Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Se você quer escola cívico-militar, você é de direita. E 80% das famílias do estado de SP são de direita, só que eles não sabem disso”

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, criticando sem citar nomes, postura do governador de São Paulo João Doria, que disse que não adotará o método
19/02/2020 05:00 - Giba Um


“Se você quer escola cívico-militar, você é de direita. E 80% das famílias do estado de SP são de direita, só que eles não sabem disso”

do ministro da Educação ABRAHAM WEINTRAUB // criticando sem citar nomes, postura do governador de São Paulo João Doria, que disse que não adotará o método.

 

Levantamento de iDados revela que, de 2012 a 2019, cresceu o número de pessoas com 65 anos ou mais em todas as 27 capitais brasileiras: na média um aumento de 41%.  

Mais: já o número de crianças de até cinco anos caiu, no mesmo período em 18 capitais, como Rio (-15%), Salvador (-18%) e Maceió (-35%). E houve aumento em São Paulo (0,1%).

 
 

São Paulo na frente

São Paulo assumiu o posto de destino mais procurado para o Carnaval neste ano, posto já ocupado pelo Rio de Janeiro e Salvador anos atrás. Entre carnaval e pré-carnaval, mais de 650 blocos estão levando multidões às ruas. No último final de semana, 2,5 milhões foram curtir o pré-carnaval que teve 24 blocos entre eles o do DJ Alok (que levou 500 mil pessoas), Baixo Augusta (quase um milhão de foliões arrastados) e A Favorita (150 mil). Entre diversas famosas mergulharam na folia, estavam, entre tantas, da esquerda para à direita Paolla Oliveira e Monique Alfradique; Alessandra Negrini; Bia e Branca Feres; Dira Paes; e Fernanda Paes Leme. A prefeitura estima que 15 milhões de foliões estarão nas ruas entre o pré e o pós-carnaval.

SOS tributária

Alguns dados que evidenciam a urgência da reforma tributária no país: estudo feito entre 100 países pelas universidades alemãs LMU Munich e Universität Paderborn, coloca o Brasil em primeiro no ranking de países com maior complexidade tributária. De acordo com a Endeavor, 86% das empresas brasileiras apresentam algum tipo de irregularidade no pagamento de seus tributos. Dados publicados pelas 30 maiores empresas abertas, não financeiras, em 2014, revelam que o contencioso tributário era de R$ 293 bilhões, sete vezes maior que o contencioso trabalhista. Dados do setor público são assustadores. O contencioso tributário administrativa representou em 2018 nada menos do que 56% do PIB brasileiro. Somando-se a esfera judicial, o contencioso judiciário no país chega a 73% do PIB. Mais: na tributação do consumo, o Brasil é um dos poucos países que ainda não tem um IVA (Imposto sobre Valor Agregado): entre 193 países do mundo, 160 adotaram o sistema. Dos que adeririam antes de 1990, 25% preferiram alíquota única. Entre 1990 e 2001, o percentual subiu 81%.

 
 

Nua de novo

A atriz e bailarina Claudia Raia, 53 anos, gostou de tirar fotos nua. Em novembro, posou para Adriano Damas para um ensaio para revista Ela do jornal O Globo.  Em janeiro, ficou novamente nua para divulgar sua peça Conserto para Dois, na capa de GQ Portugal sob os olhares de Branislav Simoncik. Agora, o maquiador Ale de Souza acaba de divulgar mais uma foto com a legenda “Lembranças do fim de ano. Musa da vida Claudia Raia”. Em menos de 24 horas, já tinha 1500 curtida e foi republicado pela atriz em seu Instagram onde recebeu mais de 55 mil curtidas.

De fora

O guru dos Bolsonaros, o ex-astrólogo Olavo de Carvalho, que não gostou da nomeação do general Braga Neto para a Casa Civil, gravou um vídeo e espalhou para redes sociais, avisando que “não se importa mais com o governo”, o que provocou um certo alivio em muitos militares que participam da gestão de Bolsonaro. Os filhos do presidente ainda não abriram a boca sobre o desembarque de Braga Netto no Planalto (seu gabinete é perto do presidente).

 
 

Conversa

Pouca gente ficou sabendo, mas na semana passada o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin e o procurador-geral da República Augusto Aras conversaram sobre a homologação da delação premiada do ex-governador do Rio Sérgio Cabral. O primeiro homologou e o segundo entrou com recurso para derrubar a homologação. Fachin ouviu os argumentos de Aras e ficou de pensar sobre o assunto. A defesa de Cabral já começa a tratar nova estratégia caso a delação seja derrubada.

Show evangélico

Quem diria: Bolsonaro tira Marcelo Crivella para dançar e o juiz Marcelo Bretas rodopia ao lado. A festa era da Igreja Internacional da Graça de Deus, no Rio, comandada pelo missionário R.R. Soares. Antes, Bretas foi buscar Bolsonaro no aeroporto e depois acompanhou o presidente numa inauguração de um viaduto. Num post, Bretas dá as boas-vindas ao “Sr. Presidente” e de quebra, elogia o ministro general Augusto Heleno (não dançou). Ele quer associar sua imagem ao presidente e se cacifar para a vaga de “um ministro terrivelmente evangélico” para o Supremo.

Apuração

Agora, a Procuradoria Regional do MPF apresenta pedido para que o Ministério Público estadual apure se as participações de Marcelo Crivella e do juiz Marcelo Bretas num evento evangélico e inauguração de viaduto configuram violação à legislação eleitoral e alerta possível uso eleitoral do poder religioso. A OAB  também protocolou no Conselho Nacional de Justiça reclamação disciplinar contra Bretas: “Autopromoção e super exposição” contrariam o artigo 95 da Constituição sobre condutas vedadas a juízes.

Sonhar é de graça

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) já disse que tem interesse em concorrer ao Planalto em 2022. E seu nome até pode ter o apoio de Lula e do PT, caso a sigla não encontre um nome forte para a disputa (Lula só colocará Fernando Haddad no último caso). Apesar do interesse, Dino sabe que seu nome é pouco conhecido no Brasil e sonha com uma aliança quase impossível num segundo turno. “Eu espero e luto para que seja possível em 2022 uma articulação em que, se não no primeiro turno, mas pelo menos no segundo, todos estejam juntos. Eu acredito nisto”. Seu sonho é ver  Lula e Luciano Huck juntos.

REJEIÇÃO

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, que tenta a filiação do apresentador Luciano Huck para que ele concorra ao Planalto em 2022, disse que a possível aliança entre Huck e o ex-presidente Lula aos seus olhos é impossível. “Longe de mim e do Cidadania a busca de qualquer aproximação, muito menos aliança com Lula/aliados.  Apenas apoio tudo que possa significar distanciamento do atraso e reacionarismo de uma esquerda dogmática, stalinista. Se houver tal mudança será bom para a democracia brasileira”.

Reeleição, não!

Numa entrevista ao SBT, o governador João Doria, de São Paulo, garantiu que não será candidato à reeleição no cargo que ocupa. E desconversou se seria candidato à Presidência. Hoje, Doria tem comentado com amigos chegados que numa eleição presidencial, seria muito difícil derrotar Jair Bolsonaro. E considerou “legitima” a intenção de Luciano Huck (“meu amigo”) para disputar o Planalto. À propósito: Huck já avisou que não seria candidato a vice-presidente em nenhuma hipótese – nem com Doria.

MALDIÇÃO

O general Braga Netto acaba de tomar pose na Casa Civil: é a décima alteração ministerial em pouco mais de um ano. Mas, no passado, as coisas já foram piores: chegou-se até a se falar de uma “maldição” no posto. Todos os ministros da Casa Civil nos governos do PT – seja Lula ou Dilma – acabaram presos ou enrolados em malfeitorias – do mensalão ou petrolão. O primeiro foi José Dirceu no governo Lula e Erenice Guerra a primeira do governo Dilma.

MISTURA FINA

  • JOÃO Amoedo usou suas redes sociais para falar, que pela primeira vez, ele e seu partido concordam com uma decisão adotada pelo PT, partido opositor do Novo. “PT permite aliança com 31 dos 33 partidos. O Novo é um dos partidos vetados. Pela primeira vez, e certamente pela última, concordamos em algo”. Além do Novo, o PT declarou que também não faria aliança com o PSL.
  • LEVANTAMENTO feito pelo site Atlas Político mostra que Jair Bolsonaro teria ampla vantagem na disputa presidencial se as eleições fossem hoje. Ele aparece com 41% das intenções de votos contra 14% de Luciano Huck, 13% de Flávio Dino  e 2,5% de João Doria.  
  • O BRASIL é um país lento mesmo. Só depois de 17 dias é que o Tribunal Superior do Trabalho declarou a greve dos petroleiros  ilegal.
  • O MINISTÉRIO da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações acaba de instituir o ponto eletrônico em todos os institutos e órgãos que compõem sua estrutura. Até hoje, em alguns deles, o controle ainda era feito pelo velho “livro de ponto”. O ponto eletrônico vai vigorar em todas as áreas em abril. O check-in será feito diretamente pelo computador de cada servidor, que terá de bater ponto quatro vezes por dia.  
  • O NOVO Conselho da Amazônia, comandado pelo vice-presidente general Hamilton Mourão já iniciará seus trabalhos com estatística incendiária. O próximo levantamento do INPE deverá apontar aumento das queimadas da Região Amazônia superior aos 30% no acumulado dos últimos 12 meses. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acompanha os passos de Mourão.
  • A UNIÃO pagou R$ 368,23 milhões em dívidas garantidas aos entes subnacionais em janeiro, sendo R$ 147,07 milhões de Minas Gerais, R$ 126,21 ao Estado do Rio de Janeiro, R$ 78,22 milhões de Goiás e R$ 16,74 milhões do Amapá. Esses estados estão temporariamente impossibilitados de contratar novas operações com garantia da União.
  • EM artigo, escrito depois de seu casamento, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) escreveu que o encontro e a bênção dada pelo Papa Francisco ao ex-presidente Lula “equivalia ao perdão dado por Cristo na Cruz a São Dimas, também crucificado, que confessava perdão por seus pecados”.
  • WILSON Witzel encomendou a assessores da área um estudo sobre potencial de privatizações de rodovias estaduais. Rascunhos foram feitos e deixados no acostamento. Não há nenhum ativo de primeira grandeza no mapa rodoviário do Rio.

(Colaboração: Paula Rodrigues)

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!