos. Bolsonaro não deveria reclamar: imagina credores internacionais ouvindo isso do próprio presidente.

 
 

Decano

Gilmar Mendes passa a ser o decano (mais antigo) integrante do Supremo Tribunal Federal a partir de julho com a aposentadoria de Marco Aurélio, que completa 75 anos no dia 12 daquele mês. 

Ele permanecerá, nessa posição por quase dez anos, até 30 de dezembro de 2030, quando completará 75 anos e terá de pendurar a toga.

Encolhendo

Os bancos extinguiram 78.155 postos de trabalho de janeiro de 2013 a outubro de 2020. No período foram registradas 303,7 mil demissões e 225,5 mil contratações. 

Os saldos totais de postos entre os anos de 2013 e 2020 foram negativos para o setor bancário. O destaque foi para 2016, que encerrou com 20,6 mil desligamentos a mais do que contratações. A transformação tecnológica e digital é que tem levado ao enxugamento da estrutura das instituições financeiras. São dados do Dieese.

VENDE-SE

O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, entra o ano novo com uma ideia fixa: selar, ainda no primeiro semestre a participação da CEF no Banco Pan. 

No ano passado, a Caixa se desfez de suas ações preferenciais, mas falta o principal: sua fatia de 49,2% na sociedade com o BTG. Em tempos de fintechs, não será fácil vender o Pan.

Pra valer

Após entregar as cartas credenciais, Nestor Forster finalmente concluiu a acreditação como novo embaixador em Washington. Disse que o Brasil “está empenhado em construir uma parceria cada vez mais forte com os Estados Unidos, baseada em valores comuns, em benefício de nossos povos”. 

Sua permanência lá, depende de sua atuação. Forster é um “olavete”, reza na cartilha do guru dos Bolsonaro, Olavo de Carvalho.

PARADO

O senador Jayme Campos (DEM-MT) está em alta no Planalto. O ano de 2020 terminou sem que o processo contra Flávio Bolsonaro no Conselho de Ética do Senado, presidido por Campos, tenha andado um milímetro. 

A oposição já dá o caso como perdido. Mais: Cármen Lúcia, ministra do STF, pretende convocar o general Augusto Heleno, chefe da GSI, para depor sobre suposto favorecimento da Abin a Flávio Bolsonaro.

Protestado

O ex-ministro Antônio Palocci tem seu nome protestado em dois cartórios: um envolve o não pagamento de uma conta de celular da Oi no valor de R$ 199,63 e um dos apartamentos no Jardins com valor de R$ 10 milhões tem condomínio e IPTU em atraso. 

A Projeto, firma de consultoria que já lhe rendeu R$ 83,1 milhões em serviços por 47 empresas até novembro de 2016, hoje amarga uma ação trabalhista no valor de R$ 280 mil movida pela ex-sócia Rita de Cássia dos Santos. 

Aos 60 anos, formado em Medicina, ele não se sente à vontade para retomar o ofício que não exerce há muitos anos.

“Velho normal”

Pichada pela mudança temporária de hábitos de consumo, a produção da indústria brasileira teve uma recuperação incomum no segundo semestre do ano passado, depois do tombo inicial provocado pela pandemia. 

Contudo, o prognóstico é que o setor volte a um cenário de perda de dinamismo o que já ocorria antes do surgimento do coronavírus. 

Com os estoques em baixa, a produção da indústria tem um quadro positivo de curto prazo por causa da necessidade de recomposição do nível de produtos armazenados. 

A partir do segundo semestre, o setor deve sentir mais os efeitos negativos do desemprego, da queda de renda e do agravamento da covid-19, fatores que podem conter o consumo das famílias.

PREÇO NORMAL

Jair Bolsonaro suspendeu a compra de seringas para iniciar a imunização contra o coronavírus. O Ministério da Saúde, conseguiu comprar 7,9 milhões das 331,2 milhões de unidades que pretendia. 

Alegação: a alta abusiva do produto. “Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade. Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande”.

 

MISTURA FINA

  • O MINISTRO Paulo Guedes tenta convencer Jair Bolsonaro a reincluir a Ceagesp, que deu lucro no ano passado, no programa de privatização do governo. A venda aconteceria apenas no ano que vem. Nas palavras de Bolsonaro, a empresa de abastecimento de produtos agrícolas “é a estatal da roubalheira”.
  • POR uma série de tropeções, o ministro Tarcísio Freitas passou de queridinho do presidente para candidato a ser rifado, dada a necessidade de entregar cargos ao centrão. As atrapalhadas de Freitas no setor de navegação contribuíram para que ele fosse encaminhado à frigideira mais próxima. Quem viver, verá.
  • NO Planalto, comenta-se que o presidente Bolsonaro ressuscitou a ideia de nomear Alexandre Ramagem para direção da Polícia Federal. Desengavetar a polêmica indicação em que a Abin, comandada por Ramagem, é acusada de trabalhar a favor de Flávio Bolsonaro.
  • O MINISTRO Luís Roberto Barroso, do STF, enviou para a Justiça do Distrito Federal, processo onde o candidato do governo à presidência da Câmara, Arthur Lira, é acusado de injúria e difamação pela ex-mulher, que a teria chamado de “vigarista profissional”. Para Barroso, a fala de Lira não tem nada a ver com seu exercício político e por isso não deve ser julgada no Supremo.
  • DAVI Alcolumbre está se mexendo para viabilizar Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à sua sucessão, mas sem o apoio explícito de Jair Bolsonaro será difícil. O problema é que o presidente não vai se meter nessa área. 
  • TIRAR Rogério Marinho do ministério de Desenvolvimento Regional para abrigar Marco Pereira na pasta está fora de questão. Mas, outra ideia de Pereira, a volta do Ministério do Trabalho, pode ser feita – só que não a favor dele. Bolsonaro pensar em criar nova Pasta do Trabalho, só que com Davi Alcolumbre no comando.
  • O EX-senador Romero Jucá, velho cacique do MDB, entrou de cabeça na campanha de Baleia Rossi à presidência da Câmara. Também o ex-presidente Michel Temer entra nessa dança. Baleia Rossi é filho de Wagner Rossi, veterano companheiro de empreitadas políticas de Temer, especialmente no porto de Santos.