Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“O ministro Paulo Guedes passa informações falsas sobre a crise para estados e municípios. Ele não é sério”

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, alvo de Bolsonaro, reiniciando seus ataques ao governo.
22/04/2020 01:00 - Giba Um


O ministro Paulo Guedes passa informações falsas sobre a crise para estados e municípios. Ele não é sério”, 

de RODRIGO MAIA // presidente da Câmara, alvo de Bolsonaro, reiniciando seus ataques ao governo.

 

O chamado “Gabinete do ódio”, que funciona na sala do lado do gabinete presidencial, no Planalto, sob comando de Carlos Bolsonaro, já tem novo alvo. É a ministra da Agricultura.

Mais: Teresa Cristina, uma das favoritas do presidente, é do DEM de Mandetta, Maia e Caiado, só isso bastava para alguns torpedos, mas o pessoal das falanges acrescenta negócios com a China.


 

 
 

DUAS MARIAS 

A atriz Sophie Charlotte, prestes a completar 31 anos poderá ser vista em dose dupla na Globo. Como Maria Amália na reprise de Fina estampa, que deve ir até o final de junho, e na série Todas as mulheres do mundo que estreia amanhã (23) onde viverá a bailarina Maria Alice. Em entrevista a atriz fala que tem duas coisas em comum com a personagem: o balé, que faz desde os 5 anos de idade e Alemanha, sua terra natal. Ela só veio para o Brasil aos 7 anos. “Estou tão ansiosa para essa estreia! Acho que foi a melhor notícia que recebi nos últimos tempos... Tenho dito para amigos e família que vai ser meu presente adiantado de aniversário. Vou assistir e maratonar de um jeito muito entusiasmado porque fazer parte desse projeto foi lindo. Foi minha amizade com Domingos de Oliveira que me permitiu essa proximidade com a personagem”.

Intervenção militar

A cúpula das Forças Armadas experimenta sensação de total desconforto com o que Jair Bolsonaro falou no domingo (19) em frente ao QG do Exército em Brasília, caracterizando o encontro como um ato pró-golpe. “Acabou a época da patifaria!” e “Não queremos negociar” ou ainda “Vocês têm obrigação de lutar pelo país de vocês!” – são frases da declaração de guerra do Chefe do Governo, embora não se saiba exatamente contra quem, enquanto nos cartazes se lia: “Urgente! Não tem conversa, o povo clama por justiça! Intervenção militar já!” e “A voz do povo é soberana. Somos todos Bolsonaro”. Ou seja, era uma manifestação sob encomenda em meio a pandemia que assola o país. Uma intervenção militar, à essa altura, em meio à tragédia do coronavírus e mesmo diante da não concordância das Forças Armadas, incluindo ministros militares do governo, pela democratização, é fora de cogitação. Resta pretexto de medidas excepcionais (seria necessário apoio do Congresso). E adiante da economia arrasada pela pandemia resta ainda a eleição de “novos inimigos” para reforçar a imagem para a reeleição em 2022. E quando ele fala em “não negociar”, significa que a tentativa de ganhar novos aliados, inclusive do Centrão, já estão naufragadas.


 

 
 

PEDIDO ESPECIAL 

Giulia Costa, 20 anos, filha de Flávia Alessandra e de Marcos Paulo, é atriz é já foi muito criticada por usar o sobrenome do padrasto, Otaviano Costa, em sua carreira artística. Mas ela justificou que seus pais são conhecidos sem os sobrenomes, por isso adotou o do padrasto. Pouco conhecida como atriz, ela está junto com a mãe na campanha do Dia das Mães da Amaro. E chama atenção com suas postagens do Instagram. Dias desses postou foto de topless e num outro post um pedido especial ao cantor Justin Bieber onde pedia para ser a garota-propaganda de sua marca Drew House.

Contra-ataque

Horas depois do discurso considerado pró-golpe de Bolsonaro em defesa da intervenção militar e fechamento do Congresso e do Supremo, em Brasília, governadores de 20 estados assinaram carta em defesa da democracia. O documento do Fórum Nacional de Governadores manifesta apoio aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, sobre a postura dos dois líderes do parlamento brasileiro “afrontando princípios democráticos que fundamentam nossa nação”.

 
 

Medo das falanges

Rodrigo Maia, que estaria recebendo mensagens de guerra e ameaças de morte das falanges bolsonaristas através das redes digitais, manteve sua casa, no Rio, cercada pela PM e também por carros da polícia civil. Em vídeos que circulavam, apareciam policiais reclamando do tempo que estavam nessa proteção reforçada, só levantada quando ele avisou que iria voltar a Brasília.

Candidato

Augusto Aras, procurador-geral da República, foi acusado por 14 subprocuradores de exorbitar de suas funções para blindar o governo. Três dias depois, largou o expediente para ir fazer figuração na posse do novo ministro da Saúde. Aras está de olho numa vaga do Supremo, se bem que sua presença na solenidade palacianas não garante a nomeação desejada. Em 2016, Ives Gandra Filho, ministro do Tribunal Superior do Trabalho, apareceu demais e Michel Temer nomeou Alexandre de Moraes. 

VICE

Os filhos de Bolsonaro, Carlos, vereador e Flávio, senador, novos integrantes do Republicanos, para onde foram para dar uma força na reeleição de Marcelo Crivella, na prefeitura do Rio, levaram também sua mãe Rogéria, que poderá sair candidata na vice na chapa do alcaide. Carlos não quer se candidatar de novo: quer eleger a mãe. No passado, Rogéria desistiu de sua candidatura à vereadora para eleger o filho.

Sem isolamento

333 Longe de novo período de quarentena, sem máscara e distribuindo abraços (e posando em grupo para selfies) o governador João Doria foi a Araçatuba (de jatinho, que desceu na pista da fazenda) para uma festa de ricaços ligados ao grupo Colormaq-Colorvisão do Brasil, onde também posou para fotos ao lado de Priscila, integrante da família Belmonte, conhecida na região (está encantado com sua visão de pandemia). Mas aí – surpresa – bolsonaristas da cidade descobriram seu paradeiro e fecharam a fazenda com uma carreata recheada de cartazes de “Fora Doria”. 

BEM PLANEJADO

O governador João Doria, foi alvo de mais duas carreatas na Capital, no domingo (19), incluindo grande número de caminhões (ostentavam em grandes letras na carroceria, dos dois lados, o “Fora Doria”). Carros e caminhões percorriam regiões e até bairros mais distantes, onde devido ao tamanho dos veículos, paralisavam todo o trânsito. Policiais da PM e o pessoal da CET não conseguiam impedir ou direcionar as carretas. Tudo estava bem planejado. 

Caixa baixo

A Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, também foi atingida pela pandemia. A cesta de dízimo está quase vazia e a Universal deixou de comparecer em abril à sua participação nas finanças da TV Record. E está com pagamentos atrasados no aluguel de tempo de televisão na Band e Rede TV!. A propósito: a Globo informou a todos os integrantes de suas novelas que não estão trabalhando que não receberão salários nesse período. E o pessoal engoliu à seco, é melhor do que reclamar.

Origem

Prêmio Nobel 2008, o virologista francês Luc Montaigner está levantando a hipótese sobre a origem do Covid-19 (140 mil mortes no mundo) num vírus manipulado, acidentalmente em laboratório chinês de Wuhan em busca da vacina contra Aids. O virologista Sinon Wain Hobsob, do Instituto Pasteur, relativiza a declaração. Na época, segundo Montaigner, os chineses não alardearam sobre o vírus porque não sabiam de suas características e efeitos. 

DESCIDA LENTA

O epidemiologista Roberto Medronho, da UFRJ diz que “agora, estamos numa subida continua até o pico da epidemia”. E emenda: “Depois, a descida será lenta”. Ele é radicalmente contra o isolamento vertical de Bolsonaro. “Não se pode baixar a guarda. Tudo o que não queremos ver é caminhões do Exército levando corpos para outras cidades por falta de vaga nos cemitérios. E isso ocorreu na Lombardia, a região mais rica de um país do primeiro mundo”.

MISTURA FINA

O MINISTRO do STF, Luís Roberto Barroso, reagiu ao discurso de Bolsonaro como “assustador”. “É assustador ver manifestações sobre a volta do regime militar, após 30 anos de democracia. Só pode desejar intervenção militar quem perdeu a fé no futuro”.

EM duas entrevistas coletivas, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, usava máscaras brancas com elásticos menores (ou distância das orelhas dele é maior), o que provocava uma mudança visual de suas orelhas. Alguém disse que lembrava o famoso elefantinho de Walt Disney.

NO Brasil, Bolsonaro avisa que os R$ 600 doados para população de baixa renda que “não é prefeitura, nem do governo, é fornecido pelo governo federal”. Nos Estados Unidos, Trump vai até, assinar cheques de US$ 1.500 para mostrar que quem dá é ele. E o governador de Nova York, Andrew Cuoco, fica no telefone com João Doria, trocando experiências.

OS melhores observadores notaram que, na falação de domingo (19), Jair Bolsonaro tossiu por três vezes (e levou a mão à boca), o que poderia ser um sinal da chegada do coronavírus. Lá mesmo, o presidente tranquilizou os mais chegados, dizendo que se tratava de uma “tossinha”.
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!