Clique aqui e veja as últimas notícias!

GIBA UM

“Respeito os homossexuais. Aliás, respeito é um princípio cristão!"

de ANDRÉ MENDONÇA // ministro da Justiça e Segurança Pública questionando a homossexualidade.
07/12/2020 05:00 - Giba Um


O PIB do terceiro trimestre de 7,7% segundo o IBGE não era o esperado. Paulo Guedes apostava em 9%. O número apresentado não vai aumentar perdas (o acumulado em 12 meses ficaria negativo em -3,5%).

Mais: ainda está no radar possível desaceleração no final do ano. Mas foi uma demonstração de fôlego e politicamente, um alento para o governo – e o ministro Paulo Guedes.

In – Saia envelope

Out – Saia dupla camada

 
 

Força e fraqueza

A cantora Anitta está na capa da revista Marie Claire Brasil. Em entrevista, ela conta que por causa da pandemia já repensou em muita coisa. 

“A rotina de trabalho faz a gente esquecer o que já fez e ficar olhando para o que está construindo. Ter ficado parada e presa em casa por tanto tempo me obrigou a pensar em tudo o que fiz. E só tinha coisa incrível. Passei a cuidar da minha alimentação, do meu sono, a me presentear com momentos, com férias. Deixei pra trás pressa, ansiedade e agonia”. 

E completou: “Anitta é uma personagem que criei para ter força. As fraquezas são minhas, da Larissa”. E finalizou dizendo o que quer para 2021. 

“Ainda não tive uma pessoa para ser meu parceiro, ou parceira, tanto faz, e gostaria de vivenciar essa situação. Temos que levar essa lição de 2020, de não criar expectativa. Se acontecer, bem. Se não acontecer, tá tudo bem também”. Mais: Anitta está na campanha de Natal da Hope.

Contra a Globo

A Superintendência-Geral do CADE abriu uma investigação para apurar indícios de “condutas anticompetitivas” por parte da Globo em contratos de publicidade – um ataque direto ao chamado BV (o incentivo comercial pelo qual veículos de comunicação premiam agências de publicidade que mais compram anúncios). 

O CADE proibiu ainda a Globo de assinar novos contratos com BV (abreviação de “bonificação por volume”) ou fazer quaisquer aditamentos em contratos vigentes ou futuros – uma medida preventiva para impedir prejuízos à concorrência, segundo o órgão antitruste. 

A notícia provocou pânico no mercado publicitário – onde nove entre dez agências tem no rebate do BV sua mais importante fonte de renda – e vem num momento que as verbas migram cada vez mais da TV para a internet, redesenhando a paisagem da publicidade. 

Mas, a intervenção das relações de mercado do CADE existe há décadas e também evidenciam suspeitas de ingerência política. No passado, Bolsonaro já havia atacado o BV, dizendo que buscaria no Congresso uma forma de aboli-lo. Agora, parece que conseguiu.

 
 

Campanha em família

Pegando carona na campanha da Arezzo que reuniu todas as mulheres da família Gil, a Hering agora faz campanha de Natal, só que com toda família incluindo Gilberto Gil. Em foto Gil aparece cercado por toda sua família, esposa, filhos, netos, genros e noras, no total foram 24 integrantes reunidos. 

Preta Gil disse que a campanha representa a atual situação apesar das distâncias entre eles. “Foi um presente de Natal poder se reunir. A campanha carrega tudo que acreditamos: amor, conforto e a nossa felicidade de ser essa família tão grande e tão próxima”. 

E Bela completou: “Apesar de muito unidos, somos uma família muito grande, com pessoas que moram em estados diferentes, então é muito difícil conseguir reunir todo mundo de uma vez. Isso geralmente só acontece no Natal mesmo”.

Museu

O governador Cláudio Castro, em exercício no Rio, quer entregar parte do Palácio Guanabara para uma fundação que transformaria as instalações em um museu. O governo do estado passaria a usar apenas o prédio anexo, onde Castro e sua equipe despacham. 

Castro não sabe que tipo de Museu, mas os mais irônicos acham que poderia ser o Museu da Corrupção. Afinal, passaram por lá Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão e Wilson Witzel, virtualmente impichado.

 
 

Recado

O senador Jaques Wagner (PT-BA) manda recado aos seus inimigos e aos defensores do ex-presidente Lula após avisar que não ficaria refém a vida inteira do ex-presidente. “Aos ciumentos desavisados, meu recado: não apostem em nenhuma divisão entre eu e @LulaOficial. Quem o fizer, vai errar feio”.

Já carimbadas

Nos corredores do poder discute-se a possibilidade de prorrogação do estado de calamidade, que se encerraria em 31 de dezembro, que cresce à medida que os casos da covid-19 voltam a disparar. 

Uma das soluções seria aproveitar a oportunidade e associar o regime de urgência à venda das estatais já carimbadas como privatizáveis, caso dos Correios, Casa da Moeda, Eletrobras, PPSA e Porto de Santos, além de outras que poderiam ser acrescentadas à essa lista. 

Os recursos não entrariam na receita primária. Seriam utilizadas para abater a dívida fiscal, gerando folga para aumento do gasto público, especialmente na saúde ou possível prorrogação do auxílio emergencial.

GENEROSOS

A folha salarial das mais importantes estatais explica por que diretores são contra quaisquer tentativas de privatização. Na Eletrobras, por exemplo, paga R$ 1 milhão por ano para cada um dos membros da Diretoria Executiva; na Casa da Moeda do Brasil, paga R$ 684,2 mil para cada membro da Diretoria Executiva e na Telebrás, outros R$ 675,5 mil ao ano para sua diretoria. 

Isso sem contar Conselho de Administração, que muitas vezes completa salários de ministro, Conselho fiscal e Comitê de Auditoria.

Excepcionais

Situações excepcionais exigem soluções emergenciais. No governo Collor, foi criado o Plano Nacional de Desestatizações, autorizando de uma só vez pacote de privatizações. 

Seria uma fórmula de evitar a necessidade do Legislativo aprovar estatal por estatal. A própria lógica da calamidade cria situação de exceção para essas medidas geradoras de recursos possam ser adotadas pela União.

TRIBUTÁRIA

Não é bom sinal para agenda do ministro Paulo Guedes a aparente inação do governo federal no Congresso, demonstrada apenas na falta de iniciativa da reforma tributária a PEC do Pacto Econômico. 

As disputas em curso pelas presidências da Câmara e do Senado são um fator. Mas não explicam a falta de agenda do governo, que parece utilizar sucessivas desculpas eleitorais para adiar decisões. 

Bolsonaro poderia, por enquanto, colocar nas mãos de Rodrigo Maia a chance de avançar com a reforma tributária no curto prazo. Mas, ele não sabe como.

Nova eleição

O Tribunal Superior Eleitoral acaba de ganhar mais um abacaxi para descascar. Terá que decidir se mais uma cidade terá novas eleições, e se tiver, quando. Tudo por que Izalda Boccacio (PP) foi eleita prefeita de Santo Antônio das Missões (RS) ainda no primeiro turno com 53,47% dos votos, só que ela foi infectada pela covid-19 e não resistiu, falecendo na quinta-feira (3). 

O primeiro caso parecido foi de Antônio Claret Mota Esteves eleito também no primeiro turno na cidade de Passa Quatro (MG) e morrendo na véspera da eleição, dia 14.

DORIL

Quem tomou Doril foi o candidato derrotado a vice-presidente e ex-chanceler tucano Aloysio Nunes que sumiu da política. Ele acha que a época não é de aparecer em holofote algum.

Também o ex-governador Geraldo Alckmin dá pouco o ar da graça, mas já trabalha pela possibilidade de sair candidato ao governo de São Paulo em 2022.

 

MISTURA FINA

  • A PANDEMIA reduziu, para valer, os gastos do Congresso com viagens oficiais. A conta acumulada na Câmara em 2020 não chega a R$ 1 milhão, bem abaixo dos R$ 7 milhões que a Casa desembolsou no ano passado com passagens e estadias.
  • MILITANTE comunista a vida inteira, o ex-deputado e ex-ministro Aldo Rebelo saudou a eleição de 2020 como a festa da democracia. Ele afirmou que “se Deus quiser”, a política triunfará sobre o radicalismo. Os mais irônicos dizem agora que Rebelo quando lhe perguntam qual é sua posição política ele responde: “Sou ateu, graças a Deus”.
  • NOS últimos dias, o nome do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, voltou a circular nos gabinetes de Brasília como forte candidato a substituir o general Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. Os mais atentos acham que é uma tentativa do “gabinete do ódio” para desestabilizar Pazuello.
  • A ADVOCACIA Geral da União vai cobrar da ex-senadora Selma Arruda, cassada em dezembro de 2019, os custos da realização da eleição complementar do Mato Grosso no último dia 15. O argumento é que o pleito para a escolha do novo senador só aconteceu devido à cassação de Selma por crime eleitoral.
  • O PROCURADOR junto aos Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo Oliveira, uma das estrelas do processo de impeachment de Dilma Rousseff, diz que a Constituição proíbe a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado. “Ponto. O resto é jeitinho brasileiro que desmoraliza o Brasil”.
  • ASSIM que a pandemia dar uma trégua, parlamentares da bancada do jogo, à frente o deputado João Carlos Bacelar, vão a Macau para conhecer novos empreendimentos de Sheldon Adelson. Ele é um dos principais donos de cassino de Las Vegas e Ásia e um dos mecenas do lobby pela liberação do jogo no Brasil.
  • CLÁUDIO Gastal, que passou a acumular as Secretarias de Planejamento e de Governança do Rio Grande do Sul, tornou-se uma espécie de primeiro-ministro do governo de Eduardo Leite. Não passa nada fora de seu gabinete. Detalhe: Gastal está no posto por indicação do empresário Jorge Gerdau.
  • O PREFEITO reeleito de São Paulo, Bruno Covas, tem sido cobrado por pequenos e médios empresários da região da Faria Lima uma ajuda para o comércio local. Diversos restaurantes e lojas estão ameaçados, devido aos sistema de home office adotado pelas grandes empresas e banco com sede da Faria Lima.