Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

CLÁUDIO HUMBERTO

Fernando Pimentel sobre o fim da desoneração em folha de pessoal: “Sairá ainda mais caro para o governo”

Fernando Pimentel, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), sobre o fim da desoneração em folha de pessoal
03/11/2020 07:00 - Cláudio Humberto


“Sairá ainda mais caro para o governo”
Fernando Pimentel, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), sobre o fim da desoneração em folha de pessoal

Ministro é caso raro no governo ‘Geni’ de Bolsonaro

No governo “Geni” de Bolsonaro, criticado por seus desacertos e crises desnecessárias, a exceção é o Ministério das Comunicações chefiado por Fábio Farias desde 17 de junho. 

Sua atuação agrada ao presidente e Congresso, por se empenhar no entendimento entre os dois poderes, e arranca elogios até do setor privado. 

“Finalmente o País tem um ministro das Comunicações”, diz Flávio Lara Resende, presidente da prestigiosa Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão).  

Diálogo produtivo

O ministro domina os aspectos mais técnicos da área, explica Flávio Lara Resende, o que torna mais produtivo o diálogo com as emissoras.

Nem tudo são flores

Além da radiodifusão e das telecomunicações, a comunicação institucional também foi confiada por Bolsonaro a Fábio Farias.  

Morte por inanição

Sem ajudar na melhoria da imagem do governo, a antiga Secretaria de Comunicação Social (Secom) perdeu relevância e foi extinta.

Já foi tarde

No governo em que cada decisão gera protestos, ninguém reclamou da decisão de Bolsonaro de extinguir a Secom.

História avalia Sarney em dois livros obrigatórios

Dois livros precipitaram o encontro do ex-presidente José Sarney com a História. “José Sarney 60 anos de política”, do brasilianista americano Ronald M. Schneider (ed. Krauss) e “Democracia – Sarney e o desafio da transição”, do historiador José Augusto Ribeiro (ed. Martins Fontes), examinam com profundidade e riqueza de detalhes a trajetória do político, que se confunde com a História recente da política brasileira.

Estudo meticuloso

Ronald Schneider considera a redemocratização no Brasil a mais exitosa no continente. Estudou meticulosamente o percurso político de Sarney.

Não foi tarefa fácil

José Augusto Ribeiro mostra como Sarney superou o desastre econômico do governo Figueiredo e afastou a ameaça do autoritarismo.

Muitos obstáculos

O Serviço Nacional de Informações (SNI) teve a ousadia de monitorar Sarney, mesmo ele presidente, como mostram mais de 10 mil “informes”.

Veto ‘desinteligente’

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), Fernando Pimentel, alertou que os custos do governo com demissões são maiores que a renúncia fiscal decorrente da desoneração da folha de pagamento.

Projetos na pandemia

Há 23 projetos para ajudar no combate à pandemia, já aprovados na Câmara, mas que ainda aguardam análise do Senado para virar lei. Há outros 62 que já viraram lei, metade deles proposta pelo governo.

Frankenstein legal

O governo pediu ao Congresso um crédito suplementar de quase R$6,12 bilhões para oito ministérios. A porteira aberta para gastança inspirou a apresentação de 214 emendas só na Câmara dos Deputados.

Vale-tudo eleitoral

A imprensa americana e os correspondentes brasileiros escondem dos leitores os vários vídeos que mostram seu candidato preferido, Joe Biden, falando coisas sem sentido, voz engrolada, palavras inexistentes, sugerindo dúvidas sobre sua perfeita saúde neurológica.

Eleitorado cativo

O diplomata e ex-ministro Rubens Ricúpero afirmou nesta segunda-feira (2) que se fosse eleitor nos Estados Unidos o seu voto seria de Joe Biden. O ex-ministro Delfim Netto também seria eleitor democrata.

Funciona?

Segundo Osmar Terra (MDB-RS), “se isolamento mais radical diminuísse o número de casos e mortes, a Argentina não seria o país onde mais cresce o número de mortes. E São Paulo não teria uma das maiores mortalidades do mundo”, observou o deputado, que também é médico.

Mudança conveniente

O senador Humberto Costa (PT-PE) quer alterar regras para escolha de diretores de agências reguladoras, exigindo a formação de “lista tríplice”. A ideia nunca ocorreu ao senador nos 15 anos de governo petista.

Muito em jogo

As eleições desta terça, nos EUA, terão grande efetivo de fiscais para evitar abusos. Só o Comitê Nacional Republicano tem 50 mil funcionários e voluntários para checar aplicação de regras e contagem das cédulas.

Pensando bem...

...pesquisas mostram que a pandemia só favoreceu a velha política.

PODER SEM PUDOR

Coitada da mulher de César

Em 1989, os vereadores de Manaus discutiam a Lei Orgânica do Município. Um deles, exaltado, dirigiu-se ao então presidente da Casa, César Bomfim, repetindo uma velha frase: “Não basta à mulher de César ser honesta. Tem que parecer honesta!” Rápida no gatilho, a vereadora Lurdes Lopes não perdoou, em aparte: “Alto lá! O nobre colega não tem o direito de falar assim! O que o senhor tem contra a mulher do presidente desta Casa?”

 
 

Felpuda


Embora tenha manifestação de que não haverá mudanças na administração municipal que se iniciará dia 1º de janeiro, o que se ouve por aí é que a realidade não seria bem assim.

Alguns setores deverão passar por alterações, como forma de se azeitar engrenagens que estariam deixando a desejar. 

O Diário Oficial, a partir daquela data, deverá ser a publicação mais lida a cada manhã.