CLÁUDIO HUMBERTO

“Se eu fosse a Petra, faria um documentário ganhando o Oscar e falaria que é minha visão pessoal”

Caíque Januzzi, do MBL-MG, no Twitter, sobre as lorotas do ‘Democracia em Vertigem’
11/02/2020 05:00 - Cláudio Humberto


“Se eu fosse a Petra, faria um documentário ganhando o Oscar e falaria que é minha visão pessoal”

Caíque Januzzi, do MBL-MG, no Twitter, sobre as lorotas do ‘Democracia em Vertigem’  

 

Senado pode obrigar MP a favorecer o acusado

Está na pauta do Senado um projeto que altera radicalmente a atuação do Ministério Público. De autoria de Antonio Anastasia (PSDB-MG), a proposta altera o artigo 156 do Código de Processo Penal para estabelecer a obrigatoriedade de o MP “buscar a verdade dos fatos” também a favor do indiciado ou acusado. Já com parecer favorável do relator, o projeto será votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em caráter terminativo, ou seja, será a palavra final do Senado.

Isenção obrigatória

Anastasia lembra que o MP tem as mesmas garantias da magistratura e por isso precisa de idênticas obrigações, como da imparcialidade.

Palavra final

O projeto aprovado em caráter terminativo é a palavra final do Senado sobre o tema para enviar à Câmara, à sanção ou para promulgação.

Aval importante

O projeto ganhou força com o parecer favorável do relator Rodrigo Pacheco (MDB-MG), cujos conhecimentos jurídicos são respeitados.

Águas de março

Com muitos projetos na fila, uma estimativa otimista indica que será votada em março a proposta de Anastasia. Tem chance de aprovação.

Quarentena pode proteger agências de lobistas

Projeto da senadora Simone Tebet (MDB-MS) tenta blindar as agências reguladoras do domínio cada vez maior pelas empresas reguladas. A proposta limita a indicação de acionistas, sócios ou dirigentes de empresas privadas na diretoria das agências. Já seria um começo. Na ANS (planos de saúde), um dirigente é egresso de um escritório de lobby das empresas do setor. Na Aneel (energia elétrica), a Polícia Federal investiga benefícios que teriam sido comprados por empresas.

Um ano afastado

A ideia de Tebet é impor quarentena de 12 meses ao pretendente  de cargo de direção, após seu desligamento da empresa onde atuava.

Lobby foi mais forte

Essa tentativa de proteção à sociedade foi vetada na Lei Geral das agências reguladoras, em vigor desde o ano passado.

Contra o consumidor

“Temos de acabar com a possibilidade de lobby”, diz Tebet, de olho em agências que beneficiam empresas em prejuízo dos consumidores.

Amor, negócios à parte

Após Lula culpar a falecida por suas mutretas, chegou a vez de o seu “amigo-irmão” Sérgio Cabral entregar a própria mulher já no primeiro depoimento de sua delação, implicando-a em lavagem de dinheiro.

Olho no cargo

Quem quer agradar o secretário de Assunto Fundiário do Ministério da Agricultura, Nabhan Garcia, basta tratá-lo de “vice-ministro”. E nem é o secretário executivo, nº 2. Mal esconde o desejo de virar ministro.

Generalizou, perdeu

Paulo Guedes errou ao generalizar, mas a reação corporativista à sua comparação do setor público com parasita, pela qual se desculpou, fez crescer o apoio entre os demais 95% de brasileiros do setor privado.

Contágio à distância

Em Portugal, e isto é sério, restaurantes chineses registram queda de 10% de clientes, em razão do coronavírus. Resta saber que tipo de contágio os portugueses temem, a 10.331km de Wuhan, na China.

Perderam, bebês

O que faziam no Oscar, evento elitista, capitalista, e não-inclusivo, a herdeira da Andrade Gutierrez (empreiteira da Lava Jato) Petra Costa, um sujeito de boné do MST e uma índia fazendo cara feia?

Nunca foi tão mais chata

A cerimônia do Oscar 2020 registrou a pior audiência de todos os tempos, metade dos 57 milhões espectadores de 1998. Não por acaso, foi a mais desagradável, demagógica, “politicamente corretos”. Argh!

Mas, e o golpe?

Apesar de proclamar “prioridade à esquerda”, o PT já permitiu que seus candidatos fechem alianças com partidos que apoiaram o impeachment de Dilma, como DEM e PSDB, diz o senador Álvaro Dias (Pros-PR).

Bilhões são mistério

Dona informal do DPVAT, a Seguradora Líder informa que o relatório de 2019 é “estatístico”, não contém demonstrações financeiras. O documento com seus bilhões será publicado apenas no dia 28.

Pensando bem...

...servidores públicos são tão parasitas do governo quanto o governo age como parasita dos pagadores de impostos.

 
 

PODER SEM PUDOR

Cinco doses de duração

O falecido senador Fábio Lucena, do Amazonas, tinha o hábito de passar o tempo, nos aviões, com um copo de uísque nas mãos – talvez para disfarçar o medo de voar. Quando Tancredo Neves percorria o País, em 1984, para legitimar sua campanha presidencial, Lucena viajava para um comício em Belém (PA) quando um repórter perguntou: “Senador, quantas horas são mesmo de avião entre Brasília e Manaus?”  Ele respondeu: “Quantas horas, eu não sei. Só sei que são cinco doses de uísque.”

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".